Tag: utilidade pública

03/03/2021

Ajuste os Detalhes no Google Ads

Os ajustes são fundamentais para o sucesso dos anúncios

Antes de qualquer coisa, dê uma pausa na campanha para que ela não entre em funcionamento enquanto olha seu dashboard.

Quando necessário, clique na sua campanha e veja o grupo de anúncios que o Google criou. Dividir os grupos por palavras-chave vai permitir uma melhor gestão de cada anúncio.

Você será direcionado a um painel de anúncios que contém sua palavra-chave.

Você poderá selecionar todos os pontos que falamos até agora, que atendam melhor às necessidades da sua campanha.

Faça esse processo com calma.

Google Ads Editor

Este é um aplicativo que o Google disponibiliza de graça para auxiliar a gerenciar contas grandes do AdWords.

Você terá apenas que fazer o download das campanhas e realizar as alterações simultaneamente com as ferramentas de edição.

E então, faça o upload dessas alterações para o Google Ads.

Scripts

Essa ferramenta permite automatizar tarefas, se comunicar com os sistemas externos, emitir alertas e extrair relatórios customizados.

É um recurso avançado, então, é necessário ter algum conhecimento em codificação.

Caso queira utilizar, acesse o Google Ads Scripts.

Google Partners

Este é um programa de certificação.

Você poderá realizar algumas provas e, caso tenha um bom resultado, receberá um certificado que lhe permitirá comprovar o domínio da plataforma, gerando credibilidade para os anunciantes.

As empresas têm acesso a diversos materiais para tornar possível os estudos e realizar exames. As opções que existem hoje são:

Indo bem nas avaliações, você ganha o certificado.

Existem também os selos do Google Partners. Para conseguir, sua empresa precisa preencher alguns requisitos como histórico de boas práticas, valor gerado nos últimos 90 dias, entre outros.

O Senhor é a minha força e o meu escudo; nele confiou o meu coração, e fui socorrido; pelo que o meu coração salta de prazer, e com o meu cântico o louvarei.

Salmos 28:7
03/03/2021

Rastreie as Conversões do Google Ads

É muito importante saber de onde estão vindo seus usuários. Entender como as pessoas que compram de você chegaram até o seu site, é fundamental!

Para isso, um snippet de código será necessário. Você deve inserir alguns códigos nas páginas que os usuários visitam ou passam até chegarem em sua Landing Page. Então, precisa acompanhar periodicamente, para conseguir identificar oportunidades de melhoria.

Todo o processo que ensinei aqui foi feito? Configurou tudo conforme o passo a passo? Ótimo, então vamos lá…

Vá na aba “Campanhas” e ative a sua.

Se sua empresa tem como objetivo a captação de leads, tenho alguns números importantes:

Cerca de 70% de 30 milhões de ligações telefônicas começam em um canal digital. Ligações, essas, que convertem mais.

A taxa de conversão online fica em torno de 1 a 2%, mas quando feito por telefone, ela sobe para 30%, podendo chegar a 50%.

Esses dados foram extraídos da Invoca.

Para você conseguir rastrear de onde vieram os usuários que realizaram as ligações, existem ferramentas como o CallRail. Será um grande auxílio.

O que acontece agora?

Agora aguarde o Google analisar sua campanha para que possa ir ao ar.

Por esse motivo, falei para não fazer vários anúncios de uma vez. Comece com apenas um até dominar a ferramenta.

Após a liberação de sua campanha, o Google vai lhe enviar um e-mail de confirmação. E você poderá criar mais anúncios reproduzindo o original.

Esse é um atalho para que você não precise ficar esperando autorização a cada nova campanha.

Selecione seu anúncio e clique em “editar”, e, então, em “copiar”. Depois, faça o mesmo e, em seguida, clique em “colar”.

Cole o anúncio e selecione as duas caixas.

Então você clica no anúncio copiado e edita. Basta mudar o título e o texto publicitário.

Para ter uma boa noção de como está sendo o desempenho do seu anúncio, eu aconselho que você faça pelo menos um segundo anúncio após a primeira campanha ir ao ar.

Essa técnica vai permitir avaliar os resultados e alterar aquilo que for necessário para otimizar ainda mais a sua campanha.

Pronto! Sua campanha está criada!

Agora vou ensinar como você deve fazer a manutenção da conta.

Manutenção regular da conta

Com o tempo, será necessário fazer ajustes para melhorar sua conta.

Se for uma conta pequena, uma manutenção mensal é o suficiente. Para o caso de contas grandes, como várias das que já trabalhei, é necessário uma manutenção semanal.

Vá até o relatório do termo de pesquisa e examine (aconselho que examine esse relatório com frequência).

Sempre faça uma dessas duas coisas:

1 – Identificar novas possíveis palavras-chave para adicionar à sua campanha

2 – Identificar quais palavras-chaves estão sendo irrelevantes, colocando-as na sua lista de palavras-chave negativas

Essas atitudes evitam desperdícios.

O próximo passo é verificar as posições dos anúncios.

Se você está no topo, poderá começar a reduzir seu orçamento e ver até onde o custo por lead poderá ser reduzido, sem que, para isso, tenha que perder o primeiro lugar.

Se for o caso de estar em posições mais baixas, considere aumentar seu investimento aos poucos, até conseguir atingir o primeiro ou segundo lugar.

Crie mais anúncios e tenha como parâmetro uma taxa de CTR de pelo menos 8%.

Meu conselho é que realize testes frequentemente. Elimine anúncios ruins com eficiência, para que eles não subtraiam o orçamento das melhores opções.

Avalie, também, a performance na localização que escolheu.

Nos locais que a campanha não está sendo bem aceita, diminua o orçamento e invista nos que estão dando bons resultados.

O mesmo vale para os horários. Sempre opte pelos horários que geram mais visitas e conversões, acompanhe sempre.

Sabendo onde olhar, você vai sempre economizar tempo e dinheiro.

Nunca abra mão do bom senso e gaste um pouco de tempo nisso.

Conclusão

Ative seu segundo anúncio e vá ocupar a cabeça com outra coisa. Deixe para verificar os números no dia seguinte.

Lembre-se, sempre, que o foco são as conversões. Para isso, será necessário ter muita paciência (lembra daquela terceira promessa que você me fez, não é?).

Monitore e analise sua campanha pelos próximos 10 dias para, somente então, desativar anúncios desnecessários e investir no que está trazendo melhores resultados.

Pesquise novas palavras-chave para introduzir nos seus anúncios.

Tenha paciência e persistência, e acompanhe sempre de perto tudo o que está acontecendo em torno do seu anúncio.

Agora, Sucesso!

O Senhor é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O Senhor é a força da minha vida; de quem me recearei?

Salmos 27:1
03/03/2021

História do Google Ads

Em 1998, surgiu a empresa que hoje briga pelo topo das empresas mais valiosas do mundo: Google. Apenas três anos depois, a marca já havia conquistado o espaço como a principal ferramenta de buscas da internet.

Os fundadores Sergey Brin e Larry Page precisavam encontrar uma maneira de rentabilizar o enorme tráfego que acontecia por ali, e encontraram no Go.To.com uma possibilidade de tornar isso real.

Esse sistema nada mais era do que o embrião dos conhecidos links patrocinados.

A ideia foi tão boa que o AdWords, ou Google Ads, como se usa atualmente, começou a gerar bilhões.

Com o passar do tempo, mudanças precisaram ser feitas. Mas isso é natural, visto que a internet também evoluiu bastante, não é verdade?

A plataforma e a exibição de anúncios sofreram essas mudanças e, naturalmente, os usuários perceberam.

Essa evolução pode ser observada pela quantidade de pessoas que utilizam a plataforma de buscas através de smartphones, que, no Brasil, existem em maior número do que computadores.

Pensando nessa evolução, a Google realizou algumas modificações para uma melhor adaptação de seus usuários, mostrando, mais uma vez, sua versatilidade.

Vamos olhar algumas das principais mudanças que aconteceram:

Anúncio na Barra Lateral

Era comum o Google apresentar cerca de três anúncios na parte superior, antes dos resultados orgânicos, e mais uns quatro na barra lateral.

E também anúncios no final da página.

Hoje a apresentação é feita de forma mais limpa, e essas mudanças aumentaram a disputa pelas primeiras posições, pois já não existem os anúncios laterais.

Seria imprudente da minha parte dizer que os resultados orgânicos possuem menos cliques porque se apresentam um pouco mais abaixo, mas é algo que precisa ser analisado.

Indicador dos anúncios

Como uma forma de diferenciar os links patrocinados dos resultados orgânicos, o Google Ads conta com um indicador.

Este indicador é semelhante a uma pequena etiqueta, ou seja, “anúncio”.

Antes, essa etiqueta era da cor amarela, o que permitia que o usuário imediatamente percebesse que se tratava de um anúncio pago.

Hoje, esse marcador é encontrado na cor verde. Essa ideia fez com que os links patrocinados fiquem bem parecidos com os resultados de uma busca normal.

Se o usuário está um pouco distraído, é muito provável que ele vá clicar no anúncio pago sem sequer perceber.

Anúncios Estendidos (ETA)

Em 2016 aconteceu uma mudança no padrão dos anúncios feitos pela Google. A ideia foi, justamente, melhorar a visualização e a experiência por parte do usuário.

Outro motivo é o de que as empresas teriam um controle melhor sobre as informações que chegam até o usuário. Este teria mais informações sobre a empresa e/ou o produto.

Vou mostrar o antes e o depois:

Modelo Antigo

O modelo antigo permitia uma linha com 25 caracteres e outras duas linhas com 35 caracteres cada.

Modelo Novo

Na sua reformulação, os anúncios passaram a contar com 2 títulos de 30 caracteres cada e, ainda, uma terceira linha com espaço para 80 caracteres.

Uma outra diferença entre eles, que vale destacar, é que essa nova maneira de anúncio permite a visualização tanto no computador quanto no smartphone.

O anunciante não terá que se preocupar com um anúncio para cada um deles. Não que isso não seja mais necessário, mas não é a primeira necessidade.

Principalmente porque a plataforma já informou que, em breve, somente os anúncios estendidos serão exibidos.

Preço

Existe uma opção, chamada “extensão de preço”, que permite que a empresa estampe o preço do seu produto antes mesmo que o usuário clique na página.

No entanto, essa opção funciona apenas para as empresas que disponibilizam uma versão de suas páginas para smartphones.

Se a empresa não disponibiliza uma versão mobile, não será possível usar esse tipo de opção. E só será possível se a página estiver na primeira posição no ranqueamento.

Acho importante também contar que, diferente do Google Shopping, os preços exibidos na extensão não são atualizados automaticamente.

Então não esqueça de sempre atualizar os preços. Afinal, você não quer nenhum tipo de conflito entre a Landing Page e os preços exibidos no anúncio da busca, não é? Isso pode trazer inúmeros problemas e fazer com que seus consumidores percam a confiança na sua empresa.

Até agora ficou tudo bem explicado, concorda?

Eu imagino que você já conseguiu compreender bem o que é o Google Ads. Isso é ótimo!

O Senhor é o meu pastor; nada me faltará. Deitar-me faz em pastos verdejantes; guia-me mansamente a águas tranqüilas. Refrigera a minha alma; guia-me nas veredas da justiça por amor do seu nome. Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam. Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos; unges com óleo a minha cabeça, o meu cálice transborda. Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida, e habitarei na casa do Senhor por longos dias.

Salmos 23:1-6
03/03/2021

O que é Paradigma?

Diretamente falando, Paradigma é um modelo ou padrão a seguir.

Etimologicamente, este termo tem origem no grego “paradeigma” que significa modelo ou padrão, correspondendo a algo que vai servir de modelo ou exemplo a ser seguido em determinada situação.

São as normas orientadoras de um grupo que estabelecem limites e que determinam como um indivíduo deve agir dentro desses limites.

O termo surgiu inicialmente em Linguística na teoria do signo linguístico criada por Ferdinand de Saussure, na qual relacionava o signo ao conjunto de elementos que constituem a língua.

O paradigma seria o conjunto de elementos linguísticos que podem ocorrer no mesmo contexto ou ambiente. Os elementos são substituídos por outros que vão ocupar a mesma posição.

Por exemplo, na Gramática o verbo “to buy – comprar” serve de paradigma à conjugação no futuro simples [Simple Future] porque seguirão esse modelo: They will buy a new house. (Eles comprarão uma casa nova.)

Na filosofia, um paradigma está relacionado com a epistemologia, sendo que para Platão, um paradigma remete para um modelo relacionado com o mundo exemplar das ideias, do qual faz parte o mundo sensível.

O paradigma é um princípio, teoria ou conhecimento originado da pesquisa em um campo científico. Uma referência inicial que servirá de modelo para novas pesquisas.

Paradigmas Educacionais

Um paradigma educacional é um modelo usado na área da educação.

Paradigmas inovadores constituem uma prática pedagógica que dá lugar a uma aprendizagem crítica e que causa uma verdadeira mudança no aluno.

O paradigma usado por um professor tem grande impacto no aluno, muitas vezes determinando se ele vai aprender ou não aprender o conteúdo que é abordado.

A forma de aprendizagem das novas gerações é diferente das gerações anteriores, e por isso um paradigma conservador não terá grande eficácia.

Paradigmas de Programação

Um paradigma de programação é definido pela maneira como um determinado programador resolve um certo problema, fornecendo visão e determinando como o programador estrutura e executa este programa.

Os quatro principais paradigmas de programação são: paradigma imperativo, declarativo, funcional e orientado a objetos.

A diferenciação entre os paradigmas de programação é feita através das técnicas que estes mesmos paradigmas permitem ou proíbem.

É por isso que paradigmas mais recentes são vistos como mais rígidos do que os modelos mais antigos.

Paradigma Cartesiano

Segundo o paradigma cartesiano, para conhecer o todo, é necessário dividi-lo nas várias partes que o integram e estudar cada uma dessas partes individualmente.

Por exemplo, para conhecer um carro, entrar nele e dirigi-lo. É preciso conhecer as suas partes, como o motor e outros componentes.

O paradigma cartesiano é o oposto do paradigma holístico, que entende que os fenômenos têm que ser contemplados na sua existência global para serem entendidos.

Paradigma da Complexidade

Complexidade é um termo usado na filosofia, epistemologia, linguística, pedagogia, matemática, química, física, meteorologia, estatística, biologia, sociologia, economia, medicina, psicologia, informática ou em ciências da computação.

Por esse motivo, a sua definição sofre alterações dependendo da área em questão. A teoria da complexidade é também conhecida como desafio da complexidade ou pensamento da complexidade.

O paradigma da complexidade, ou pensamento complexo, tem como objetivo relacionar várias disciplinas e formas de ciência, no entanto sem misturá-las.

paradigma da sociedade flui para várias áreas da sociedade e inclui a incerteza como uma abertura de novas possibilidades e não como algo que trava o processo de pensamento.

Paradigma Trabalhista

No âmbito laboral, um paradigma é o valor salarial de um funcionário, de acordo com uma determinada tarefa, que funciona como equiparação em relação a outro funcionário, que exerce a mesma função.

De acordo com o artigo 461 da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), a mesma função, desempenhada com o mesmo valor, para o mesmo empregador, no mesmo local de trabalho, deve ser remunerado de igual forma, independentemente da idade, nacionalidade ou sexo.

Eu te amo, ó Senhor, força minha. O Senhor é a minha rocha, a minha fortaleza e o meu libertador; o meu Deus, o meu rochedo, em quem me refúgio; o meu escudo, a força da minha salvação, e o meu alto refúgio.

Salmos 18:1-2
03/03/2021

A História do Zero

Computadores tratam a informação em linguagem binária, ou seja, todos os dados são codificados em sequências de 0 e 1. A física moderna, que lida às vezes com quantias extraordinariamente grandes ou pequenas, representa-as com mais praticidade por meio de potências de dez – notação em que o zero cumpre papel essencial. Esse algarismo foi fundamental também para o desenvolvimento do cálculo integral, que inaugurou um novo ramo da matemática.

A História do Zero

A instituição do zero foi uma verdadeira revolução na matemática. Embora seu uso nos pareça natural e inquestionável, o algarismo nem sempre existiu. Os romanos, por exemplo, não tinham uma letra para representá-lo. O zero pode ter surgido de forma independente em diferentes civilizações e teve um percurso conturbado até que se consolidasse como elemento-chave da matemática.

Investigar os diferentes momentos históricos em que surgiu o conceito e a notação do zero e tentar retraçar seu percurso dos primórdios aos dias de hoje é o principal objetivo do livro O nada que existe – uma história natural do zero, recém-lançado no Brasil pela editora Rocco. Seu autor é Robert Kaplan, professor de matemática na Universidade de Harvard (Estados Unidos da América).

Segundo Kaplan, o zero teria surgido pela primeira vez entre os séculos 6 e 3 a.C., na civilização fenícia. Esse povo inovou ao instituir a notação posicional, em que a posição de um algarismo é fundamental para a determinação de seu valor. Esse tipo de notação implica a necessidade de um sinal para representar a ausência de qualquer algarismo. É graças ao uso do zero que sabemos, por exemplo, que 2003 é diferente de 23.

O zero também pode ter sido adotado entre os gregos; indícios desse uso só existem em alguns papiros astronômicos. Mas é sobretudo em civilizações orientais que ele passou a ser empregado sistematicamente. Na Índia, sua primeira aparição escrita inquestionável data de 876 d.C. Apenas cerca de cem anos depois ele chegaria ao Ocidente, levado por mercadores árabes, que já utilizavam-no em cálculos desde 825. No entanto, assim que chegou à Europa, o zero era considerado mais um sinal que um algarismo propriamente dito. A mudança de estatuto teria ocorrido entre os séculos 13 e 14.

O autor parte dos poucos elementos palpáveis que indicam o uso do zero em diferentes civilizações e tenta construir uma história do algarismo, com o mérito de não apresentar nenhuma das hipóteses levantadas como definitiva. A narrativa, estimulante e bem-humorada, reflete o fascínio e o entusiasmo do autor pela matemática. Kaplan também já foi professor de filosofia, sânscrito, grego e alemão, o que o ajudou a elaborar na obra reflexões sobre o significado e as implicações do conceito de zero, ilustradas por exemplos tirados da literatura e da filosofia.

O nada que existe – uma história natural do zero Robert Kaplan

Guarda-me, ó Deus, porque em ti me refugio. Digo ao Senhor: Tu és o meu Senhor; além de ti não tenho outro bem.

Salmos 16:1-2
03/03/2021

Migrar seu Site HTML para WordPress

Se você pode ter vários motivos que o levem a “Migrar seu site HTML para o WordPress”, mas com certeza um motivo que o fará ter receio nessa migração é o processo de migração e todo trabalho, e problemas, que podem acontecer nesse processo.

Seja se site desenvolvido em HTML ou se está usando outro CMS como Joomla (que já vimos antes como proceder a migração do Joomla para WordPress) ou Drupal, o processo de migração será diferente para cada um, mas para qualquer caso você pode encontrar uma forma de evitar qualquer problema.

O PRIMEIRO PASSO PARA A MIGRAÇÃO

O que é necessário para evitar problemas?

Há um check-list de verificações que você pode fazer antes de iniciar o processo de migração, seja qual for a atual estrutura do seu site.

1. Avaliar as Funcionalidades

Avaliar seu site atual irá ajudar a identificar como e quais recursos você vai precisar encontrar no WordPress, seja com uso de plugins ou não. Dê atenção para os seguintes pontos:

  • Formas de contato e conversões (como inscrição em newsletter);
  • Login e registro;
  • Gerenciamento de arquivos de mídia;
  • Suporte multi-idioma;
  • Vários autores;

Visto isto e outras funcionalidades que seu site apresenta, comece a procurar plugins do WordPress que ofereçam as mesmas funcionalidades que seu site exige, como eu disse antes você não necessariamente precisa usar plugins, mas pode fazer alterações diretas no código do WordPress.

2. Avaliar a Navegação

É muito provável que a estrutura dos menus no WordPress, juntamente com os muitos widgets disponíveis devem suprir a maior parte da navegação e necessidades de organização de links internos que seu site atual possa ter. Aproveito todo o processo de migração para otimizar o seu atual sistema de navegação internet, que embora possa ter sido adequadas à sua finalidade, sempre pode ser melhorado.

3. Como Está o seu Conteúdo

A migração também é um bom momento para dar uma olhada na arquitetura de conteúdo do seu site e veja se ele ainda é relevante e necessário. Fazer uma boa faxina pode ajudar a simplificar e otimizar o conteúdo de seu site tornando-o mais útil para os seus visitantes e mais fácil de navegar.

4. Familiarizando com WordPress

Se você não é muito íntimo do WordPress, então é uma boa ideia se familiarizar com a plataforma mesmo antes de planejar muito de sua estratégia de migração. Pois nesse momento você precisa decidir como você deseja classificar e categorizar seu conteúdo quando importá-lo para o WordPress e que funcionalidades você estará usando.

Procure entender um pouco como funciona o WordPress, existem diferentes temas e plugins que estão disponíveis e que podem ajudar a planejar com será seu novo site, reduzindo muito as surpresas que podem ocorrer ao longo do caminho.

Migrar de um Site HTML para o WordPress

Se seu site atualmente é um site HTML simples ou estático e você gostaria de utilizar a plataforma WordPress, a melhor opção pode ser a de copiar e colar o código HTML de cada página para uma nova instalação do WordPress manualmente.

Mas e se seu site contiver um grande número de páginas, então usar um Plugin WordPress para acelerar o processo pode ser uma boa ideia. Existem alguns plugins gratuitos que possibilitam essa importação, de conteúdo de páginas HTML, ignorando os cabeçalhos, rodapés e barras laterais das páginas que você não deseja adicionar ao corpo das novas páginas do WordPress.

Dentre estes plugins o HTML Import 2 é um plugin muito bem conceituado para a tarefa, ele pode ajudá-lo a migrar o conteúdo de um site HTML para uma instalação do WordPress com facilidade. Porém temos esse plugin como uma ferramenta exclusivamente para importas o conteúdo do seu site, e não manter os estilos de formatação que foram usados, não vai ser de muita ajuda quando se trata de migrar a aparência do site.

Porém se o seu site HTML atual tem um projeto de layout simples, usar o modificar um tema WordPress também simples como Twenty Twelve vão atender às suas necessidades, e você  pode achar uma tarefa enriquecedora em termos de experiência e até pode achar divertido.

Tenha em mente que assim como no caso do conteúdo, a migração para o WordPress também é a oportunidade perfeita para atualizar o layout do seu site, onde você com certeza encontrará um que lhe agrade.

Ainda existe outra interessante solução, para o caso de você querer alguma atualização, mas manter o layout mais próximo possível do que era antes e que pode economizar seu tempo, é um serviço como o Instant WordPress Theme Matcher, um site capaz de converter seu site atual em um novo template para WordPress. Mas novamente essa solução também vai depender de o layout do seu site atual se simples.

Testando a Migração

Quando o processo de migração for concluído, é o momento de fazer alguns testes para garantir que tudo correu conforme o planejado.

Verifique se há Links Quebrados em seu site. Em sites menores, basta simplesmente visitar cada página e verificar se eles estão exibindo seu conteúdo como pretendido, com todas as funcionalidades em boas condições de funcionamento. Para sites maiores, use o como o plugin Broken Link Checker é uma boa opção. Ou ainda ferramentas como o Link Checker da W3C.

Verifique se o conteúdo está corretamente dividido e organizado em categorias e tags. Veja se imagens carregando corretamente, e ainda estão redimensionadas para ficarem de acordo com seu novo layout.

Conclusão:

Como já vimos você pode migra seu site para WordPress de diversas plataformas existentes, o artigo no wordpress.org sobre importação de conteúdo  fornece os recursos para a migração de algumas das plataformas mais populares.

Existem muitas outras ferramentas de migração do WordPress que podem ajudar você a começar o trabalho feito tão facilmente e rapidamente possível. Basta fazer seus testes e verificar qual se adéqua às necessidades de seus projetos.

Diz o néscio no seu coração: Não há Deus. Os homens têm-se corrompido, fazem-se abomináveis em suas obras; não há quem faça o bem. O Senhor olhou do céu para os filhos dos homens, para ver se havia algum que tivesse entendimento, que buscasse a Deus.

Salmos 14:1-2
03/03/2021

Tudo Sobre Fireworks CS6 da Adobe

O Fireworks CS6 é um editor de imagens desenvolvido pela Macromedia, posteriormente adquirido pela Adobe.

Suas funcionalidades focam a publicação gráfica na Internet, por isso inclui suporte a GIF animado, PNG e imagens fatiadas, além de possuir ótima compressão de imagens.

Nessa sua última versão, oferece diversas de novas ferramentas para facilitar ainda mais o desenvolvimento de belos layouts.

Fireworks CS6 é um editor de imagens de bitmap e desenho vetorial desenvolvido pela *Macromedia, posteriormente adquirido pela Adobe.

Suas funcionalidades focam a publicação gráfica na Internet, por isso inclui suporte a GIF animado, NG e imagens fatiadas, além de possuir ótima compressão de imagens. A partir da versão MX, ganhou integração com outros produtos da mesma linha, Dreamweaver, Flash e Freehand.

Com a aquisição da Macromedia em 2005 pela Adobe, houve um choque entre os seus programas, Fireworks e ImageReady, Dreamweaver e GoLive, Freehand e Illustrator.

Assim, o objetivo da Adobe foi em criar um conjunto mais poderoso de soluções para a criação, gerenciamento e entrega de conteúdo e experiências atraentes em múltiplos sistemas operacionais, dispositivos e mídias.

O desenvolvimento do ImageReady foi cancelado prevalecendo o Fireworks como editor gráfico para Internet.


* Macromedia (NASDAQ: MACR) foi uma empresa de desenvolvimento de software gráfico e web. Formada em 1992 sendo uma fusão da Authorware, Inc. (criadores do Authorware) e MacroMind-Paracomp (criadores do Macromind Director). A sua sede estava localizada em São Francisco, Califórnia.
Em 18 de Abril, 2005, a Adobe Systems anunciou um acordo[1] para a compra da Macromedia em uma transação de compra total das ações de cerca de 3.4 bilhões de dólares.

Até quando, ó Senhor, te esquecerás de mim? para sempre? Até quando esconderás de mim o teu rosto? Até quando encherei de cuidados a minha alma, tendo tristeza no meu coração cada dia? Até quando o meu inimigo se exaltará sobre mim?

Salmos 13:1-2
03/03/2021

Colocar imagem dentro de texto – Fireworks

Este efeito é muito atrativo e interessante e usado em diferentes sites e pode ser feito com muita rapidez.

Siga este tutorial e verá que é simples e fácil de fazer. Basicamente, é você pegar uma foto e colocar dentro de um texto,  então valos direto ao que interessa…

Passo I. Abra o Fireworks;

Passo II.  Crie um texto [YOU ON TOP – DANNYBIA] onde será aplicado o efeito, mas sempre dê preferência a uma fonte cheia;

Passo III. Selecione Text > Convert to Paths (ou Converter em Caminhos ou Ctrl+Shift+P). Note que o texto não está mais editável como antes. Os pontos de ancoragem estão fixos;

Passo IV. Selecione Modify > Ungroup (ou Modificar > Desagrupar ou Ctrl+Shift+G);

Passo V. Selecione agora todas as letras do texto e clique em Modify > Combine Paths > Union (ou Modificar > Combinar Caminhos > União ou Ctrl+Alt+U);

Passo VI. Agora abra a imagem do seu gosto que você deseja colocar dentro do texto. Copie o texto já editado e cole sobre a imagem que você abriu. Não  se esqueça:- A cor do nome tem que estar BRANCA para que o efeito funcione.

Passo VII. Depois de colado selecione a imagem e o texto e clique em Modify > Mask > Group as Mask (ou Modificar > Máscara > Agrupar como Máscara);

Esse é o efeito! E se você desejar, no centro da imagem tem um símbolo que ao clicar nele altera o efeito pois é  possível mudar a imagem de lugar.

Acho este efeito interessantíssimo e muito utilizado. Gostou, então usufrua!

Ó Senhor, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome em toda a terra, tu que puseste a tua glória dos céus!

Salmos 8:1