Tag: política

07/05/2021

Vereadores Aprovam Aumento de IPTU

Reajuste para imóveis residenciais será de até 20%;
para os comerciais, de até 35%.

Projeto foi aprovado em segunda votação e irá para sanção do prefeito

A Câmara dos Vereadores de São Paulo aprovou na noite desta quinta-feira, segunda votação, o Projeto de Lei do Executivo que prevê o aumento do Imposto Predial e Territorial Urbano para a cidade de São Paulo no próximo ano. A aprovação permite o aumento de até 35% para os imóveis comerciais e 20% para os residenciais. Agora, o projeto vai para a sanção do prefeito Fernando Haddad (PT).

Vereadores Discutem Durante a Sessão que Aprovou o Aumento do IPTU na Capital Paulista

Vereadores Discutem Durante a Sessão que Aprovou o Aumento do IPTU na Capital Paulista

Para imóveis com valorização superior a esses percentuais, haverá novos reajustes até 2017. Nos próximos três anos, o limite será de 15% para os imóveis comerciais e 10% para os residenciais. O valor final será condicionado pela atualização da Planta Genérica de Valores, ou seja, o valor venal do imóvel. Pela legislação, a planta é revisada a cada quatro anos.

O projeto foi aprovado por 29 vereadores. Outros 26 votaram contra. Também ficou definido que os aposentados que ganhem até três salários mínimos e tenham apenas uma residência ficam isentos do pagamento do imposto. Haverá descontos progressivos para aqueles que estiverem nessa situação e que tenham vencimentos entre quatro e cinco salários mínimos.

Para quem ganhe entre três e quatro salários, haverá um desconto de 50%. Para quem estiver entre aqueles com vencimentos entre quatro e cinco salários o desconto será de 30%.

De acordo com a Prefeitura, no próximo ano, o aumento médio do IPTU na capital ficará em 14,1%, sendo que a média do aumento do IPTU para imóveis residenciais pagantes ficará em torno de 10,7%. O número de contribuintes isentos permanecerá estável em cerca de um milhão. O total de contribuintes na cidade é de cerca de 3 milhões.

O vereador Marco Aurélio Cunha (PSD), que votou contra o aumento, diz que houve um esgotamento de pagamento por parte da sociedade. “Há pessoas de 70, 80 anos, que não tem renda e vão ter de pagar uma fortuna de IPTU. Eles estão em zonas que sofreram valorização, mas o IPTU chegou a um ponto em que vão ter de deixar suas casas. Tenho muito respeito pelo prefeito Fernando Haddad, mas acho que ele não percebeu que a cidade quer algo um pouco diferente”, disse.

Cunha ainda lembrou os vereadores que eles podem ter problemas no futuro. “Não andem na rua porque as pessoas que votaram em vocês vão querer encontrá-los”.

O líder do governo na Câmara, Arselino Tatto (PT), afirmou que o prefeito Fernando Haddad foi informado imediatamente do resultado e agradeceu o apoio dos vereadores. “Ele gostou, ficou feliz. É um projeto a favor da cidade”, disse ele.

O vereador Ricardo Young (PPS) disse que o governo deveria agradecer a oposição. “Demos inúmeras chances para que os vereadores repensassem o projeto, mas nem assim houve uma proposta mais razoável”.

Veja como votaram os vereadores:

A Favor do Aumento do I.P.T.U

Alessandro Guedes (PT);
Alfredinho (PT);
Ari Friedenbach (Pros);
Arselino Tatto (PT);
Atílio Francisco (PRB);
Calvo (PMDB);
Conte Lopes (PTB);
George Hato (PMDB);
Jair Tatto (PT);
Jean Madeira (PRB);
José Américo (PT);
Juliana Cardoso (PT);
Laércio Benko (PHS);
Marquito (PTB);
Milton Leite (DEM);
Nabil Bonduki (PT);
Nelo Rodolfo (PMDB);

Noemi Nonato (PROS); [ Que pena! Alguém que sempre admirei muito! ]
Orlando Silva (PCdoB);
Paulo Fiorilo (PT);
Paulo Frange (PTB);
Pastor Edmílson Chaves (PP);
Reis (PT);
Ricardo Nunes (PMDB);
Ricardo Teixeira (PV);
Senival Moura (PT);
Souza Santos (PSD);
Vavá (PT);
Vadih Mutran (PP).

Contra o Aumento do I.P.T.U

Os vereadores oposicionistas Patrícia Bezerra (PSDB), Gilberto Natalini (PV) e Mário Covas Neto (PSDB) utilizam nariz de palhaço durante a sessão - Foto Vagner Magalhães

Os vereadores oposicionistas Patrícia Bezerra (PSDB), Gilberto Natalini (PV) e Mário Covas Neto (PSDB) utilizam nariz de palhaço durante a sessão – Foto Vagner Magalhães

Adilson Amadeu (PTB);
Andrea Matarazzo (PSDB);
Aurélio Miguel (PR);
Aurélio Nomura (PSDB);
Claudinho Souza (PSDB);
Coronel Camilo (PSD);
Coronel Telhada (PSDB);
Dalton Silvano (PV);
David Soares (PSD);
Edir Sales (PSD);
Eduardo Tuma (PSDB);
Floriano Pesaro (PSDB);
Gilson Barreto (PSDB);
Goulart (PSD);
José Police Neto (PSD);
Marco Aurélio Cunha (PSD);
Mário Covas Neto (PSDB);
Marta Costa (PSD);
Gilberto Natalini (PVP);
Ota (PROS);
Patrícia Bezerra (PSDB);
Ricardo Young (PPS);
Roberto Tripoli (PV);
Sandra Tadeu (DEM);
Toninho Paiva (PR);
Toninho Vespoli (Psol).

Que tal pensarmos bem na hora de VOLTARMOS ÀS URNAS?
Podemos escolher melhor dessa vez!!!
Ah! Não podemos esquecer que a proposta foi do prefeito Fernando Haddad (PT).

Curiosidade !!?
Notaram que a maioria dos vereadores que votaram a favor foi do PT?
Notaram que a maioria dos vereadores que votaram a contra foi do PSDB?
Que tal darmos o troco nas urnas e mudar de legenda?

Ah! E não esqueçam do MENSALÃO que está dando em pizza…
Prestemos atenção em quem está votando contra ou a favor das cassações e mandados de prisão…

MENSALÃO é FICHINHA PERTO DA LAVA-JATO e DELAÇÕES PREMIADAS
Eu me pergunto: “Em quem iremos votar já que não está sobrando NINGÉM?
Se pegarmos todos os políticos e dividirmos por 3, SIM, porque visto que 2/3 deles estão envolvidos nesta “robalheira sem fim”, sobra apenas 1/3
E destes 1/3 quantos estão no meu estado? No seu estado?

Terra

O temor do Senhor aumenta os dias; mas os anos os impios serão abreviados. A esperança dos justos é alegria; mas a expectação dos ímpios perecerá. O caminho do Senhor é fortaleza para os retos; mas é destruição para os que praticam a iniqüidade. O justo nunca será abalado; mas os ímpios não habitarão a terra. A boca do justo produz sabedoria; porém a língua perversa será desarraigada. Os lábios do justo sabem o que agrada; porém a boca dos ímpios fala perversidades.

Provérbios 10 27:32
07/05/2021

Políticos Corruptos da Lista de Edson Fachin

Estamos atrasados, mas… antes tarde que mais tarde! Já começamos a limpa no Brasil. É claro que o que temos hoje não significa, em minha opinião, nem 10% da corrupção no Brasil, mas… é um avanço.

O primeiro político a ser preso aconteceu só em 2010. O deputado federal Natan Donadon (MDB-RO), foi acusado de participação de desvio de cerca de R$ 8 milhões da Assembleia Legislativa de Rondônia.

Podemos contar agora com a Operação Lava Jato com Juiz Sérgio Moro. Até agora se tem levantado que pode ter gerado mais de R$ 40 bilhões de prejuízo aos cofres públicos. Segundo o Ministério Público do Estado do Paraná (MPPR), a operação Lava Jato é a maior investigação de corrupção e lavagem de dinheiro que o Brasil já teve. Até março de 2017, a Operação Lava Jato resgatou R$ 11,5 bilhões apenas com acordos firmados por órgãos como o CADE e o MPF.

Mas afinal por que no Brasil há tantos casos de corrupção?
Respondendo simplesmente, em minha opinião, é porque Nossas Leis protegem os mais afortunados, e, são tantos envolvidos [de certa forma uma teia de aranha] que é difícil condenar um sem levar o outro. Assim uns protegem os outros para não se complicarem.

São tantos as formas de defesa que vá se arrastando indefinidamente, muitas vezes até a prescrição; Os tais dos Habeas Corpus, Embargos de Declaração, Embargos Infringentes, Embargos dos Embargos, e são tantos embargos que sequer temos tal compreensão completa do que significa, mas… posso garantir que, apesar de dizerem que serve para todos, eu poderia dizer que tudo isso serve apenas para ALGUNS com mais dinheiro.

Agora é Oficial:

Saiu a lista de Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF. Ministros, governadores, senadores, prefeitos, deputados, ex-políticos e figuras públicas

A lista oficial do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), finalmente foi divulgada

Lista de Edson Fachin

Confira a relação completa dos dos políticos investigados pela operação LAJA JATO que podem perder o foro privilegiado

O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF, no último dia 04/04/2017, Fachin determinou abertura de inquérito contra nove ministros do governo Michel Temer, 29 senadores e 42 deputados federais. A relação, porém, vinha sendo mantida em sigilo.

A lista tem nomes de peso na política nacional, como Aécio Neves (PSDB), José Serra (PSDB), Renan Calheiros (MDB), Aloysio Nunes (PSDB), Cássio Cunha Lima (PSDB), Fernando Collor (PTC) e Romero Jucá (MDB), além dos presidentes do Senado e da Câmara.

Apesar de citado nas delações da Odebrecht, o presidente Michel Temer (MDB) não está na lista.
Até janeiro, o relator do caso no STF era o ministro Teori Zavascki – morto em acidente aéreo no dia 19 de janeiro na região de Paraty (RJ) –, que comandava a operação no âmbito do tribunal desde o início.

No início de fevereiro de 2017, por decisão dos demais ministros e após sorteio, Fachin herdou de Teori os processos da Lava Jato que estão no STF.
Entre as acusações contra as autoridades com foro privilegiado estão os crimes de corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, e há também descrições a formação de cartel e fraude em licitações.

Quatro ex-presidentes estão citados na “Lista de Fachin”, integrada pelos alvos de inquéritos autorizados pelo ministro Luiz Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato do Supremo Tribunal Federal (STF), após as delações da Odebrecht, contém citações a todos os ex-presidentes da República ainda vivos – Dilma Rousseff (PT), Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Fernando Henrique Cardoso (PSDB), Fernando Collor de Mello (PTC) e José Sarney (MDB) – além de Michel Temer, atual ocupante do cargo.

Lava Jato - Juiz Sérgio Moro

Lava Jato – Juiz Sérgio Moro

PRESIDENTES

Michel Temer (MDB-SP)

EX-PRESIDENTES

Lula – Luis Inácio Lula da Silva (PT-SP)
Lula é um dos 10 ex-presidentes mais corruptos do mundo diz a revista inglesa The Economist.
Condenado a 12 anos e um mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro e,
após o julgamento de um pedido de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal, teve seu
pedido de prisão decretado pelo juiz federal Sergio Moro.
Completa hoje [15/09/18] 200 dias preso na sede da Polícia Federal, em Curitiba
Dilma Rousseff (PT)
Fernando Henrique Cardoso (PSDB)
Fernando Collor de Mello (PTC-AL)
José Sarney (MDB)

MINISTROS

Eliseu Padilha (MDB-RS), Casa Civil
Gilberto Kassab (PSD-SP), Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações
Moreira Franco (MDB), Secretária-geral da Presidência da República
Roberto Freire (PPS-SP), Cultura
Bruno Araújo (PSDB), Cidades
Aloysio Nunes Ferreira (PSDB), Relações Exteriores
Marcos Pereira (PRB), Indústria, Comércio Exterior e Serviços
Blairo Maggi (PP), Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Helder Barbalho (MDB-PA), Integração Nacional

SENADORES

Senador Romero Jucá Filho (MDB-RR)
Senador Aécio Neves da Cunha (PSDB-MG)
Senador Renan Calheiros (MDB-AL)
Senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE)
Senador Paulo Rocha (PT-PA)
Senador Humberto Sérgio Costa Lima (PT-PE)
Senador Edison Lobão (MDB-MA)
Senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)
Senador Jorge Viana (PT-AC)
Senadora Lidice da Mata (PSB-BA)
Senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR)
Senador José Agripino Maia (DEM-RN)
Senadora Marta Suplicy (MDB-SP)
Senador Ciro Nogueira (PP-PI)
Senador Dalírio José Beber (PSDB-SC)
Senador Ivo Cassol (PP-RO)
Senador Lindbergh Farias (PT-RJ)
Senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM)
Senadora Kátia Regina de Abreu (MDB-TO)
Senador Fernando Afonso Collor de Mello (PTC-AL)
Senador José Serra (PSDB-SP)
Senador Eduardo Braga (MDB-AM)
Senador Omar Aziz (PSD-AM)
Senador Valdir Raupp (MDB-RO)
Senador Eunício Oliveira (MDB-CE) — presidente do Senado Federal
Senador Eduardo Amorim (PSDB-SE)
Senadora Maria do Carmo Alves (DEM-SE)
Senador Garibaldi Alves Filho (MDB-RN)
Senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES)
Senador Antônio Anastasia (PSDB-MG)

DEPUTADOS FEDERAIS

Deputado Federal Alfredo Nascimento (PR-AM)
Deputado Federal Andres Sanchez (PT-SP)
Deputado Federal Anibal Ferreira Gomes (MDB-CE)
Deputado Federal Antônio Brito (PSD-BA)
Deputado Federal Arlindo Chinaglia (PT-SP)
Deputado Federal Arthur Oliveira Maia (PPS-BA)
Deputado Federal Betinho Gomes (PSDB-PE)
Deputado Federal Beto Mansur (PRB-SP)
Deputado Federal Cacá Leão (PP-BA)
Deputado Federal Carlos Zarattini (PT-SP)
Deputado Federal Celso Russomano (PRB-SP)
Deputado Federal Daniel Almeida (PCdoB-BA)
Deputado Federal Daniel Vilela (MDB-GO)
Deputado Federal Décio Lima (PT-SC)
Deputado Federal Dimas Fabiano Toledo (PP-MG)
Deputado Federal Fábio Faria (PSD-RN)
Deputado Federal Felipe Maia (DEM-RN)
Deputado Federal Heráclito Fortes (PSB-PI)
Deputado Federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ)
Deputado Federal Jarbas de Andrade Vasconcelos (MDB-PE)
Deputado Federal João Carlos Bacelar (PR-BA)
Deputado Federal João Paulo Papa (PSDB-SP)
Deputado Federal José Carlos Aleluia (DEM-BA)
Deputado Federal José Mentor (PT-SP)
Deputado Federal José Otávio Germano (PP-RS)
Deputado Federal José Reinaldo (PSB-MA), por fatos de quando era governador do Maranhão
Deputado Federal Júlio Lopes (PP-RJ)
Deputado Federal Jutahy Júnior (PSDB-BA)
Deputado Federal Lúcio Vieira Lima (MDB-BA)
Deputado Federal Luiz Fernando Faria (PP-MG)
Deputado Federal Luiz Sergio (PT-RJ)
Deputado Federal Marco Maia (PT-RS)
Deputada Federal Maria do Rosário (PT-RS)
Deputado Federal Mário Negromonte Jr. (PP-BA)*
Deputado Federal Milton Monti (PR-SP)
Deputado Federal Missionário José Olímpio (DEM-SP)
Deputado Federal Nelson Pellegrino (PT-BA)
Deputado Federal Ônyx Lorenzoni (DEM-RS)
Deputado Federal Paes Landim (PTB-PI)
Deputado Federal Paulinho da Força (SD-SP)
Deputado Federal Paulo Henrique Lustosa (PP-CE)
Deputado Federal Pedro Paulo (MDB-RJ)
Deputado Federal Roberto Balestra (PP-GO)*
Deputado Federal Rodrigo Garcia (DEM-SP)
Deputado Federal Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara
Deputado Federal Sandes Júnior (PP-GO)
Deputado Federal Vander Loubet (PT-MS)
Deputado Federal Vicente “Vicentinho” Paulo da Silva (PT-SP)
Deputado Federal Vicente Cândido (PT-SP)
Deputado Federal Waldir Maranhão (PSDB-MA)*
Deputado Federal Walter Alves (MDB-RN)
Deputada Federal Yeda Crusius (PSDB-RS)
Deputado Federal Zeca Dirceu (PT-SP)
[ José Carlos Becker de Oliveira e Silva, Clara Becker e José Dirceu de Oliveira e Silva ]
Deputado Federal Zeca do PT (PT-MS)
[ José Orcírio Miranda dos Santos ]

* A Procuradoria Geral da República (PGR) pediu o arquivamento das investigações sobre os deputados, mas o pleito ainda não foi analisado pelo STF.

GOVERNADORES

Governador Renan Filho (MDB-AL)
Governador Robinson Faria (PSD-RN)
Governador Tião Viana (PT-AC)
Robinson Faria (PSD-RN)

TCU

Vital do Rêgo Filho, Ministro do Tribunal de Contas da União

PREFEITOS

Rosalba Ciarlini (PP-RN), Prefeita Municipal de Mossoró/RN e ex-governadora do Estado

EX-POLÍTICOS, FIGURAS PÚBLICAS e OUTROS

Valdemar da Costa Neto (PR) — ex-deputado
Luís Alberto Maguito Vilela, ex-Senador da República
Edvaldo Pereira de Brito, ex-candidato a senador pela Bahia em 2010
Oswaldo Borges da Costa, ex-presidente da Codemig (MG)
Cândido Vaccarezza (ex-deputado federal)
Guido Mantega (ex-ministro)
César Maia (DEM), vereador e ex-prefeito do Rio de Janeiro
Paulo Bernardo da Silva, então ministro de Estado
Eduardo Paes (MDB), ex-prefeito do Rio de Janeiro
José Dirceu, ex-ministro
Ana Paula Lima (PT-SC), deputada estadual
Márcio Toledo, arrecadador das campanhas da senadora Marta Suplicy (MDB)
Napoleão Bernardes, Prefeito Municipal de Blumenau/SC
João Carlos Gonçalves Ribeiro, ex-secretário de Planejamento do Estado de Rondônia
Ulisses César Martins de Sousa, ex-Procurador-Geral do Estado do Maranhão
Rodrigo de Holanda Menezes Jucá, filho de Romero Jucá
Paulo Vasconcelos, marqueteiro de Aécio Neves
Eron Bezerra, marido da senadora Grazziotin
Moisés Pinto Gomes, marido da senadora Kátia Abreu
Humberto Kasper
Marco Arildo Prates da Cunha
Vado da Farmácia, ex-prefeito do Cabo de Santo Agostinho
José Feliciano

Quase todos nós sabemos e conhecemos nossos deveres e direitos, mas pouco podemos deles usufruir. Mas podemos VOTAR e com esse voto acabar, ou de certa forma, ajudar a acabar com a CORRUPÇÃO. Então pensemos bem na hora de VOLTARMOS ÀS URNAS PARA VOTAR EM 2018 ou 3m 2022.
Podemos escolher melhor dessa vez!!!
Ah! Não podemos nos esquecer de consultar a lista acima e também acompanhar as mídias com novos nomes para eliminarmos de vez da vida política. ESSA SERIA NOSSA RESPOSTA À CORRUPÇÃO.
Eu me pergunto: “Em quem iremos votar já que não está sobrando quase NINGUÉM?”.
Se pegarmos todos os políticos e dividirmos por 3, SIM, porque visto que 2/3 deles estão envolvidos nesta “robalheira sem fim”, sobra apenas 1/3
E destes 1/3 quantos estão no meu estado? No seu estado?
Eu me pergunto muito mais:
Precisamos de tantos políticos para NÃO nos representar?
Por que 81 Senadores? Ao invés de 03 Senadores por Estado, por que não apenas 2? Sabe quanto já economizaríamos com isso?
Para que servem 513 Deputados Federais? Porque não apenas 02 ou 03 por Estado; Temos 27 Estados no Brasil, então teríamos apenas 81 Deputados Federais. Já pensou na economia para o País?

PENSE BEM NISSO!

Pragmatismo Político

O temor do Senhor aumenta os dias; mas os anos os impios serão abreviados. A esperança dos justos é alegria; mas a expectação dos ímpios perecerá. O caminho do Senhor é fortaleza para os retos; mas é destruição para os que praticam a iniqüidade. O justo nunca será abalado; mas os ímpios não habitarão a terra. A boca do justo produz sabedoria; porém a língua perversa será desarraigada. Os lábios do justo sabem o que agrada; porém a boca dos ímpios fala perversidades.

Provérbios 10 27:32
07/05/2021

5 Acusações que Pesam Contra Lula

Antes de considerar uma volta à presidência do Brasil, Lula terá de responder como réu a cinco processos que poderiam levá-lo à prisão

5 Acusações que Pesam Contra Lula

Luiz Inácio Lula da Silva tem o sonho de voltar a ser presidente do Brasil em 2018, mas antes terá de responder como réu a cinco processos – se não surgirem tantos outros enquanto isso – que poderão levá-lo para a prisão.

Lula enfrentou, em Curitiba, o juiz Sérgio Moro, e respondeu sobre a suposta propriedade do triplex que teria sido oferecido a ele pela construtora OAS como retribuição a favores ilegais no âmbito do escândalo do Petrolão.

Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) publicou 06/02/2018 a decisão, chamada de acórdão, do julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no caso do triplex em Guarujá (SP). Os desembargadores da 2ª instância decidiram aumentar a pena de Lula para 12 anos e 1 mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Estas são as acusações que pesam contra ele: as três primeiras no âmbito da “Operação Lava Jato”, a quarta na “Operação Zelotes” e a quinta na “Operação Janos”

Apartamento triplex

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi preso neste sábado (dia 07/04/2018) por volta de 18h40, em São Bernardo do Campo (SP), na grande São Paulo.
Ele entregou-se à Polícia Federal após a segunda tentativa de saída do sindicato. Na primeira vez, foi impedido pela militância que chegou a quebrar o portão para impedi-lo.
Durante o ato ecumênico realizado pela manhã no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC em homenagem à ex-primeira-dama Marisa Letícia, morta em 2017, Lula anunciou que se entregaria.

5 Acusações que Pesam Contra Lula

O Ministério Público afirma que Lula recebeu propina no valor de 3,7 milhões de reais por parte da construtora OAS, que teria pagado um total de 87,6 milhões por baixo da mesa a políticos e funcionários públicos.
Segundo a denúncia, a empresa teria oferecido ao ex-presidente um apartamento triplex no Guarujá, São Paulo, quando ainda estava no poder, e financiou o armazenamento de seus bens pessoais entre 2011 e 2016, incluindo o acervo de presentes recebidos durante seus anos na presidência.

Léo Pinheiro, ex-presidente de OAS, confessou à justiça que o apartamento foi reservado – e em seguida reformado – para Lula e sua esposa Marisa Leticia, falecida em agosto passado, depois do fim de seu mandato. Mas Lula afirma que o MP mente e que a confissão de Pinheiro foi obtida mediante pressão.
“Para provar que sou o proprietário, tem que ter recibo, registro em cartório, uma escritura. Se eu não paguei, não tenho a chave e se a empresa dá o apartamento como garantia de vários empréstimos que efetuei, então o apartamento não pode ser meu”, afirmou ao canal SBT.

Instituto Lula

Outro caso em mãos do juiz Moro. Investiga se se a construtora Odebrecht deu 12 milhões de reais para comprar um terreno em São Paulo onde se localiza o Instituto Lula como parte de um acordo para distribuir subornos recebidos pelo PT.
A transferência finalmente não aconteceu, mas, segundo o MP, prova que o PT tinha “uma conta corrente informal com a corrupção” com a Odebrecht e que o delito consumado está configurado pela simples proposta e aceitação do suborno. O instituto nega qualquer irregularidade.
A denúncia afirma que a Odebrecht também teria pagado um apartamento contíguo ao que Lula mora em São Bernardo e que uma terceira pessoal o alugou da falecida esposa do ex-presidente para maquiar a situação: “Há indícios de que, de fato, é do ex-presidente Lula, que o teria recebido como um suborno do Grupo Odebrecht”, afirma a denúncia.

Aviões de combate

Neste processo, Lula é acusado de lavagem de dinheiro e tráfico de influência na compra, por parte do Estado brasileiro, de caças suecos Gripen por 5 bilhões de dólares, que foi concretizada durante a presidência de Dilma Rousseff.
Segundo a investigação, Lula recebeu 2,25 milhões de reais através da empresa de de seu filho Luís Cláudio “para influenciar Dilma Rousseff na compra de caças Gripen da SAAB”.
Os delitos fora classificados como “de uma complexidade absolutamente incomum, que envolveram negociações bilionárias do governo federal em Brasília, e atos políticos da mais elevada autoridade da República”.
Neste processo, Lula também foi denunciado por supostamente interceder a favor de montadoras na concessão de benefícios fiscais.

Compra de silêncio

Este processo investiga a denúncia do ex-senador do PT, Delcídio do Amaral, que afirma que o ex-presidente participou em um plano para comprar o silêncio de um ex-diretor da Petrobras envolvido no Petrolão.
Junto com o banqueiro André Esteves (ex-presidente do BTG Pactual), o empresário e fazendeiro, amigo de Lula, José Carlos Bumlai, e o próprio Delcídio, o ex-presidente teria tentado calar o ex-diretor da área Internacional da Petrobras, Nestor Cerveró, que pretendia assinar um acordo de delação premiada com a justiça para fornecer detalhes sobre o funcionamento do esquema de propinas na estatal.

Angola

Neste caso, Lula é acusado de tráfico de influência, corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa junto a Marcelo Odebrecht entre 2008 e 2015.
“Lula influenciou a política de concessão de financiamentos internacionais do BNDES, com a interveniência de outros órgãos públicos federais já citados, para favorecimento direto da empresa Odebrecht, determinando aos órgãos competentes que a concentrassem nos países da África (como Angola) e América Latina, afirma a denúncia.
A contraprestação foi avaliada em 20,6 milhões de reais na forma de uma participação nos negócios da Exergia Brasil, empresa de um de seus sobrinhos.

Eu me pergunto: “Quem Quer Lula de Volta?

Disputas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade é fonte de lucro;

I Timóteo 6:5
07/10/2018

Bolsonaro e Haddad Vão ao 2º Turno em 28/10

Bolsonaro teve 46,06% dos votos válidos contra 29,24% de Haddad;

A onda conservadora ampliou a presença do PSL no Congresso,

O resultado do primeiro turno foi 46,06% para Jair Bolsonaro (PSL), 29,24% para Fernando Haddad (PT), 12,47% para Ciro Gomes, 4,76% para Geraldo Alckmin (PSDB), 2,5% para João Amoêdo (Novo) . 1,26% para Cabo Daciolo (Patriota), 1,20% para Henrique Meirelles (MDB) e 1% para Marina Silva (Rede).

O resultado da votação em cada região do Brasil

– Centro-Oeste: 58% Bolsonaro, 21% Haddad, 10% Ciro.
– Nordeste: 26% Bolsonaro, 51% Haddad, 17% Ciro.
– Norte: 43% Bolsonaro, 37% Haddad, 9% Ciro.
– Sudeste: 53% Bolsonaro, 19% Haddad, 12% Ciro.
– Sul: 57% Bolsonaro, 20% Haddad, 9% Ciro.
– Exterior: 59% Bolsonaro, 10% Haddad, 14% Ciro.

Presidentes

Partido

Votos

% Válidos

Jair Bolsonaro

PSL

49.275.358

46,06

Fernando Haddad

PT

31.341.839

29,28

Ciro Gomes

PDT

13.344.074

12,47

Geraldo Alckmin

PSDB

5.096.277

4,76

João Amoedo

NOVO

2.679.596

2,50

Cabo Daciolo

PATRIOTAS

1.348.317

1,26

Henrique Meirelles

MDB

1.288.941

1,20

Marina Silva

REDE

1.069.538

1,00

Álvaro Dias

PODEMOS

859.574

0,80

Guilherme Boulos

PSOL

617,115

0,58

Vera Lúcia

PSTU

55.769

0,05

José Maria Eymael

DC

41.708

0,04

João Goulart Filho

PPL

30.176

0,03

Deputados Federais

Partido

Votos

% Válidos

Celso Russomanno

PRB

1.524.361

7.26

Tiririca

PR

1.016.796

4.84

Pastor Marco Feliciano

PSC

398.087

1.9

Bruno Covas

PSDB

352.708

1.68

Rodrigo Garcia

DEM

336.151

1.6

Carlos Sampaio

PSDB

295.623

1.41

Duarte Nogueira

PSDB

254.051

1.21

Ricardo Tripoli

PSDB

233.806

1.11

Samuel Moreira

PSDB

227.210

1.08

Paulinho da Força

SD

227.186

1.08

Baleia Rossi

PMDB

208.352

0.99

Eduardo Cury

PSDB

185.638

0.88

Marcio Alvino

PR

179.950

0.86

Major Olimpio Gomes

PDT

179.196

0.85

Jorge Tadeu

DEM

178.771

0.85

Bruna Furlan

PSDB

178.606

0.85

Luiza Erundina

PSB

177.279

0.84

Vitor Lippi

PSDB

176.153

0.84

Silvio Torres

PSDB

175.310

0.83

Andres Sanchez

PT

169.834

0.81

Ivan Valente

PSOL

168.928

0.8

Miguel Haddad

PSDB

168.278

0.8

Alex Manente

PPS

164.760

0.78

Jefferson Campos

PSD

161.790

0.77

Guilherme Mussi

PP

156.297

0.74

Arnaldo Jardim

PPS

155.278

0.74

Mara Gabrilli

PSDB

155.143

0.74

Missionário José Olímpio

PP

154.597

0.74

Vanderlei Macris

PSDB

148.449

0.71

Zarattini

PT

138.286

0.66

Antonio Bulhões

PRB

137.939

0.66

Arlindo Chinaglia

PT

135.772

0.65

Eli Corrêa Filho

DEM

134.138

0.64

Roberto Alves

PRB

130.516

0.62

Ana Perugini

PT

121.681

0.58

Gilberto Nascimento

PSC

120.044

0.57

Vicente Cândido

PT

117.652

0.56

Papa

PSDB

117.590

0.56

Milton Monti

PR

115.942

0.55

Floriano Pesaro

PSDB

113.949

0.54

Ricardo Izar

PSD

113.547

0.54

Arnaldo Faria de Sá

PTB

112.940

0.54

Edinho Araujo

PMDB

112.780

0.54

Nelson Marquezelli

PTB

112.711

0.54

Paulo Teixeira

PT

111.301

0.53

Paulo Freire

PR

111.300

0.53

Alexandre Leite

DEM

109.708

0.52

Evandro Gussi

PV

109.591

0.52

Luiz Lauro Filho

PSB

105.247

0.5

Ota

PSB

102.963

0.49

Nilto Tatto

PT

101.196

0.48

Herculano Passos

PSD

92.583

0.44

Goulart

PSD

92.546

0.44

Orlando Silva

PC do B

90.641

0.43

Flavinho

PSB

90.437

0.43

Vicentinho

PT

89.001

0.42

Walter Ihoshi

PSD

88.070

0.42

Renata Abreu

PTN

86.647

0.41

Valmir Prascidelli

PT

84.419

0.4

José Mentor

PT

82.368

0.39

Eduardo Bolsonaro

PSC

82.224

0.39

Vinicius Carvalho

PRB

80.643

0.38

Roberto de Lucena

PV

67.191

0.32

Dr Sinval Malheiros

PV

59.362

0.28

Disputas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade é fonte de lucro;

I Timóteo 6:5