Categoria: Estudos Bíblicos

06/02/2021

Oração do Pai Nosso

Mateus 6:5 a 15 – (Base do Estudo)

6:5 “E, quando orardes, não sejais como os hipócritas ; pois gostam de orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa”.

Os fariseus e religiosos da época profanavam a prática religiosa, transpondo-a em peças de teatro, agiam como se estivessem fazendo uma apresentação teatral ou algo parecido. Eles tinham hora e lugares certos para orarem, geralmente em praças e avenidas largas e de grande movimento. Seu objetivo era atrair a atenção do público e, esperavam como recompensa o aplauso daqueles que os rodeavam.

Quando Cristo usou o termo hipócritas, Ele sabia do que e porque estava falando. Jesus critica essa ação e não o ato de orar. Lucas 18: 9 à 14; Oração do fariseu e do publicano, chamada também de a Oração do pecador.

6:6 “Mas tu, quando orares, entra no teu quarto e, fechando a porta, ora a teu Pai que está em secretoe teu Pai, que vê em secreto, te recompensará”

Jesus requer das pessoas que oram a humildade de coração e, para orar a Deus, todos podem orar, mas nós os crentes em Jesus, sabemos que Deus não ouve a oração de pecadores.
“Sabemos que Deus não ouve a pecadores; mas, se alguém for temente a Deus, e fizer a sua vontade, a esse ele ouve”. (João 9:31).

Sendo assim, para orar a Deus, sem hipocrisia e com humildade de coração e em espírito, tem que principalmente ser um verdadeiro convertido, um cristão genuíno. Em secreto, é onde falamos com Deus e nos abrimos para Ele, principalmente para agradecer e não somente para estarmos pedindo. Em secreto não quer dizer que você deva se esconder para que ninguém o veja… Mas sim que não seja para estar em evidência.

Jesus não censura a oração em público, nem estabelece regras acerca da oração, muito menos lugar específico ou maneira de se orar, mas enfatiza a necessidade de um “espírito humilde” nas orações. Devemos orar pela necessidade que sentimos de orar. A oração pode ser feita: Em qualquer lugar, inclusive na igreja, de pé, de joelhos, sentado, deitado, dentro de um carro, de um ônibus. A Bíblia nos diz que devemos orar sem cessar, mas cuidado! Para cumprirmos esse mandamento não precisamos fechar os olhos quando estivermos dirigindo. Devemos orar em espírito. “Orai sem cessar.” (I Tessalonicenses 5:17).

6:7 “E, orando, não useis de vãs repetições , como os gentios; porque pensam que pelo seu muito falar serão ouvidos”

Vãs repetições” Os 450 profetas de Baal e também os 450 profetas de Asera e seus respectivos adoradores, no Monte Carmelo (I Reis 18:17-40), e os adoradores da deusa Diana dos Efésios (Diana = latim; Artemis = grego), em Éfeso (Atos 19:34-35), são exemplos opostos, contrários a essa prática, pensavam que cansando seus deuses com repetições conseguiriam o que lhe pediam. Nos dias atuais, podemos observar estas vãs repetições com os seguidores de muitas seitas, tais como: “Hare Krishna” ou as “Ave-Marias” e “Salve-Rainhas” dos católicos.

Hare Krishna, no hinduísmo e no budismo, o mantra (frase ou sílaba), considerada uma fórmula sagrada, que deve ser repetida mais de mil vezes por dia pelos seus adeptos. Criada pelo mestre hindu Bhaktivedanta Swami Prabhupada nos EUA em 1966.

Pelo seu muito falar“, pensavam também, que o acúmulo de orações repetidas além de obrigar os seus deuses a responder os impressionariam.

Essas idéias são características pagãs, de pessoas incrédulas. Como poderia um deus com olho, mas que não vê; com boca, mas que não fala; com ouvidos, mas que não ouvem ficarem impressionados com alguma coisa. Os discípulos de Cristo devem saber que Deus é Pai e, que não acolhe as orações daqueles que tem tais atitudes.

6:8 “Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes”

Qual é o sentido e a necessidade da oração?” A oração nos aproxima de Deus, de sua vontade e leva-nos a perceber mais claramente os nossos desejos e necessidades espirituais, o que beneficia a nós mesmos.
a) A oração alimenta nosso espírito.
b) A oração nos fortalece para enfrentar as tribulações do nosso dia a dia.
c) A oração acrescenta a nossa fé.
d) A oração também serve de escola da alma, para ensinar a vontade de Deus na vida.

Não temos nada a ensinar para Deus, e sim só temos a aprender com Ele, quando oramos, quando ouvimos uma pregação na igreja e principalmente quando lemos a Bíblia.

6:9 “Portanto, orai vós deste modo: Pai nosso que estás nos céussantificado seja o teu nome

Pai nosso que estás nos céus“: Esta oração é diferente dos padrões, da maneira de oração dos judeus da época e também de muitas religiões de hoje em dia. Esta oração é breve, simples, franca e penetra nosso ser e atinge seu verdadeiro objetivo, que é alcançar a Deus. As dezoito petições feitas três vezes ao dia nas orações dos judeus piedosos, eram dez vezes mais longas.

Pai nosso“: Jesus nestas primeira palavras, nos ensina a reverenciarmos e reconhecermos a grandeza do Deus com quem estamos falando. Sempre que oramos sabemos que Deus está acima de tudo, nos céus e na terra. Que não somos nada perante sua Estatura. Se Deus considera toda a humanidade como uma gota num balde, como seria apenas um de nós para suas vistas?

que estás nos céus“: esta expressão sempre nos lembra:
a) Da Onipresença de Deus na vasta amplidão dos lugares celestiais. (Salmos 11:4).
b) Do poder e da Majestade de Deus, na forma de domínio sobre toda criação. (II Crônicas 20:6; Lucas 9:43).
c) Da Onipotência de Deus. (Ezequiel 1:24).
d) Da Onisciência de Deus, porque daquele lugar tão elevado, Ele vê tudo o que acontece em todos os lugares, em todas as partes da criação. (Salmos 11:4).

santificado seja o teu nome“: Deus é santo, puro e, quando nos achegamos a Ele, devemos reconhecer a soberania do nome que está acima de todo nome. (Filipenses 2:9). Por isso, nos curvamos diante Dele deixando todo nosso ego, orgulho, sabendo que Ele conhece nossos corações e se agrada quando nos santificamos para ir à sua presença. No começo dessa oração, Jesus deixa claro que a necessidade básica do homem e obrigação do pecador é reconhecer Deus acima de tudo, como provedor de todas as coisas.

santificado” significa: seja venerado ou honrado. Jesus ressalta a santidade de Deus, porque Ele habita no mais santo lugar. (Isaias 57:15).
É bom lembrar não só aos pecadores, mas também aos cristãos que o nome de Deus equivale à pessoa de Deus, aquilo que Ele é e faz. É por este motivo, que jamais devemos tomar o nome de Deus em vão. Com certeza não é a melhor atitude.

6:10 “venha o teu reinoseja feita a tua vontadeassim na terra como no céu

Venha o teu reino” Jesus queria estabelecer seu reino literal sobre a terra, o que seria a manifestação de Deus no mundo. Devemos em nossas orações, ter o desejo de ver esse reino se manifestar em nossa vida, ter o deseja de estar em breve neste reino. O profeta Isaías nos fala um pouco desse reino no Cap. 65:17 à 25.

seja feita a tua vontade“: É entregar nossa vida em total confiança a Deus. Deus se agrada quando andamos de acordo com os propósitos Dele para nossas vidas. Ele só quer nosso bem. Orando e lendo a sua Palavra, a Bíblia, nós conhecemos sua vontade e podemos aplicá-la em nossas vidas. Que pai iria quer o mal para seu filho?

assim na terra como no céu“: É o desejo de todas coisas que ocorrem no céu, acontecerem também na terra. No céu está o exemplo perfeito de tudo, o padrão mais elevado do que precisa ser feito.

Até aqui Jesus tratou das necessidades espirituais do homem. Isso Ele deixa claro também em Mateus 6 :33, onde nos ensina a buscar seu reino e sua justiça em primeiro lugar.

6:11 “o pão nosso de cada dia nos dá hoje

o pão nosso de cada dia”: Aqui Cristo passa a nos ensinar acerca das nossas necessidades físicas ou materiais (alma e corpo), da qual Ele próprio conhecia, pois se fez carne entre os homens. (João 1:14).

Jesus nos ensina a orar pela nossa alimentação, aquilo que necessitamos para nossa subsistência, para que não pereçamos.

nos dá hoje“, esta expressão: também ensina que não devemos nos preocupar com o dia de amanhã, devemos pedir apenas o necessário. Deus sabe do amanhã e suprirá nossa necessidade.

6:12 “e perdoa-nos as nossas dívidasassim como nós também temos perdoado aos nossos devedores

O perdão de Deus é condicional. E podemos notar isto nos versos 14 e 15 que mostra isso.

6:14-15 “Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; se, porém, não perdoardes aos homens, tampouco vosso Pai perdoará vossas ofensas”

Cristo nos ensina que não podemos guardar rancor, ira em nossos corações em relação às outras pessoas. Jesus quer que vivamos em paz, no que depender de nós, com nossos semelhantes. O cristão deve perdoar, mesmo antes de a pessoa pedir perdão para que Deus perdoe nossos pecados, e, caso a pessoa não peça perdão, não mais nos diz respeito, pois é a Deus quem ela prestará contas. Se fizermos desta maneira, podemos esperar pela misericórdia de Deus.

6:11 “E não nos deixes cair em tentaçãomas livra-nos do malporque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém”

Não nos deixes cair em tentação, mas livrar-nos do mal“: Devemos pedir a Deus que em todas as circunstâncias de nossa vida, nós não caiamos nas tentações. O mundo que vivemos é cheio de males e tribulações. Mas se perseverarmos em oração e vigiarmos, estaremos sempre nos santificando e purificando cada vez mais e poderemos evitar muitas consequências ruins para nossa vida e estaremos sempre usufruindo das bênçãos de Deus.

Em “Mateus 26:41” diz: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito na verdade, está pronto, mas a carne é fraca”

Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes.

Mateus 6:8
06/02/2021

Oração do Pecador

A Oração do Pecador

Lucas 18:9-14

Jesus falou esta parábola, a um grupo de pessoas que se achavam justas, consideravam-se pessoas boas.

Ele comparou as ações do fariseu, que se autodenominava justo, com as do publicano, o qual representa um pecador. No versículo 13, o publicano, ou pecador, orou, “Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!”, e como resultado, foi justificado ou salvo de seus pecados.
Em muitos círculos, esta oração é conhecida como “oração do pecador”, e passou a ser um meio pelo qual alguém é salvo, quando se ora esta oração. Muitos fazem declarações, tais como, “Nós tínhamos 42 orando a oração do pecador domingo passado”, e se referem a aqueles como salvos, por terem orado a “oração do pecador”. Eles se referem à “oração do pecador”, como que atendendo os requerimentos de Romanos 10:13, “invocar o nome do Senhor”. A oração não salva, Jesus salva! Ou, você pode ter estado orando quando foi salvo, mas não foi a oração que o salvou, foi uma obra de Deus, pois a salvação é de Deus.

A oração é a maneira de falarmos com Deus, em nome de Jesus, para pedirmos perdão pelos nossos pecados e, também para fazer nossos pedidos a Deus… não querendo dizer que tudo que pedirmos nos será concedido. Deus concede aos cristãos somente o que é de Sua vontade, aquilo que irá nos prejudicar ou até mesmo nos afastar de sua presença não será concedido. Jesus nos ensinou como orar em Mateus 6:5-15, a Oração do Pai Nosso, conhecida por todos os cristãos e também pelos pecadores os quais a usam de maneira incorreta, sem mesmo saber seu verdadeiro significado, sem conseguirem interpretar o que Cristo quis dizer.

Este publicano judeu, cresceu em um lar Judaico, onde havia o costume familiar de oferecer sacrifícios, e sendo assim, tinha conhecimento das razões pelas quais estes sacrifícios eram oferecidos.

Portanto, ele usou a palavra misericórdia, a qual no grego é uma palavra relativa à palavra traduzida “propiciação”, em Romanos 3:25. Este versículo diz que “Ao qual [Jesus] Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue.” A expressão “propôs” significa ser observado, ou ser exposto ao público. A palavra “propiciação” é traduzida “propiciatória”, em Hebreus 9:5, e significa que Jesus foi à realização da propiciação do Velho Testamento. O que está envolvido nisto? Sacrifício, substituto, e aspersão do sangue.

No Velho Testamento, uma vez ao ano havia o dia da expiação. Neste dia, haveriam dois bodes apresentados à porta do tabernáculo ao sumo sacerdote. Lançariam sorte sobre os bodes para determinar qual deles seria uma oferta pelos pecados ou sacrifício, e o outro seria um substituto, chamado de bode emissário. O sumo sacerdote deveria então fazer o sacrifício, seguindo os procedimentos apropriados, e levar o sangue dentro do véu, ao santuário, e aspergir o sangue sobre o propiciatório sete vezes. Então, ele pegaria o bode emissário, colocaria ambas as mãos sobre a sua cabeça, e confessaria todas as iniquidades (pecados) dos filhos de Israel. Uma vez que isto estivesse dado por terminado, o bode emissário seria enviado ao deserto, á terra solitária, onde seria devorado por animais selvagens, para que nunca mais retornasse ao arraial novamente (Levíticos 16:1-28).

Uma vez que isto fosse terminado e aceito por Deus, os pecados do povo estariam cobertos por mais um ano. Esta prática foi seguida ano após ano, até o aparecimento de Jesus, e João anunciou em João 1:29, “Eis o cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. Ele era para ser, e foi, a realização destas práticas do Velho Testamento, quando Deus o propôs para a propiciação. Isto fala de Jesus como nosso Sacrifício, Substituto (bode emissário), e Propiciatório.

No sacrifício, foi um cordeiro inocente que morreu pela culpa. Jesus foi inocente. Ele não tinha pecados. Ele foi sacrificado para mim, o culpado. “Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos”. I Pedro 3:18

Jesus também foi meu substituto (bode emissário), quando Ele tomou meu lugar na cruz. Ele o fez voluntariamente, pois ele disse, “Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem” ( Lucas 23:34 ). Então Deus permitiu que o meu pecado, e o de todas as pessoas, fossem postos sobre o imaculado Filho de Deus, cumprindo assim a simbologia do bode emissário. Naquela situação, Jesus exclamou: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparastes?” ( Mateus 27:46 ). Aquilo foi o clamor do meu pecado. Na cruz, Deus o “propôs”, exposto ao público, ao terrível sofrimento da cruz enquanto Jesus se tornou meu sacrifício, meu substituto.

Enquanto dependurado na cruz, Jesus, através de um milagre de Deus que não posso entender nem explicar, pagou uma eternidade de sofrimentos no inferno por mim. Quando Ele disse, “Tenho sede” (João 19:28), foi à mesma sede que o homem rico sentiu no inferno. Quando Ele disse, “Está consumado” ( João 19:30 ), meus pecados já foram pagos. Finalmente, Ele morreu, e levaram o seucorpo e o enterraram em um túmulo emprestado. Lá Ele foi escondido dos homens, realizando assim o símbolo, do bode emissário deixado em terra solitária para nunca ser visto novamente.
Após três dias e três noites, Jesus foi ressuscitado e ascendeu ao Pai.
Lá, no santuário do céu, dentro do véu, Jesus aspergiu seu próprio sangue sobre um propiciatório não feito por mãos e sentou-se ao lado direito do Pai, significando que o Pai aceitou o perfeito sacrifício pelo pecado. Isaías 53:11 fala do Pai sendo satisfeito, “Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito”. O que haveria de ser um julgamento, é agora um propiciatório.

O compositor que escreveu a música “Um Dia”, resume isto muito bem: “Vivo, me amou; morrendo, me salvou; sepultado, levou consigo meus pecados para longe; ressurgido, me justificou gratuitamente para sempre…” Este coro revela Jesus como nosso sacrifício, substituto, e que Ele aspergiu Seu sangue sobre o propiciatório.

Não é suficiente que isto foi feito, isto deve ser apropriado para cada indivíduo, e isto é feito pela fé em Seu sangue. (Romanos 3:25) Esta fé é mais que uma crença intelectual, tida pelos demônios (Tiago 2:19). Deve ser crido de coração, e para isso deve haver uma obra do Espírito Santo neste indivíduo. É imperativo que o Espírito Santo faça a abençoada obra da tristeza segundo Deus, convicção, arrependimento e fé num indivíduo, antes que este possa invocar o nome do SenhorI Coríntios 12:3 diz, “Ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, senão pelo Espírito Santo”.
Portanto, quando o publicano clamou, “Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!”, ele entendeu que Jesus foi seu sacrifício, substituto e propiciatório. Ele concluiu isto pois foi criado em um lar onde lhe ensinaram algumas coisas sobre a verdade, e um dia o Espírito Santo alvejou seu coração, e ele se expressou pelo exercício da fé de seu coração em Seu sangue, e ele foi salvo.

Agora, rotular isto de “oração do pecador”, é como limitar Deus em uma caixa, e estereotipar todas as experiências de salvação em um pacote. Deus é um Deus de originalidade. Cada experiência de salvação de um homem é diferente, pois é pessoal, ainda que a experiência de cada contenha os mesmos ingredientes.
Você pode ter orado esta oração e ter sido salvo, mas não foi porque você orou. Foi porque o Espírito Santo fez uma obra em você. O problema de hoje é que muitos estão usando de uma estratégia, e pedindo aos homens para orarem a “oração do pecador”, então eles marcam pontos nos seus currículos, dizendo terem ganhado “tantos” ao Senhor, quando na verdade, tudo o que fizeram foi fazer os seus discípulos “duas vezes mais filhos do inferno” (Mateus 23:15). Você pergunta, Por quê? Porquê muitos que repetem esta oração, não têm nenhuma idéia do que “misericórdia” significa. Eles não entendem que Jesus é seu sacrifício, substituto e propiciatório, e eles não o saberão, até que o Espírito Santo tenha feito Sua obra Sagrada, nos seus corações.

Nós devemos sempre estar cientes de que estamos compactuando com as almas dos homens. Nós não somos Deus. Só porque alguém ora, “Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!” não significa que estão salvos. E só porque eles confessaram de boca, não significa que creram de coração. Porque nem todos que dizem: Senhor, Senhor entrarão no reino dos céus.

Quem deu crédito à nossa pregação? e a quem se manifestou o braço do Senhor?.

Isaías 53:1
06/02/2021

Mulher na Liderança da Igreja

Há duas Interpretações:

1a) – Alguns creem que o apóstolo se refere a uma senhora cristã e sua família, que viviam na Cidade de Éfeso.

2a) – Que é a personificação de uma Igreja e seus membros.

Observação: Se a primeira suposição é correta, este seria então o único livro do Novo Testamento dirigido a uma mulher, e alguns torcem esses versículos para apoiar os seus erros.

Ponto para se pensar e analisar:

1a Interpretação O Ancião Senhora Eleita e seu filhos
O Presbítero Pastora Eleita e sua família

Igreja Batista Tradicional Independente:
Quando nós queremos confirmar uma doutrina ou uma verdade bíblica, temos que ter várias correlações ou passagens em outros livros ou capítulos da Bíblia confirmando a mesma verdade; “E este é um assunto muito sério para que Deus deixasse alguma dúvida sobre a verdade”.

O Por que Deste Estudo:

1º) – Por que Deus colocou em mim um enorme desejo de preparar este estudo, e, que este seja somente para honrá-Lo e glorificá-Lo.

2º) – Judas 1:4; Atos 20:28-31 e Infelizmente vemos em nossos dias em várias denominações, mulheres tomando o lugar do homem de Deus.

Vejamos realmente o que, a palavra de Deus, nos diz a este respeito:

“O Ancião à Senhora Eleita e Seus Filhos”. (II João 1:1)
O Ancião = Tradução: Presbítero, Bispo ou Pastor.
Versículos da Bíblia: João Ferreira de Almeida revista e atualizada e Thompson, diz assim:

Presbítero e a Senhora Eleita e seus Filhos.

Seria pouco provável que o Apóstolo tivesse se referindo ao mesmo tempo ao Ancião como Bispo ou Pastor e a Senhora Eleita como Pastora ou Bispa. (Ele poderia simplesmente dizer: “O pastor e sua esposa”).

Não há sentido, ficaria assim:
O Pastor ou Presbítero e a Pastora ou Bispa e a seus filhos.
O Pastor e a Pastora e a seus filhos.

A Importância dos Anciãos começando pelo Velho testamento:
Os homens de Deus que tinham posição e tomavam decisões importantes.
Êxodo 18:12 “Comeram com Arão, Jetro sogro de Moisés e Moisés diante de Deus”.
Êxodo 24:1 e 9-11 “70 Anciãos escolhidos por Moisés para subirem até perto do Monte Sinai: “Momento importante para o povo de Israel”.
I Samuel 15:30 “Saul pede perdão a Deus diante dos Anciãos e Samuel”.
I Reis 12:6-7 “Roboão filho de Salomão tomou conselho com os Anciãos”.
Atos 14:23 “Provavelmente aqui nesse texto refere-se a eleição de Pastor nas Igrejas”.
Atos 15:2-4 “havia um problema a ser resolvido e os Anciãos subiram juntos para Igreja de Jerusalém e lá também encontraram outros apóstolos e Anciãos”.
Atos 15:22-23 “Rito Mosaico” – “Os Anciãos estavam sempre junto com os apóstolos para ajudar a resolver questões difíceis”.
Atos 20:17 “Apóstolo Paulo manda chamar os Anciãos da Igreja de Éfeso e exorta-os a permanecerem na mesma fé”.

As qualificações e os Deveres do Pastor:
Atos 1:21-26 “A Eleição de um Apóstolo para o lugar de Judas Iscariotes”;
Dois varões de bom exemplo que acompanhou todo o começo da Igreja de Cristo: “José e Matias (o eleito)”.
Atos 20:28 “Constitui Bispos”.
Tito 1:5 “Estabelecer Presbítero”.

Observação: Vemos que quando a Bíblia refere-se às qualificações para Bispo ou Pastor só, se refere ao lado masculino e nunca ao feminino”.
I Timóteo 3:1-7 e Tito 1:5-9 “Marido de uma só mulher, sóbrio, honesto, hospitaleiro, não cobiçoso, não espancador, não contencioso, não avarento, não neófito, não soberbo, não iracundo e moderado”.
I Pedro 5:1-4 “Responsabilidade aos Presbíteros”;
O homem de Deus deve ser justo, santo e temperante.

Nomes que a Bíblia se refere à Igreja de Cristo:

“A Senhora Eleita”
1. Salmos 149:1 “Congregação ou Assembléia dos Santos” = Igreja.
2. Hebreus 10:21 “Congregação” = Igreja.
3. I Coríntios 3:9 “Edifício de Deus” = Igreja.
4. Efésios 2:21 “Edifício” = Igreja.
5. I Timóteo 3:15 “Igreja do Deus Vivo Coluna e Firmeza da verdade” = Igreja.
6. I Coríntios 12:27 “Corpo” = Igreja.
7. I Pedro 5:13 “Co-Eleita “Provavelmente a Igreja que estava em Roma” = Igreja.
8. Apocalipse 1:20 “Sete Castiçais e Sete Igrejas da Ásia” = Igreja.
9. Apocalipse 21:9 “Esposa do Cordeiro” = Igreja.

Se a palavra de Deus se refere a Igreja com vários nomes, por que não: “Senhora Eleita” (II João 1:1).

“A Mulher e sua criação”
Agora vejamos na Palavra de Deus (Bíblia) por que e quais foram as necessidades da mulher ser criada, não a desqualificando, mas sim, elogiando a posição que Deus lhe deu.

Por que o homem não pode tomar a posição da mulher e por que foi criada a mulher?
Gênesis 2:18 “Não é bom que o homem fique só. Adjutora = Que auxilia, companheira”.
Gênesis 2:21-24 “A Criação”.
A mulher foi criada da costela do homem; não foi criada da cabeça para não ser o cabeça do lar e nem dos pés para ser pisada pelo homem, mas sim da costela para andar junto e ser companheira, ajudadora.

Qualidades da Mulher

Não há homem que possa fazer melhor o que foi instituído por Deus para a mulher fazer. Foi permitido por Deus o homem dar a luz a um filho? – Não. Da mesma forma também não é permitido por Deus a mulher ser uma Pastora ou dirigir o Rebanho de Deus.
Provérbios 14:1 “Mulher sábia edifica a sua casa”.
Provérbios 31:10 “Mulher de muito valor”.
Provérbios 31:27-31 “Deve ser elogiada e amada na sua posição”.
Efésios 5:22-28 “A esposa deve ser amada e respeitada e deve estar em sujeição ao marido com amor”.

O que é permitido por Deus a mulher fazer? “I Timóteo 2:9-15”

Tito 2:3-5 “Ensinar as mais novas amar os maridos e filhos”.
I Coríntios 14:34-35 “Nas Igrejas – Não somente na Igreja de Corinto”.

Mulheres Cooperadoras na Obra de Deus:

Atos 9:36-40 “Tabita que traduzido significa Dorcas foi ressuscitada pelo Apóstolo Pedro pois era cheia de boas obras”.
Atos 16:13-15 “Lídia servia a Deus”.
Filipenses 4:2-3 “Evódia e Síntique, cooperadoras”.
Colossenses 4:15 “Ninfa cedeu a sua casa para pregação do evangelho – “cooperadora”.
Romanos 16:1-15 “Mulheres cooperadoras Na obra de Deus”.

Nas passagens abaixo podemos ver muitas irmãs valiosas que cooperavam na obra de Deus:

1. “Febe” Serve na Igreja em Cencréia.
2. “Priscila” Esposa de Áquila – ambos cooperadores.
3. “Maria” Não a mãe de Jesus, mas cooperou muito.
4. “Trifena e Trifosa” Provavelmente duas irmãs em Cristo e no sangue que cooperavam muito com a Igreja em Roma.
5. “Pérside” Muito trabalhou para o Senhor.
6. “Mãe de Rufo” e a “mãe do Apóstolo Paulo”, provavelmente duas senhoras que também cooperavam muito com a Igreja.
7. “Júlia” cooperava também com a obra de Deus.

Observação: Analisando todas essas passagens na Bíblia, vemos que as mulheres “irmãs”, as esposas dos Pastores e dos Obreiros e as Senhoras eram de muito valor para a obra de Deus e para o crescimento e propagação do Evangelho de Cristo, mas notamos que a Palavra de Deus nunca se refere a essas “irmãs” como Ministras, Pastoras, Bispas ou até mesmo como Apóstolas, na verdade sim, como mulheres de muito valor que cooperavam com a obra de Deus.

O Ancião e a Senhora Eleita e seus Filhos:

Mateus 28:19-20 “Batizar”.

Bem já falamos do Ancião e da Senhora Eleita, agora falaremos de seus Filhos. Toda pessoa só pode se tornar filho de Deus quando se converte ou aceita a Jesus Cristo como Senhor e Salvador de sua vida e pode fazer parte da Igreja.

Quando eu escrevo uma carta, escrevo para quem eu desejar e me refiro a quem quiser. Então o João só poderia estar se referindo aos “Membros da Igreja” que são Filhos de Deus, irmãos em Cristo, quando enviou essa carta que é a verdadeira Palavra de Deus. Por que o apóstolo se referiria aos filhos de uma senhora cristã? Filhos de crentes não são “crentinhos” como costuma dizer o mundo: “filho de peixe, peixinho é”.

João 1: 11-12 “Filhos de Deus”.
Gálatas 4: 3-7 “Salvação através do sangue de Jesus Cristo” – “Filhos de Deus”.
I João 3: 1-2 “Filhos de Deus” – “Cristão”.
I João 3:9-10 “Nisto é manifesto os Filhos de Deus”
Apocalipse 21:7 “Filhos de Deus”

Da forma que foi escrita, certamente o Apóstolo enviou a carta: Ao Ancião a Senhora Eleita e a seus Filhos; em outras palavras: Ao Presbítero a Igreja Eleita e a seus Membros.

Defender a sã Doutrina: ( Atos 20:28-32 )

A Igreja de Deus foi resgatada com o seu próprio sangue, por isso irmãos e Pastores, vamos preservar a sã Doutrina e não deixar entrar heresias na Igreja e sermos bajuladores uns dos outros.

Elaborado por Sérgio Ricardo de Moraes / Daniel Borges 12/03/2002
Igreja Batista Independente Chácara Santa Maria

Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, aos que crêem no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus.

João 1:11-12
06/02/2021

Fonte da Vida Eterna

O Clone

Certamente você já concluiu que a vida é frágil. Mesmo que não queira pensar ou reconhecer a morte é uma realidade na vida de todos. A vida passa como um conto ligeiro, não é mesmo?

Há anos a medicina tenta encontrar a receita infalível para prolongar a vida. Chegaram aos clones é verdade! Mas não a vida eterna de um indivíduo.

Vamos vaguear com nossas mentes um momento:
O que é um clone? Ele tem a vida eterna? Certamente que não!
Ele tem alma? Certamente que sim!

Então vejamos uma saída para a vida eterna do clone… Não vamos deixar o clone morrer…

Vamos supor que um cientista resolveu perpetuar um ser humano, então teria que fazer um clone desta pessoa pelo menos a cada 60 anos eternamente.

Então me surgem algumas perguntas:
Se o clone fosse seu, poderia considerar que você teria vida eterna? não mesmo! Ao homem está destinado a morrer por causa do pecado. Não há como viver perpetuamente, a não ser pela graça de Deus, o dom gratuito que recebemos de Deus quando cremos no seu amado filho, Jesus Cristo que nos dá vida eterna. “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor” (Romanos 6:23).

Um clone seu seria um clone ou você mesmo? Seria um clone, pois a sua pessoa não mais estaria aqui nesta terra, nem mesmo para ver se o clone parecer-se-ia com você. E mais… cada pessoa, clone ou não tem sua própria alma, pois todos temos que prestar contas a Deus no dia do julgamento, então… Quando você morrer e seu clone continuar sua alma já terá um destino. Se viveu uma vida aqui nesta terra com Cristo, estará no céu caso contrário a situação de sua alma não será muito boa, conforme diz a Palavra de Deus, já estará em tormento eterno no inferno.

Hoje podemos ver na televisão em revistas, falarem da pessoa mais velha do mundo… quantos anos? 120? 130? Quantos anos você acha que pode viver? Normalmente não conseguimos sequer chegar aos 70 anos de idade ainda assim não estaríamos tão disposto. Na Bíblia, Salomão, um grande sábio nos esclarece este ponto: “Os dias da nossa vida chegam a setenta anos, e se alguns, pela sua robustez, chegam a oitenta anos, o orgulho deles é canseira e enfado, pois cedo se corta e vamos voando.” (Salmos 90:10).

Nossa carne para nada se aproveita. Toda carne é pó e ao pó irá retornar, vejamos na Bíblia esta afirmação. “Peço-te que te lembres de que como barro me formaste e me farás voltar ao pó.” (Jó 10:9). “Todos vão para um lugar; todos foram feitos do pó, e todos voltarão ao pó.” (Eclesiastes 3:20).

Por mais que você queira ficar aqui nesta terra… por mais coisas que pensa fazer… por mais coisas que pensa ainda conquistar… por mais que não queira se separar dos entes queridos e das pessoas amadas… um dia terá que morrer, esta é a pura realidade!

Jamais podemos dizer: vou fazer isto ou aquilo, pois não sabemos sequer do minuto seguinte quanto mais do mês ou do ano seguinte. Isto não significa que não devemos planejar ou até mesmo sonhar com nossas conquistas, claro que devemos… Faz parte da nossa vida tudo isto mas, a maneira correta é entregarmos tudo nas mãos de Deus, pois só Ele é conhecedor de todas as coisas. Então devemos sempre dizer: Se for da vontade de Deus, farei tal coisa! Se Deus permitir farei isso ou aquilo!

A Bíblia também nos ensina:

“Eia agora vós, que dizeis: Hoje, ou amanhã, iremos a tal cidade, e lá passaremos um ano, e contrataremos, e ganharemos; Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque, que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece. Em lugar do que devíeis dizer: Se o Senhor quiser, e se vivermos, faremos isto ou aquilo; Mas agora vos gloriais em vossas presunções; toda a glória tal como esta é maligna” (Tiago 4:13-16).

E Você? Também está preocupado em prolongar a sua vida? Já pensou em nunca mais se separar das pessoas amadas? Pois então, porque não vai direto à fonte da vida eterna? “Aquele, porém, que beber da água que Eu lhe der, nunca mais terá sede, porque a água que Eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte (a jorrar) para a vida eterna (João 4:14).

É isso mesmo. Estamos falando de Jesus! Certamente você já deve ter lido livros sobre auto-ajuda e até decorado frases memoráveis de líderes espirituais como: Buda, Ghandi, Maomé e outros. Mas, note bem todos eles levantaram a bandeira da vida, no entanto jamais ousaram afirmar que poderiam dar a vida eterna a alguém, pois não trazem vida em si mesmos. Jesus disse: “Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (João 10:10). Sim, meu amigo, Jesus promete vida em abundância. “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crer em Mim, ainda que morra viverá. (João 11:25).

Vida eterna sem nenhum esforço ou remédio miraculoso. Basta crer em Jesus Cristo e Seu sacrifício por nós. “Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos. Não fostes vós que me escolhestes a Mim; pelo contrário, Eu vos escolhi… (João 15:13 e 16).

Vejamos agora o que a própria Bíblia diz a respeito do homem.

“Parai de confiar no homem, cujo fôlego está no seu nariz” (Isaías 2:22)

“Todavia, o homem, apesar das suas riquezas, não permanece, antes, é como os animais que perecem”(Salmos 49:12).
“Porque somos estrangeiros diante de ti, e peregrinos como todos os nossos pais; como a sombra são os nossos dias sobre a terra, e sem ti não há esperança.” (I Crônicas 29:15).
“Todos estes morreram na fé, sem terem recebido as promessas; mas vendo-as de longe, e crendo-as e abraçando-as, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra.” (Hebreus 11:13).
“Eis que fizeste os meus dias como a palmos; o tempo da minha vida é como nada diante de ti; na verdade, todo homem, por mais firme que esteja, é totalmente vaidade. (Selá.)” (Salmos 39:5).
“Lembra-te de que a minha vida é como o vento; os meus olhos não tornarão a ver o bem.” (Jó 7:7).
“Porque Toda a carne é como a erva, E toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor;” (I Pedro 1:24).
“E o rico em seu abatimento; porque ele passará como a flor da erva.” (Tiago 1:10).
Tenha certeza, a nossa vida passa assim como todas as coisas que há no mundo passarão:
“Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo; E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.” (I João 2:16-17).
“Uma geração vai, e outra geração vem; mas a terra para sempre permanece.” (Eclesiastes 1:4).

A solução definitiva:

Jesus é a única fonte de vida eterna! Ele veio a este mundo a fim de proporcionar vida a todos nós. Quem toma uma atitude correta e aceita Cristo permanece para sempre. Isto Cristo mesmo nos promete:
“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna; Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele; Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.” ( João 3:16-18 ).

Hoje é o tempo aceitável! Decida agora tomar posse desta fonte pois a promessa é:

“Aquele que beber da água que Eu lhe der nunca mais terá sede” (João 4:14).

Parai de confiar no homem, cujo fôlego está no seu nariz.

Isaías 2:22
06/02/2021

José de Arimatéia

Tudo que sabemos sobre José de Arimatéia é o que está registrado na Palavra de Deus, nos quatro evangelhos, e nada podemos acrescentar.

Qual era sua importância na sociedade?

“José de Arimatéia, ilustre membro do sinédrio, que também esperava o reino de Deus, cobrando ânimo foi Pilatos e pediu o corpo de Jesus. Admirou-se Pilatos de que já tivesse morrido; e chamando o centurião, perguntou-lhe se, de fato, havia morrido. (Marcos 15:43-44).

Como podemos ver na passagem acima, José de Arimatéia foi um homem ilustre e de poder, ele era membro do Sinédrio como Senador, e esperava o Reino de Deus.

Sinédrio, Conselho ou Concílio, era o Supremo Tribunal dos antigos judeus até a destruição de Jerusalém em 70 A.D. Consistia de 71 membros, inclusive o presidente. Não há prova de que se originou com a escolha dos 70 anciãos no tempo de Moisés (Números 11:16-17). É mais provável que iniciou no tempo do rei Josafá (II Crônicas 19:8). É atribuída a Josefo a primeira menção do Sinédrio; escreveu a divisão da Palestina em cinco synedria (57 A.C.). O Sinédrio julgava os casos criminosos ou administrativos que diziam respeito a uma tribo ou a uma cidade. Era especialmente um tribunal de apelação. Tinha a competência de poder aplicar a pena capital. O Sinédrio se reunia em uma câmara importante de pedra lavrada. Seus ilustres membros assentavam-se formando um semicírculo, com o acusado na sua frente. A polícia executava as ordens deste tribunal. (Mateus 26:47; João 18:12). O Sinédrio tem a responsabilidade da maior tragédia de toda a história, Mateus 26:59; Marcos 14:55; 15:1; Lucas 22:66 e João 11:47. Devemos notar, contudo, que entre os membros deste Sinédrio estava Nicodemos (João 3:1-21; 5:50-52 e 19:39), que se converteu; e José de Arimatéia (João 19:38). Pedro, João e outros apóstolos perante o mesmo tribunal (Atos 4:5; 6:15; 5:21, 27, 34). Estevão, cristão, levado ao Sinédrio (Atos 6:12). Paulo, o grande apóstolo, (Atos 20:30; 23:1, 15 e 24:20.

Quais eram suas qualidades?
“Então um homem chamado José, natural de Arimatéia, cidade dos judeus, membro do sinédrio, homem bom e justo, o qual não tinha consentido no conselho e nos atos dos outros, e que esperava o reino de Deus” (Lucas 23:50-51).

Pelo que a Palavra de Deus no texto acima relata, José de Arimatéia nasceu em Arimatéia, uma cidade dos judeus, de onde provém seu nome, era um homem honrado, de poder, reconhecido na cidade e também um homem justo e de bem e que não consentia com os atos incorretos dos outros.

Qual foi sua importância na vida e também na morte de Jesus?
Vejamos o que diz em João:

“Depois disto, José de Arimatéia, que era discípulo de Jesus, embora oculto por medo dos judeus, rogou a Pilatos que lhe permitisse tirar o corpo de Jesus; e Pilatos lho permitiu. Então foi e o tirou. E Nicodemos, aquele que anteriormente viera ter com Jesus de noite, foi também, levando cerca de cem libras duma mistura de mirra e aloés. Tomaram, pois, o corpo de Jesus, e o envolveram em panos de linho com as especiarias, como os judeus costumavam fazer na preparação para a sepultura. No lugar onde Jesus foi crucificado havia um jardim, e nesse jardim um sepulcro novo, em que ninguém ainda havia sido posto. Ali, pois, por ser a véspera do sábado dos judeus, e por estar perto aquele sepulcro, puseram a Jesus”. (João 19:38-42).

Em Mateus:
“Ao cair da tarde, veio um homem rico de Arimatéia, chamado José, que também era discípulo de Jesus. Esse foi a Pilatos e pediu o corpo de Jesus. Então Pilatos mandou que lhe fosse entregue. E José, tomando o corpo, envolveu-o num pano limpo, de linho, e depositou-o no seu sepulcro novo, que havia aberto em rocha; e, rodando uma grande pedra para a porta do sepulcro, retirou-se”. (Mateus 27:57-60).

Em Marcos:
“José de Arimatéia, ilustre membro do sinédrio, que também esperava o reino de Deus, cobrando ânimo foi Pilatos e pediu o corpo de Jesus. Admirou-se Pilatos de que já tivesse morrido; e chamando o centurião, perguntou-lhe se, de fato, havia morrido. E, depois que o soube do centurião, cedeu o cadáver a José; o qual tendo comprado um pano de linho, tirou da cruz o corpo, envolveu-o no pano e o depositou num sepulcro aberto em rocha; e rolou uma pedra para a porta do sepulcro”. (Marcos 15 43:46).

E também em Lucas:
“Então um homem chamado José, natural de Arimatéia, cidade dos judeus, membro do sinédrio, homem bom e justo, o qual não tinha consentido no conselho e nos atos dos outros, e que esperava o reino de Deus, chegando a Pilatos, pediu-lhe o corpo de Jesus; e tirando-o da cruz, envolveu-o num pano de linho, e pô-lo num sepulcro escavado em rocha, onde ninguém ainda havia sido posto. Era o dia da preparação, e ia começar o sábado. E as mulheres que tinham vindo com ele da Galiléia, seguindo a José, viram o sepulcro, e como o corpo foi ali depositado”. (Lucas 23:50-55).

Segundo o que diz a Bíblia, nas passagens de João e Mateus, que este homem era um discípulo de Jesus. Ele o seguia ocultamente por medo dos judeus. E mesmo receoso, podemos notar nos quatro Evangelhos; João, Mateus, Marcos e Lucas que José de Arimatéia pediu a Pilatos o corpo de Jesus para sepulta-lo e, juntamente com Nicodemos que também era cristão, fez um enterro honrado para Jesus colocando-O num sepulcro novo escavado nas rochas, onde além de ser um jardim, jamais havia sido enterrado alguém.

José de Arimatéia era um cristão?

Podemos dizer quase com convicção que sim, pois tudo que nos mostra a Palavra de Deus, indica que era um homem convertido, um cristão. Vejamos onde podemos tirar tais conclusões pela própria Bíblia.

Aguardava o Reino de Deus ( Marcos 15:43 ).
Apesar de ser um homem rico e reconhecido na sociedade por ser um membro do Sinédrio ( Mateus 27:57 ) era bom, Justo e não consentiu no Conselho nos atos incorretos dos outros ( Lucas 23:50-51 ).
Era um discípulo de Jesus, mas oculto com medo dos judeus ( João 19:38 ).
Demonstrou que honrou a Jesus pondo-O pedindo deu corpo e colocando-O em um sepulcro escavado na rocha onde era um jardim e ninguém ainda havia sido sepultado. ( João 19:40-42Marcos 15:46Mateus 27:59-60 e Lucas 23:53 ).

Na Palavra de Deus, a Bíblia, às vezes alguma passagem nos parece sem sentido, ou até mesmo que não se encaixam no contexto da história, mas devemos olhá-las com carinho e estudá-las com muita atenção pois, sabemos que não há contradições na Bíblia. Por exemplo: José de Arimatéia, embora pareça ter surgido simplesmente, ter aparecido do nada… não é o que realmente aconteceu. Embora cristão, assim como Nicodemos faziam parte do Sinédrio, e tinha por obrigação julgar causas.

Alguns dos julgamentos, inclusive, eram dos próprios cristãos, como podemos ver acima na pequena abertura que fiz do significado do Sinédrio. Observamos que Paulo, Pedro, Estevão e outros foram levados a julgamento por este Concílio.

Sabemos também que naquele tempo, os judeus não suportavam os crentes. Para os cristãos louvar a Deus ou orar não havia igreja com portas abertas. O culto a Deus não podia ser feito às claras, eles eram feitos nas casas, nas cavernas das montanhas e outros locais, normalmente nas madrugadas, às escondidas. Ninguém poderia sequer imaginar que estavam sendo feitos tais cultos, senão seriam levados à corte, ao Sinédrio e certamente seriam condenados à morte. Por este motivo é que José de Arimatéia não era muito evidente nos Evangelhos. Mas no momento em que Cristo precisou dele, ainda que na sua morte, uniu-se ao seu irmão em Cristo, Nicodemos, e cuidou de Jesus, fazendo seu sepultamento e ficou no aguardo do cumprimento da Palavra de Deus que seria a Sua ressurreição.

Jesus chorou.

João 11:35
06/02/2021

Reencarnação

De acordo com muitos estudiosos, a reencarnação surgiu, em primeiro lugar, por causa da teoria do espírito ou alma imaterial, quando o homem, não compreendendo o complexo mecanismo do sonho, que até hoje se tenta desvendar, ao se encontrar em lugares distantes sem haver saído do seu leito, imaginou ser, não somente um ser físico, mas um corpo e uma entidade imaterial que podia sair do corpo e viajar enquanto o corpo estivesse em repouso. Essa entidade, à qual chamou espírito, é que comandava toda sua vida, sendo o corpo apenas um instrumento comandado por esse espírito.

Depois do espírito, se criou a crença em que um mesmo espírito possuía várias vidas, isto é, vários corpos sucessivamente, encarnando um ao sair do outro que morresse (reencarnação). Assim começou o espiritismo, em tempos muito remotos.

O espiritismo moderno considera a reencarnação um coisa apenas dos humanos, o quais, unicamente, segundo eles, possuem espírito: “O espírito de um homem que já viveu pode voltar em outro corpo e conservando os “mesmos poderes” (qualidades morais e conhecimentos), a fim de cumprir missões ou expiações necessárias ao progresso do mundo e/ou do espírito do encarnado” (Jornal Espírita, Abril de 1993, página 4).

Algumas das religiões mais primitivas, no entanto, creem que as reencarnações são alternadas entre humanos e irracionais, ou até vegetais, como se extrai da Nova Enciclopédia Larousse de Mitologia: “As almas dos mortos não raro transmigram para o corpo de animais, ou podem até mesmo reencarnar em plantas. É por este motivo que, os zulus não matam certos tipos de cobra que eles creem ser espíritos de parentes”. (O Homem em Busca de Deus, da Sociedade Torre de Vigia, página 56).

Nos dias de Moisés, eram conhecidas algumas práticas espíritas entre o povo de Israel mas, não o povo cristão, aqueles que seguiam a Lei de Moisés, os que criam em Deus. A Lei Mosaica, todavia, considerava abominável a consulta aos mortos.

Os necromantes (aqueles que consultam os mortos) já existiam naquela época, mas não deviam ser consultados pelos filhos de Israel. Deus falou com Moisés: “Não vos virareis para os adivinhadores e encantadores; não os busqueis, contaminando-vos com eles. Eu sou o SENHOR vosso Deus.” (Levíticos, 19:31).

Deus alertava o povo através de Moisés que a pena para quem procurasse estes adivinhadores e consultores dos mortos era a morte: “Quando alguém se virar para os adivinhadores e encantadores, para se prostituir com eles, eu porei a minha face contra ele, e o extirparei do meio do seu povo.” (Levíticos, 20: 6).

Não só quem buscasse por este tipo de prática mas, também qualquer israelita que praticasse a necromancia, também tinha a morte como recompensa de sua abominável prática: “Quando, pois, algum homem ou mulher em si tiver um espírito de necromancia ou espírito de adivinhação, certamente morrerá; serão apedrejados; o seu sangue será sobre eles.” (Levíticos, 20: 27).

Mas essa recomendação nem sempre foi obedecida. O povo não conseguiu guardar qualquer Lei, nunca houve homem e jamais haverá que guarde todos os mandamentos de Deus pois todos são pecadores, não há justo, não um bom sequer, e podemos nos certificar quando Paulo diz aos Romanos: “Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer.” (Romanos 3:10) e também dito por Davi em Salmos: “DISSE o néscio no seu coração: Não há Deus. Têm-se corrompido, fazem-se abomináveis em suas obras, não há ninguém que faça o bem.” (Salmos 14:1; 53:1).

A teoria da reencarnação, ao contrário da crença no espírito imaterial, era estranha ao povo de Israel, jamais sendo mencionada em todo o texto do Velho Testamento. Outras fontes, porém, informam ser ela antiqüíssima, remontando a tempos anteriores à Bíblia, não obstante desconhecida daquele povo.

Jó, um homem realmente temente a Deus em todo o seu sofrimento disse: “Oxalá me escondesses na sepultura, e me ocultasses até que a tua ira se fosse; e me pusesses um prazo, e te lembrasses de mim!” (Jó 14:13) “Morrendo o homem, porventura tornará a viver? Todos os dias de meu combate esperaria, até que viesse a minha mudança.” (Jó, l4: 14). Era assim que ele cria: “…o homem se deita, e não se levanta: enquanto existirem os céus não acordará, nem será despertado do seu sono” (Jó, 14: 12).

Salomão não cria na existência de consciência após a morte: “Ora, para aquele que está na companhia dos vivos há esperança, pois melhor é o cão vivo do que o leão morto, porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma” (Eclesiastes, 9:4-5).

Daniel, em sua última visão, disse ter recebido a mensagem Angélica: “Bem-aventuradoo que espera e chega até mil trezentos e trinta e cinco dias. Tu, porém, vai até ao fim; porque descansarás, e te levantarás na tua herança, no fim dos dias.” (Daniel, 12: 12-13).

Por outro lado, há um registro bíblico “único” que alguns entendem que essa doutrina reencarnacionista já era do conhecimento de cristãos: “Caminhando Jesus, viu um homem cego de nascença. E os seus discípulos perguntaram: Mestre, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Respondeu Jesus: Nem ele pecou, nem seu pais; mas foi para que se manifestem nele as obras de Deus” (João, 9: 1-3).

Certamente os discípulos imaginaram a hipótese de ser o pecado do próprio cego ou de seus pais a causa de ele nascer assim mas, não significa que eles acreditavam na idéia de o homem ter mais de uma vida; pois só assim ele poderia pecar e depois nascer cego como castigo. A resposta do mestre, contudo, não confirmou a crença dos discípulos e nem poderia pois o que Cristo estava dizendo é que aquele homem havia nascido cego para que Cristo o curasse e a Glória de Deus fosse manifestada e os homens pudessem crer. “Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar.Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo. Tendo dito isto, cuspiu na terra, e com a saliva fez lodo, e untou com o lodo os olhos do cego.” (João 9:4-6). Leia o restante do Capítulo 9 de João pois ele te esclarecerá melhor qual era realmente o motivo.

Vou deixar aqui uma pergunta para se pensar a respeito: “Para os que crêem na reencarnação, como poderá este cego melhorar ou consertar seu erros se Cristo o Salvou e curou interrompendo sua jornada?

Paulo, o Apóstolo, ao que me dá a entender, quis prevenir os cristãos contra alguém que devia estar pregando entre eles a teoria de que o homem passa por várias vidas e mortes; podemos notar claramente que é totalmente contrário ao que ensinam os reencarnacionistas, pois escreveu ele na Palavra de Deus: “…aos homens está ordenado, morrerem UMA SÓ VEZ, depois disto o juízo” (Hebreus, 9: 27). O cristão jamais passará pela segunda morte, apenas os ímpios depois de serem julgados.

“Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O que vencer não receberá o dano da segunda morte.” (Apocalipse 2:11). Aqui quando Cristo fala às Igrejas da Ásia, é aquele que fizer a vontade de Deus e cumprir seus mandamentos, aquele que permanecer na doutrina cristã.

“Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte; mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele mil anos.” (Apocalipse 20:6). Nesta passagem, revelação de Jesus Cristo dada por Deus a João na Ilha de Patmos, fala da promessa de Deus aos cristãos verdadeiros que têm Cristo comoúnico Salvador, os que nasceram de novo em Cristo, àqueles que ressuscitaram com Jesus, (João 3:3 e 7) estes jamais passarão pela segunda morte e reinarão com Cristo no milênio.

“E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte.” (Apocalipse 20:14). O inferno com todos que nele há serão lançados no lago de fogo, que é a segunda morte. O Inferno existe, esta passagem é clara e nos informa deste perigo. O inferno foi criado por Deus, não para os homens e sim para Satanás e seus anjos e também para aqueles que não aceitam o sacrifício de Cristo na cruz e o tornam Senhor de suas vidas como Salvador e também para aqueles que se esquecem de Deus. Assim como nós os cristãos somos herdeiros de Deus e coerdeiros de Cristo no Reinos dos Céus… Satanás recebeu como herança o inferno e todos aqueles que não se converterem a Jesus se afastando de Deus serão herdeiros de Satanás e coerdeiros de seus anjos.

“E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados.” (Romanos 8:17).
“Para que, sendo justificados pela sua graça, sejamos feitos herdeiros segundo a esperança da vida eterna.” (Tito 3:7)

“Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte.” (Apocalipse 21:8). E finalmente, neste trecho da Palavra de Deus, um relação, certamente que não esta completa, daqueles que não entrarão no Reino dos Céus e sofrerão a segunda morte.

Seria Este um Apoio?

Dois pontos bíblicos são usados no sentido de conseguir apoio para a teoria da reencarnação:

João Batista era “Elias, que estava para vir”?. Em Mateus diz: “Porque todos os profetas e a lei profetizaram até João e, se quereis dar crédito, é este o Elias que havia de vir.” (Mateus 11:13-14).

Assim afirmam ser a reencarnação.

Ora, se reencarnação é um corpo com o espírito de outro que já morreu, João não podia ser reencarnação de Elias; pois Elias, segundo a Bíblia, não morreu, enquanto caminhava com Eliseu foi tomado vivo e subiu ao céu num redemoinho: “E sucedeu que, indo eles andando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho.”II Reis 2:11). Para admitir sua reencarnação, teríamos que afirmar o inaceitável, que Elias, após subir vivo ao céu, sem passar pela morte na Terra, tenha morrido no céu, para se reencarnar em João.

Roma, a cidade que dominava “sobre os reis da terra”, como vemos em ( Apocalipse, 17: 18 ) “E a mulher que viste é a grande cidade que reina sobre os reis da terra.” nos dias apostólicos, era “Babilônia” conforme a Palavra de Deus em Apocalipse 17:5 “E na sua testa estava escrito o nome: Mistério, a grande Babilônia, a mãe das prostituições e abominações da terra.” Veja também ( Apocalipse 18: 1 a 24. ) Não se tratava de nenhuma reencarnação, mas Roma tinha o espírito de Babilônia, assim como João tinha “o espírito de Elias”, isto é o caráter e o poder de Elias; “sua missão era converter os corações dos pais aos filhos”, como a missão de Elias; era um profeta como Elias. “E irá adiante dele no espírito e virtude de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, e os rebeldes à prudência dos justos, com o fim de preparar ao Senhor um povo bem disposto.” (Lucas 1:17).

Nascer de novo é a expressão que usam com toda ênfase possível para apoiar a reencarnação. Outro equívoco.

Jesus, quando em sua linguagem figurada explicou muito bem o que é nascer de novo: “Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.” (João 3:3). Então Nicodemos em sua ignorância do assunto perguntou a Jesus: “Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?” (João 3:4). que é o que pregam os reencarnacionistas. Jesus, porém, explicou que não era nenhum novo nascimento físico, mas uma renovação espiritual: “Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus.” “o que é nascido da carne (nascer fisicamente) é carne; o que é nascido do espírito é espírito. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito (uma nova mentalidade, novo caráter) é espírito.” (João, 3:5-6).

Nós os cristãos sabemos e cremos que somos salvos pela graça que é um dom de Deus, conforme a Palavra de Deus, onde Paulo fala aos Efésios: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.” (Efésios 2:8) e também em outro versículo que diz: “Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos),” (Efésios 2:5), ainda assim vamos imaginar se a condição para a salvação, para a vida eterna, fosse a reencarnação; certamente esta condição não estaria à escolha do homem; pois ninguém escolhe se vai ou não reencarnar. Se assim fosse, Paulo um dos maiores apóstolos, um verdadeiro homem de Deus e mensageiro do evangelho de Cristo, teria pregado para os cristãos de Éfeso e outras cidades circunvizinhas morrerem e tornarem a nascer, ao invés de ter falado tão claramente deste novo nascimento ao dizer: “quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências do engano, e VOS RENOVEIS NO ESPÍRITO DO VOSSO ENTENDIMENTO, e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão e procedentes da verdade.” (Efésios, 4: 22 a 24).

Paulo, sentindo-se no fim da vida, longe de pensar que iria ter uma outra vida pelo espírito reencarnado, esperava ter sua recompensa “naquele dia”, o dia do Juízo Divino, na “sua vinda” (parúsia de Cristo. A volta gloriosa de Jesus Cristo, Sua segunda vinda, no final dos tempos, para estar presente ao Juízo Final). “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda.” (II Timóteo, 4: 7-8).

Cristo, ao invés de afirmar que os habitantes de Cafarnaum teriam novas reencarnações para pagarem seus pecados, afirmou que seriam punidos havendo para eles rigor maior do que para a terra de Sodoma, mas “no dia do juízo”. A Bíblia nos diz assim: “E tu, Cafarnaum, que te ergues até aos céus, serás abatida até aos infernos; porque, se em Sodoma tivessem sido feitos os prodígios que em ti se operaram, teria ela permanecido até hoje. Eu vos digo, porém, que haverá menos rigor para os de Sodoma, no dia do juízo, do que para ti.” (Mateus, 11: 23 e 24). Totalmente contrário ao que diz o Jornal Espírita, Abril de 1993, página 4: “cumprir missões ou expiações necessárias ao progresso … do espírito do encarnado.

Nenhum ensinamento encontramos na Bíblia que nos dê a ideia de outras vidas, senão uma aqui no mundo e outra no reino celeste ou no inferno após a vinda de Cristo. O único texto em que poderia haver algum tipo de dúvida sobre o homem ter ou não mais de uma vida recebeu explicação totalmente satisfatória, veja Capítulo 9 de João

A Pretensa Fotografia de Um Morto

De muitas afirmações espíritas não há como provar nem a veracidade nem a falsidade, uma vez que são coisas da fé, sem qualquer evidência material. Algumas vezes, porém, vão além, querendo dar provas materiais, chegando a afirmar coisas absurdas e inaceitáveis como o que transcrevo a seguir:

Na Cidade de Lençóis Paulista em São Paulo, em um show para 20.000 pessoas, em maio de 98, o cantor Daniel foi fotografado no palco duas vezes, por uma jovem chamada Verônica, que é grande admiradora de músicas sertanejas. Surpreendentemente, nas duas fotos apareceu a imagem de João Paulo que fora seu companheiro, desencarnado, ao lado de Daniel. A perícia técnica considerou autênticos os negativos e aventou como explicação uma possível imagem tremida.” (Visão Espírita, janeiro, 1999, pág. 8).

Se não tivesse assistido a prova do fato pela televisão, eu não poderia opinar sobre a pretensa foto de João Paulo. Mas o que o perito demonstrou é que, assim como havia a sombra próximo de Daniel, havia uma para cada lâmpada, para o microfone e outras peças no palco.

Então se a sombra próximo de Daniel era o espírito de João Paulo, a sombra que aparecia igualmente junto ao microfone seria o espírito de um outro microfone acabado? A que aparecia junto de cada lâmpada seria o espírito da lâmpada anterior que se havia queimado?

Acho os espíritas bem mais racionais do que muitos que se dizem religiosos; mas aceitar esta da foto depois da explicação do perito, é por demais grotesco

Não resta qualquer dúvida que a foto refletiu uma sombra de Daniel, assim como refletiu das lâmpadas e outras peças existentes no palco!

Respondeu-lhe Jesus: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? porventura pode tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer? Jesus respondeu: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.

João 3:3-6
06/02/2021

Como Você Crê?

O Que Diz a Bíblia…

“Mas já está próximo o fim de todas as coisas; portanto sede sóbrios e vigiai em oração. I Pedro 4:7”

I. COMO VOCÊ CRÊ NA BÍBLIA Cremos que todas as palavra da Bíblia, nas suas línguas originais são inspiradas por Deus, e é a única, exclusiva e suficiente regra de fé e prática (II Timóteo 3:16-17; II Pedro 1:20-21; Isaías 8:20; Provérbios 30:5-6; Apocalipse 22:18-19; I Coríntios 2:13; Mateus 5:18). Os acontecimentos mostram e provam que a Bíblia é a Palavra de Deus.

II. COMO VOCÊ CRÊ EM DEUS Cremos que Deus é uma Trindade composta por três membros: Pai, Filho e Espírito Santo, todos com funções distintas porém harmoniosas (Mateus 28:19-20; I Coríntios 8:5-6; II Coríntios 13:13; Mateus 3:16-17).

III.COMO VOCÊ CRÊ NO PECADO Cremos que o homem foi criado sem pecado, mas no entanto perdeu sua posição de inocência, assim sendo, todo homem é pecador por natureza e vontade e, portanto, incapaz obter sua salvação por meio de seus próprios esforços (Romanos 5:12; 3:9-23; 5:19; Efésios 2:1-3; Salmos 51:5; Jeremias 17:9; Gálatas 3:22; Eclesiastes 7:20,29).

IV.COMO VOCÊ CRÊ NA SALVAÇÃO Cremos que a salvação provém, exclusivamente, da graça de Deus sem esforços, obras, ou méritos do homem (Efésios 2:8-10; Romanos 11:6; II Timóteo 1:9; Isaías 55:1; Tito 3:3-7; Apocalipse 21:6; 22:17).

V. COMO VOCÊ CRÊ NO ARREPENDIMENTO E A FÉ Cremos que o arrependimento e a fé são necessários para a salvação e significam uma verdadeira conversão, de uma vida de pecado, a uma vida nova em Cristo (Atos 20:21; Lucas 13:1-5; Atos 16:30-31; Marcos 1:15; Atos 11:18; Efésios 2:8; Romanos 10:9-11; Tito 2:11-14; II Coríntios 5:17).

VI. COMO VOCÊ CRÊ NA REGENERAÇÃO Cremos que a regeneração, ou seja, o novo nascimento, faz parte de uma conversão autêntica, efetuada pelo Espírito Santo no pecador elegido, resultando na comunicação de uma nova vida, um novo espírito, ou um novo coração os quais se manifestam através de uma mudança de vida chamada de “frutos do arrependimento” (João 3:3-6; 10:27; II Coríntios 5:17; Ezequiel 36:26-27; Tito 3:5-7; Efésios 4:20-24; Mateus 3:8).

VII. COMO VOCÊ CRÊ NA JUSTIFICAÇÃO Cremos que o pecador é justificado, eternamente, por Deus a partir do instante em que crê em Cristo como seu Salvador; a justificação significa o perdão dos pecados e a submissão definitiva do indivíduo ao favor de Deus (Atos 13:39; Romanos 5:1; 8:1; 3:24-26).

VIII. COMO VOCÊ CRÊ NA SANTIFICAÇÃO Cremos que através da santificação Deus torna santa a vida do crente, dia a dia, visando sua perfeição completa quando da ressurreição do corpo (Romanos 6:11-23; I Tessalonicenses 4:3-5; 5:23; II Coríntios 7:1; Provérbios 4:18; Filipenses 2:12-13).

VIX. COMO VOCÊ CRÊ NA SEGURANÇA DOS SALVOS Cremos que o verdadeiro crente está eternamente seguro em Cristo, podendo perder por descuido a comunhão com Deus mas nunca a sua filiação (I Pedro 1:3-5; João 10:27-30; Colossenses 3:1-4; João 5:24; Romanos 8:28-33; 8:35-39; II Timóteo 1:12; Tiago 4:7).

X. COMO VOCÊ CRÊ NA VINDA DE CRISTO Cremos na Parousia (ou parúsia), isto é, que Cristo virá em Pessoa pela segunda vez a esta terra; Ele será visto por todos os homens em todos os lugares (Atos 1:11; I Tessalonicenses 4:13-18; Apocalipse 1:7).

XI. COMO VOCÊ CRÊ NA CONDENAÇÃO “Inferno” (João 3:18-19) Cremos que as pessoas que não receberam de Jesus a salvação prometida, vão diretamente para o inferno ao morrerem, passando a sofrer também o castigo eterno, por não se arrependerem de seus pecados e rejeitar a vida eterna que há em “Jesus Cristo” (Apocalipse 14:10-11; 19:20; 20:10 e 14-15; 21:8; Mateus 25:41 e Marcos 9:43-48).

Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem.

Hebreus 11:1
05/02/2021

Oração do Pai Nosso – Meditação

Jesus Cristo nos ensina a orar… (Lucas 11:2-4).

Cristão: Pai nosso que estais no céu…

Deus: Sim? Pode falar, estou aqui.

Cristão: Por favor, não me interrompa, estou orando!

Deus: Mas você me chamou!

Cristão: Chamei? Eu não chamei ninguém. Estou orando. Pai nosso que estás no céu…

Deus: Aí, você me chamou novamente.

Cristão: Fiz o que?

Deus: Você me chamou. Você disse: Pai nosso que estais no céuEstou aqui. Em que e como é que posso ajudá-lo? Eu sei tudo que é necessário a você, mas é necessário que você mesmo peça. “… porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes”. (Mateus 6:8).

Cristão: Mas eu não quis dizer isso. É que estou orando. Quando oro o Pai Nosso, como Jesus seu Filho Amado ensinou me sinto bem rezando assim. É como se fosse um dever. E não me sinto bem até cumpri-lo…

Deus: Mas como pode dizer Pai Nosso, sem reconhecer a minha grandeza, minha majestade? (II Crônicas 20:6; Lucas 9:43)Sem sequer lembrar dos seus irmãos, do seu próximo e principalmente dos seus inimigos? Como pode dizer que estais no céu, se você não sabe que o céu é a paz e o amor a todos? Meu Filho Amado, Jesus, ensinou muito bem estas coisas (Lucas 11:2-4 e Mateus 6:9-13)Essa oração não deve se tornar uma vã repetição de palavras e sim sentimentos do coração. “E orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque pensam que pelo seu muito falar serão ouvidos”. (Mateus 6:7).

Cristão: É, realmente ainda não havia pensado nisso.

Deus: Mas, prossiga sua oração.

Cristão: Santificado seja o Vosso nome…

Deus: Espere um momento! O que você quer dizer com isso?

Cristão: Quero dizer… Quer dizer, é… Não sei o que significa. Como é que vou saber? Faz parte da oração, só isso!

Deus: Santificado significa honrado, venerado e digno de respeito. Eu sou Santo, Sagrado. (Isaias 57:15), e a obrigação do pecador é reconhecer que estou acima de tudo, como provedor de todas as coisas. (Filipenses 2:9).

Cristão: Agora entendi. Mas nunca havia pensado no sentido dessa frase tão maravilhosa: “…Santificado seja o teu nome; venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra, como no céu…”.

Deus: Está falando sério?

Cristão: Claro! Por que não?

Deus: E o que você faz para que isso aconteça?

Cristão: O que faço? Nada! É que faz parte da oração, além disso, seria bom que o Senhor tivesse um controle de tudo o que acontecesse no céu e na terra também.

Deus: Tenho controle sobre você e tudo que no mundo há! Você não sabe que sou Onipresente, Onisciente (Salmos 11:4) e Onipotente? (Ezequiel 1:24).

Cristão: Bem, eu frequento a Igreja!

Deus: Não foi isso que Eu perguntei. Frequentador de igreja não fará farte do meu Reino Celestial, seu lugar será muito triste. Quero saber como você tem tratado seus irmãos, tem gasto seu dinheiro, tem empregado seu patrimônio, tem remido seu tempo… Quanto tempo você dá à televisão e aos seus lazeres, e o pouco tempo que você dedica a Mim? Porque é tão difícil ficar 40 minutos ouvindo Minha Palavra na Igreja se você vai ao cinema e fica 2 ou 3 horas e não reclama?

Cristão: Por favor. Pare de criticar!

Deus: Você havia dito que a minha vontade fosse feita. Para que isso aconteça é necessário que seja um cristão que ora com fervor, um cristão que traz à tona todo o seu mais puro e sincero sentimento, um cristão que aceita ao Meu Amado Filho não só como Senhor, mas principalmente como Salvador de suas vidas e passam a andar pelos Seus caminhos, semente dessa forma poderão Me ver e aceitar a minha vontade o frio, o sol, a chuva, a natureza, os ventos, o meu grande amor, mas também a minha correção, minhas críticas, meu juízo. “Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus”. (Mateus 5:8).

Cristão: Está certo, o Senhor tem razão. Acho que nunca aceitei aa Suas vontades. Reclamo de tudo: se mandar chuva, peço sol, se manda o sol reclamo do calor, se manda frio, continuo reclamando, se estou doente peço saúde, mas não cuido dela, se estou desempregado peço emprego, começo a trabalhar me esqueço de devolver a Sua parte… Gasto R$ 100,00 num Shopping, mas hesito em Te dar R$ 10,00.

Deus: Ótimo reconhecer tudo isso, Eu estou gostando dessa nova atitude sua. Já que você está reconhecendo vou estar sempre junto com você, mas tenha certeza vamos ter vitórias, derrotas, muitas tribulações e aflições.
“Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”. (João 16:33).
“E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência”. (Romanos 5:3).

Cristão: Olha Senhor, preciso terminar agora. Esta oração está demorando muito mais do que costuma ser. Vou continuar: “o pão nosso de cada dia nos daí hoje…”

Deus: Pare aí! Você está me pedindo pão material? Na minha Palavra, a Bíblia, Meu Filho Jesus deixou bem claro esse assunto: “E Jesus lhe respondeu, dizendo: Está escrito que nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra de Deus”. (Lucas 4:4). Quando você me pedir o pão aprenda que você não deve se preocupar com o dia de amanhã, você deve pedir apenas o necessário. Eu conheço todas as suas necessidades e vou supri-las. Mas se lembre daqueles que nem conhecem pão. Eu estou interessado na próxima parte de sua oração. Continue!

Cristão: “Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido…”

Deus: E o seu próximo? Aquele a quem você tem desprezado?

Cristão: Está vendo? Olhe Senhor, ele me já criticou várias vezes e não era verdade o que dizia. Agora não consigo perdoar. Preciso me vingar.

Deus: Mas, e sua oração? O que quer dizer sua oração? Você me chamou, e eu estou aqui, quero que você saia daqui puro e limpo de coração, estou gostando de você ser honesto. Mas não é bom carregar o peso da ira dentro de você, não acha?

Cristão: Acho que iria me sentir melhor se me vingasse!

Deus: Não vai não! Vai se sentir pior. A vingança não é tão doce quanto parece. Pense na tristeza que me causaria, pense na sua tristeza agora. Eu posso mudar tudo para você. Basta você querer.

Cristão: Pode? Mas como?

Deus: Perdoa seu irmão, Eu perdoarei você e o aliviarei.

Cristão: Mas Senhor, eu não posso perdoá-lo.

Deus: Então não me peça perdão também!

Cristão: Mais uma vez está certo! Mais do que quero vingar-me, quero a paz com o Senhor. Está bem, está bem; eu perdoo a todos, mas ajuda-me Senhor. Mostra-me o caminho certo para mim e meus inimigos.

Deus: Isto que você pede é maravilhoso, estou muito feliz com você. E você como está se sentindo?

Cristão: Bem, muito bem mesmo! Para falar a verdade, nunca havia me sentido assim! É tão bom falar com Deus.

Deus: Ainda não terminamos a oração. Prossiga…

Cristão: “E não deixeis cair em tentações, mas livrai-nos do mal…”

Deus: Ótimo, vou fazer justamente isso, mas não se ponha em situações onde possa ser tentado.

Cristão: O que quer dizer com isso?

Deus: Deixe de andar na companhia de pessoas que o levam a participar de coisas impuras, intrigas, fofocas, encontros onde existem bebidas alcoólicas. Abandone a maldade, o ódio, limpe seu coração. Isso tudo vai levá-lo para o caminho errado. E quando precisar de Mim, aqui estarei. Se você não me abandonar, jamais te abandonarei.

Cristão: Não estou entendendo!

Deus: Claro que entende! Você já fez isso comigo várias vezes. O mundo é cheio de males e você se deixa levar, entra no erro, depois corre a me pedir socorro. Como meu amor é infinito e tenho muita misericórdia não querendo que nenhum dos meus se percam, sempre estou pronto a ouvir. Se você perseverar em oração e vigiar, você estará sempre se santificando e purificando cada vez mais seu coração. “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito na verdade, está pronto, mas a carne é fraca”. (Mateus 26:41).

Cristão: Puxa, como estou envergonhado, perdoa-me Senhor!

Deus: Claro que perdôo! Sempre perdôo a quem está disposto a perdoar também, mas não esqueça, quando me chamar, lembre-se de nossa conversa, medite em cada palavra que fala! Termine sua oração.

Cristão: Terminar? Ah, sim, “Amém!”

Deus: O que quer dizer amém?

Cristão: Não sei. É o final da oração.

Deus: Você só deve dizer amém quando aceita dizer tudo o que eu quero, quando concorda com minha vontade, quando segue os meus mandamentos, porque AMÉM quer dizer: assim seja, concordo com tudo que orei.

Cristão: Senhor, obrigado por me ensinar esta oração e agora obrigado por fazer-me entendê-la.

Deus: Eu amo cada uma das minhas criaturas, o que não posso é compactuar com o pecado, “Sabemos que Deus não ouve a pecadores; mas, se alguém for temente a Deus, e fizer a sua vontade, a esse ele ouve”. (João 9:31).

“Porque qualquer que pede recebe; e quem busca acha; e a quem bate abrir-se-lhe-á”. (Lucas 11:10) por isso é que amo mais ainda aqueles que querem sair do erro, que querem ser libertos do pecado e se tornarem meus Verdadeiros Filhos. Eu te abençoo e fica com minha paz!

“Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome”. (João 11:10).

Cristão: Obrigado, Senhor! Estou muito feliz em saber que o Senhor é Meu Verdadeiro Amigo.

Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes.

Mateus 6:8