Tag: google analytics

31/03/2021

Google Ads: Como Conseguir o Cupom de Desconto R$ 100,00

Quer aprender como criar uma conta no Google ads e como conseguir um cupom de desconto do Google Ads de R$ 100,00 para fazer os primeiros anúncios e sentir aquele gostinho de primeiras vendas caso você seja o próprio empreendedor, mas se for utilizar para um amigo ou até para um cliente, será ótimo, assim… tenho certeza que esse artigo irá te ajudar muito.

Google Ads: Como Conseguir o Cupom de Desconto R$ 100,00

Como Conseguir Cupom de Desconto e Como Criar uma Conta no Google Ads

Muitas pessoas comentam sobre a dificuldade em achar um Cupom de Desconto do Google Ads, seja pesquisando por vídeos, páginas ou postagens como esta. Mas estes problemas acabaram porque agora vou mostrar na prática como conseguir encontrar e também vou explicar como funcionam os cupons Google, bem como quais são as regras para você conseguir receber esse crédito do Google em sua campanha.

Então Qual o Primeiro Passo?

O primeiro passo para conseguir uma conta no Google Ads e conseguir o seu cupom de desconto, é ter primeiro um Gmail (o e-mail do Google). Caso você não tenha, pode criar uma conta clicando aqui, é rápido. Quem já tem, mas esta conta precisa ter menos de 15 dias de criada, assim, pode seguir ao próximo passo.

Pegando o Cupom de Desconto Google Ads

O próximo passo é pegar o cupom de desconto Google Ads. Você pode fazer isso buscando por ele na barra de pesquisa do Google ou clicando aqui para ser direcionado. Caso não abra direto, você pode clicar no link abaixo ou copiar e colar no seu navegador.

https://ads.google.com/intl/pt-BR_br/getstarted/

Ele abrirá uma aba com tela do Google Ads para você, tal como esta a figura abaixo:

Google Ads: Como Conseguir o Cupom de Desconto R$ 100,00

Role para baixo e insira o Gmail que você já tinha (com menos de 15 dias de criado) ou que criou agora. Será nele que irá receber o seu código do cupom.

Google Ads: Como Conseguir o Cupom de Desconto R$ 100,00

Depois que você colocar seu e-mail, basta clicar em “não sou um robô” e depois em “receber cupom”. Ele pode pedir para que clique em algumas imagens, por questão de segurança.

Pronto, irá aparecer uma outra tela, com um botão em azul escrito “comece agora”, como na figura abaixo, clique nele.

Google Ads: Como Conseguir o Cupom de Desconto R$ 100,00

Ele carregará uma nova página para iniciar seu anúncio. Mas caso não queira criar sua conta Google Ads nesse momento. Então acesso seu e-mail, cheque se o Cupom já chegou, salve-o. e quando quiser criar sua conta Google Ads e configurar, basta retomar do item anterior.

Como Criar uma Conta no Google Ads?

Informação: Ao clicar e ser redirecionado, se você está criando sua conta e ela é nova no Google Ads, verá um layout diferente, ou seja para iniciantes, mas existem algumas opções, e uma delas mais abaixo é “alternar para o modo especialista”. que é o modo bem melhor mais completo para criação de uma Campanha Google Ads.

Depois disso, carregará uma página com novas opções, pedindo que você crie uma campanha, porém, não iremos criar a campanha agora, iremos apenas ver como criar uma conta cimples no Google Ads.

Voltando a tela das opções, você irá escolher uma opção em azul na parte debaixo da tela de “criar uma conta sem campanha”. As informações de país altere para Brasil, telefone e outros você pode deixar como está e clicar em “enviar”.

Parabéns, está tudo pronto e você conseguir seguir os passos de como criar uma conta no Google Ads e agora, sua conta já está criada.

Como Instalar o Cupom de Desconto Google Ads?

Com sua conta já criada, vou te ensinar agora como instalar o Cupom de Desconto Google Ads. O primeiro passo é conferir se o código do desconto já chegou em seu Gmail. Abra o e-mail recebido (aquele que você salvou) e abaixo da frase “Receba R$ 100,00 em crédito da Google Ads”, onde terá um código ( parecido com este 6ULR7LXUKWAGHT ) e o copie.

Google Ads: Como Conseguir o Cupom de Desconto R$ 100,00

Voltando a sua conta do Google Ads, siga estes passos:

  • Clique em “ferramentas e configurações”;
  • Depois em “promoções”;
  • Em seguida carregará uma tela solicitando seus dados pessoas, você deve fazer esse preenchimento completo;
  • Nas formas de pagamento selecione e coloque os dados do seu cartão ou escolha a opção de boleto bancário.  [importante lembrar que se optar por pagamentos manuais (boleto bancário), ao acabar o crédito e você não recarregar, o Google pausará sua(s) campanha(s)]
  • Selecione o valor que quer comprar de anúncios;
  • Depois de preenchidas todas as informações, clique para aceitar os “termos e condições”;
  • Por fim, clique em continuar;
  • Abrirá uma tela de faturamento e pagamentos, no canto inferior esquerdo haverá um botão de “promoções”, clique nele;
  • Nessa tela que abrirá será onde você irá colar o código Google Ads que recebeu por e-mail;
  • Pronto, o seu cupom já está aplicado!

Regras Para o Uso do Cupom de Desconto Google Ads

Na próxima página, haverá uma mensagem explicando: “Ganhe R$ 100,00 pelo que você gastar no Google Ads durante 31 dias”.

Ou seja, vai funcionar da seguinte forma:- primeiro você precisa gastar R$ 100,00, depois desse valor gasto e passado o período de 31 dias, o Google te dará seu crédito.

Na página em que está, há uma barra que conforme você for gastando em seus anúncios, ela irá preenchendo aos poucos e quando ela encher totalmente é que você vai receber o crédito dos R$ 100,00 que conseguiu.

E agora que você já está com a sua conta criada e com o cupom de desconto de R$ 100,00 do Google Ads instalado ali na sua conta, basta prosseguir com a criação da campanha normalmente.

O Senhor é a minha força e o meu escudo; nele confiou o meu coração, e fui socorrido; pelo que o meu coração salta de prazer, e com o meu cântico o louvarei.

Salmos 28:7
03/03/2021

Google AdWords Agora é Google Ads

Você gostaria de fazer campanhas de Google Ads

que trazem novos negócios e deixam sua empresa no TOPO em evidência?

O Google Ads (Adwords), é uma das ferramentas que mais gera receita e campanhas de sucesso no marketing de conteúdo.

Sabemos que a maioria da pessoas já devem ter ouvido falar nesse nome, mas é natural não entender como funciona e, por isso, muitos sequer pensam possibilidade de utilização.

As dúvidas acerca do Google Ads vão desde sua funcionalidade até a forma correta de utilizá-lo para gerar receita, seja para quem desenvolve, quanto para quem investe.

E isso faz com que muitos utilizem a ferramenta de maneira errada, indo no caminho oposto dos resultados positivos.

É algo que a YOU ON TOP faz questão de explicar aos micro, pequenos, médios e grandes empresários, que sempre me questionam a respeito do Ads.

Toda vez que uma empresa começa a ganhar um bom dinheiro, costumam correr atrás de novos investimentos- o que acho correto – mas, muitas vezes se esquecem de investir nelas mesmas. Costumam dizer:
“Acho que vou investir no mercado imobiliário”
“Vou investir na bolsa, em ouro”

Mas eu diria pode até fazer isso, mas não esqueça de você mesmo. Invista no Google Ads e alavanque ainda mais sua empresa!”

Eu não entendo porque grandes empresas, com excelentes produtos, correm para investir seu dinheiro em qualquer coisa EXCETO na própria empresa.

Não parece muito mais interessante investir no próprio negócio e aumentar a venda de seus produtos? A experiência no segmento vai dar uma grande ajuda.

Muito menos vantajoso é investir em um ramo que nem sequer tem experiência. É neste momento que colocamos o Google Ads em cena.

Vamos compreender todo o funcionamento para saber extrair o melhor do AdWords é fundamental para esses resultados.

Google AdWords Agora é Google Ads

Com este post, você vai aprender de vez o que é e como utilizar da melhor maneira esse poderoso serviço oferecido pela gigante Google.

Você vai saber:

  • O que é Google Ads?
  • Principais benefícios de anunciar no Google Ads
  • Links Patrocinados
  • Conhecendo o Google Ads: Como Funciona o Google Ads
  • Google Ads Express
  • Passo 0: Como começar a anunciar no Google Ads
  • 1º passo: Orçamento do Google Ads: Como Calcular
  • 2º passo: Usar o Planejador de Palavras-Chave do Google
  • 3º passo: Como Usar o Google Ads para Monitorar a concorrência
  • 4º passo: Verifique se sua landing page é incrível
  • 5º passo: Como configurar campanha no Google Ads pela primeira vez
  • 6º passo: Crie seu primeiro anúncio
  • 7º passo: Estrutura do Ads
  • 8º passo: Ajuste os detalhes
  • 9º passo: Prepare-se para rastrear a conversão

Diz o néscio no seu coração: Não há Deus. Corromperam-se e cometeram abominável iniqüidade; não há quem faça o bem. Deus olha lá dos céus para os filhos dos homens, para ver se há algum que tenha entendimento, que busque a Deus. Desviaram-se todos, e juntamente se fizeram imundos; não há quem faça o bem, não há sequer um.

Salmos 53:1-3
03/03/2021

Principais Benefícios de Anunciar no Google Ads

O Google Ads vai permitir métricas precisas e alcance ilimitado.

São inúmeros os benefícios encontrados nesta ferramenta, mas vou destacar pra você as que eu considero de maior importância.

A partir do momento que você faz seu login no Google Ads, você percebe a extensão que ele oferece. Você vai poder fazer anúncios em textos, responsivos, vídeos, gráficos ou anúncios em aplicativos.

E essa é uma característica excelente! Independe do público-alvo, pois para cada um existe o canal correto.

Outro excelente benefício é o de poder escolher se o seu anúncio vai buscar os possíveis clientes da sua região, do seu estado ou do seu país.

E você ainda vai poder acompanhar as métricas, tais como:

Desempenho de anúncios

Nessa opção, será possível saber o número de pessoas que visualizaram seu anúncio, e até mesmo estudar o perfil do cliente que mais tem a ver com sua campanha.

Testar anúncios

Aqui você poderá testar o que está e o que não está funcionando. Poderá fazer algumas alterações na campanha e acompanhar se geraram resultados.

Controlar o orçamento

Sempre que você sentir necessidade, vai poder fazer ajustes no orçamento. E ainda, se for o caso, poderá encerrar a campanha sem que, para isso, tenha que pagar algum tipo de taxa.

Vejamos outros benefícios?

Potencial

Eu sei e você também deve saber disso, mas vale ressaltar que o Google é a principal ferramenta de buscas do mundo.

Provavelmente, no seu cotidiano, quando alguém faz uma pergunta que você não sabe a resposta, você comenta algo do tipo: “Pesquisa no Google”.

Você já  parou para pensar em quantas vezes você já falou isso nos últimos cinco anos?

Então analisemos: A pessoa quer aprender como fazer um bolo de chocolate. Ela vai até o computador ou smartphone, entra no Google e pesquisa “receita de bolo de chocolate”. Percebeu?

O usuário está falando o que ele quer! Olha que grande vantagem têm as empresas que trabalham com ferramentas oferecidas pelo Google.

Seria como imaginar uma dessas tradicionais ruas de compras do Brasil, como a 25 de Março. Mas ao invés de vendedores gritando os produtos disponíveis, são usuários gritando: “Preciso disso”, “quem tem aquilo?”.

Cerca de 3,3 bilhões de buscas no Google são realizadas diariamente. Cem bilhões de buscas no Google são feitas todos os meses. Esses foram os dados revelados durante um evento para anunciantes do Google Adwords e que surpreendem se lembrarmos que mal temos 7,8 bilhões, em julho de 2020. As Nações Unidas estimam que a população humana chegará até 11,2 bilhões em 2100. Para se ter uma ideia, uma comparação: se alguém ganhasse 5 centavos por cada busca no site, essa pessoa estaria milionária em menos de 10 minutos.

Aqui no Brasil, a Google é responsável por quase 97% das buscas realizadas.

Imagino que independente do tamanho de sua empresa ou do segmento, você certamente já percebeu sua necessidade de estar na briga pelas posições desse ranking.

Google Ads e Palavras-chave ou Keyword

Os tipos de segmentação que o Google Ads oferece são dos mais variados, e os anúncios podem ser feitos no momento de maior interesse do público-alvo.

Esses detalhes fazem com que os anúncios sejam ainda mais eficazes.

Uma dessas formas acontece através das palavras-chave. O buscador vai disponibilizar anúncios e páginas que tenham a ver com a busca do usuário.

Outra maneira da palavra-chave ser utilizada é por meio das sugestões, que se baseiam em buscas já realizadas pelo usuário e mostram opções e assuntos semelhantes.

Essas informações ficam no histórico de navegação.

Segmentação por Tópicos e Canais

Você também vai encontrar a opção de escolher um tópico específico. Isso permite que você faça anúncios em sites que abordam esse mesmo tópico, direcionando o seu conteúdo para um público de real interesse.

Outra opção é a de escolher os sites mais acessados pela sua persona e colocar seus anúncios por lá.

Público-Alvo

Quando a empresa opta por este tipo de técnica, ela pode exibir seus anúncios em websites que não sejam diretamente ligados aos produtos e serviços oferecidos por ela, mas que tenham alguma relação com o seu público-alvo.

Local de Exibição do Anúncio

Você pode escolher em que local quer que os seus anúncios apareçam. Sites pessoais ou comerciais, por exemplo. Ou, também, ferramentas de buscas.

Idade, Local e Idioma

O público-alvo também poderá ser escolhido pela idade, pela localização geográfica e pelo idioma.

Programação (dias, horários e frequência)

Lembra que já falamos sobre os melhores horários para que as postagens atinjam o maior número de pessoas?

Pois então. Você poderá escolher os horários ou os dias da semana em que seus anúncios serão exibidos.

A frequência com que eles vão aparecer também pode ser escolhida antecipadamente.

Segmentação por Dispositivos

A plataforma permite que os anúncios sejam exibidos em computadores, smartphones, tablets e laptops, cabendo à empresa decidir em quais formatos ela quer que sejam incluídos.

Controle de Investimento

O controle dos investimentos que o Google Ads permite é muito satisfatório. Você pode decidir os investimentos que serão feitos por mês, por dia e até mesmo por campanha.

Também poderá configurar para que a cobrança seja feita após um determinado número de cliques ou apenas quando acontecer a conversão.

Também é possível optar pela cobrança por CPM.

Avaliação do ROI (Retorno sobre o Investimento)

Uma grande vantagem da plataforma é que o anunciante consegue informações importantes sobre como o público está reagindo diante de seus anúncios.

É possível saber quantos cliques foram dados, quantas impressões registradas e identificar os usuários que clicaram no anúncio e realizaram algum tipo de conversão.

A conversão pode ser o preenchimento de um formulário, que vai permitir que você envie algum material relevante para o usuário, realizar compras ou fazer o download de algum material ou aplicativo que sua marca ofereça. Tudo depende do objetivo da sua página.

Essa técnica de enviar material para determinado e-mail a partir de um formulário que foi preenchido permite o remarketing.

O importante é que todo o passo a passo poderá ser acompanhado, o que vai permitir que você saiba exatamente qual está sendo o seu ROI na plataforma Ads.

Você também vai poder contar com uma excelente precisão na hora de saber quais anúncios estão recebendo mais cliques, e quais não estão fazendo muito sucesso entre o público.

Os anúncios que estão obtendo resultados poderão ser sua prioridade, e os que não estão trazendo tanto retorno poderão passar por alguns testes, até que cheguem ao ponto certo para atrair seu público.

Ou, simplesmente, serem descontinuados. Essa decisão sempre vai partir do anunciante.

Com o Google Ads, você também pode ter o número de ligações feitas a partir de seu anúncio mobile, além de conhecer o custo necessário para que os anúncios comecem a gerar conversões.

E ainda vai lhe permitir colher informações valiosas sobre seu cliente como, por exemplo, quanto tempo foi necessário de pesquisa para decidir pela compra ou em que ponto da página o interesse começa a desaparecer.

Custo

Quando você faz uma comparação entre outras formas de publicidade com o Google Ads, percebe o quanto essa ferramenta é mais vantajosa.

Não só pelas inúmeras opções que oferece, mas também pelo investimento, significativamente mais baixo.

Para fazer essa análise, basta pensar no quanto seria necessário investir para lançar um anúncio em um grande portal, rádio, revistas, jornal, TV, outdoor, entre tantos outros.

Sem contar, é claro, que ter o controle exato do retorno obtido com as mídias citadas acima é uma tarefa quase impossível.

Agora imagine:

Você decidiu utilizar o Google Ads. Ótimo!

E esse “ótimo” é aqui mesmo, neste momento em que falamos sobre os custos, pois você pode começar com pouco investimento, aguardar a resposta do público, para então decidir se vai investir mais ou fazer alguma alteração.

Ok, eu já sei, você está pensando nisso a longo prazo.

Veja bem, com o passar do tempo, é natural que o valor do clique de determinadas palavras-chave aumentem um pouco.

Isso acontece à medida que aumenta o número de concorrentes. Mas eu continuo garantindo que, entre as opções que existem no mercado, essa é a melhor escolha.

Agora, preciso falar uma coisa importante para você. Está prestando atenção?

Vocês, aqui no Brasil, têm um comentário bem espirituoso quando questionados em relação ao problema de determinada coisa.

Já ouvi muitas vezes a resposta: “É culpa da pecinha que fica atrás”.

Quando você decidir promover sua marca através de anúncios, escolha alguém que saiba exatamente o que está fazendo. Que entenda do assunto. Escolha bem a sua pecinha.

Se for de outra maneira, pode acontecer de você investir uma grande quantia em um anúncio e ter poucos ou nenhum resultado.

Se você está lendo esse artigo, é porque certamente é uma pessoa que gosta de estudar muito bem antes de dar o próximo passo.

Pois bem, faça o mesmo quando escolher os profissionais que vão trabalhar na sua campanha.

Links Patrocinados

Para fazer um resumo de tudo que falei e encerrar o processo da compreensão do termo, os links patrocinados são grupos de palavras-chave patrocinadas.

Se o usuário entra no Google e digita “salão de festas”, as primeiras posições serão de empresas que utilizam os links patrocinados.

Ficou tudo bem claro?

Eu imagino que sim. Como disse acima, certamente você gosta de estudar.

E exatamente por gostar de se informar sobre tudo que, neste ponto do artigo, você já entendeu o que é o Google Ads e como ele funciona, não é verdade?

Que bom! Fico feliz em levar informações para todos que buscam melhorar seus negócios.

Então, agora, vou lhe convidar a dar mais um passo:

Vamos nos aprofundar no assunto e entender sobre todas as opções que a ferramenta oferece?

Compadece-te de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas tansgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias. Lava-me completamente da minha iniqüidade, e purifica-me do meu pecado. Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.

Salmos 51:1-3
03/03/2021

Quanto Custa Anunciar do Google Ads

Orçamento do Google Ads: Como Calcular?

Calcular da maneira correta é fundamental para obter o melhor retorno.

Se você não é muito bom com cálculos, não precisa se preocupar. Para trabalhar com os cálculos, você terá apenas que se lembrar da maneira que os fazia na quarta série.

Para saber o quanto você pode investir, e continuar confortável financeiramente, é só fazer o processo de trás para frente.

Vamos supor que seu trabalho se baseie na venda de óleos essenciais doTerra. Você precisa se preocupar com dois pontos: o lucro adquirido pelas vendas e a taxa de conversão.

Se os Óleos Essenciais somam R$180 a cada 10 unidades vendidas, e você fica com R$100 dessas vendas, seu lucro é de R$80.

A taxa de conversão é calculada em cima do número de pedidos que são feitos a partir do seu site ou anúncios em outros locais.

Vou exemplificar: se a cada 1000 visualizações da sua campanha, 10 pessoas compram seu produto, então sua taxa de conversão é de 1%.

Por se tratar de uma publicidade paga, o Google vai ficar com uma parcela dessa receita.

Aí vem a sua decisão: Quanto você está disposto a repassar para o Google? Quanto custa para anunciar no Google?

Se você decide que R$70 por venda é o suficiente para você, a comissão que irá pagar ao Google é de 30% para cada conversão feita através dos anúncios publicados pelo Google Ads.

Levar em consideração todos esses elementos vai te fazer chegar ao CPC máximo (lembrando: CPC é o custo por clique).

CPC máximo = lucro x comissão paga ao Google x taxa de conversão.

Neste exemplo que eu dei para você, seria R$80 x 0.3 x 1% = R$0,24.

E a que conclusão chegamos com isso?

Você pode gastar R$0,24 por clique no Google Ads e ainda vai lucrar R$70 (desde que a taxa de conversão definida por você não mude).

Deu para entender tudo até aqui, certo?

Agora você já pode definir o custo por clique (CPC) máximo para o seu orçamento diário.

Um erro que acontece sempre é o de achar que é necessário um elevado número de cliques para avaliar qualquer fator.

Isso não é a realidade. Basta apenas alguns cliques para começar.

É claro que quanto mais dados você tiver, maior a precisão dos resultados. Mas essa quantidade de dados vai ser acumulada com o tempo.

Não se preocupe com quantos cliques você vai ter no início. Podem ser 20, isso não tem problema algum.

Com o investimento máximo que colocamos aqui, isso custaria R$6,00 por dia. Supondo que a campanha dure 10 dias, você só gastaria R$60,00. E isso é ótimo!

Você conseguiu compreender o cálculo? Achou ele fácil?

Mas vamos exemplificar também assim:

Quero gastar 300,00 por mês com o Google durante os 30 dias corridos e 24 horas/dia (essa conta posse ser refeita pela quantidade de dias e horas que quer  trabalhar a Campanha Google Ads), pois bem, então façamos a simples conta desta forma:-

300 : 30 = 10 =>>

10 : 24 = R$ 0,42 por hora

Aqui entre a estratégia de moldar horários e dias e você pode melhorar os seus resultados com estratégias de lances, melhorar Índices de Qalidade, etc…

Com o passar dos dias, você pode gerir lances para auxiliar no monitoramento de suas campanhas.

Vou dar um exemplo:

Você pode usar o Manual CPC (custo por clique manual) para ter o máximo de precisão no monitoramento da campanha.

Basicamente, cada Grupo de Anúncios ou cada palavra-chave teria o mesmo lance. Exceto se você alterar a configuração manualmente.

Você está começando agora? O valor para os investimentos é limitado? Através da configuração manual CPC você vai ter controle para evitar sustos com aumentos não previstos, por exemplo.

Agora, se você preferir uma estratégia de lances, para não ter que acompanhar a campanha tão assiduamente, a melhor opção é o Automatic CPC.

Nessa modalidade, os lances podem subir ou cair automaticamente, e os fatores levados em consideração para essas mudanças são diversos.

Se você quer que um maior número de pessoas sejam impactadas pelo seu anúncio, mas perceber que as impressões começaram a diminuir, você pode aumentar um pouco os lances.

Essa atitude vai garantir que seus anúncios continuem sendo visualizados.

Imagino que você já esteja pensando nas desvantagens. Mas também vou falar a respeito disso.

Você não vai poder determinar um valor máximo para as diferentes palavras-chave utilizadas, diferentemente dos lances Manual CPC.

Essa característica vai fazer com que você não tenha um controle preciso sobre o seu orçamento.

Enhanced CPC (custo por clique melhorado) leva em consideração os dados do histórico do Google.

Isso possibilita que você preveja quando e onde será preciso alterar os lances, visando melhores resultados.

Vamos imaginar que a campanha é promissora. Isso vai fazer com que os lances aumentem, automaticamente, para obter mais resultados (por um custo menor).

Usando essa mesma lógica, o AdWords vai reduzir os lances (se assim for necessário), visando diminuir desperdícios.

Essa redução poderá acontecer se sua campanha começar a dar sinais de um desempenho decrescente.

Como eu já repeti isso aqui algumas vezes, você já entendeu que CPC é o custo por clique.

Existe uma variação dessa opção, chamada CPA Bidding (Lances de CPA), onde você vai pagar o Custo por Ação (também conhecida por conversões).

Explicando de forma mais simples, o Google vai ajustar os lances para permitir que você tenha um CPA melhor. Mesmo que para isso seja necessário aumentar os lances.

Já no caso do CPM Bidding (CPM significa custo por mil, ou seja, o valor que será pago a cada mil impressões), ou Lances de CPM, apenas é possível na Rede de Display e campanhas de remarketing.

Como você já deve ter imaginado, nesse caso será necessário pagar um determinado valor, em centavos ou reais, a cada mil impressões.

Nesse caso do CPM, você vai pagar pelas visualizações, e não pelas conversões. No caso de você optar por essa estratégia, as suas metas e objetivos devem ser diferentes.

E qual seria a melhor aplicação da opção?

Certamente não seria para encorpar a lista de leads e nem para um melhor número de conversões.

O CPM deve ser utilizado para melhorar o reconhecimento dos usuários em relação à sua marca, em uma campanha diferente das que visam captar ou converter essa atenção.

Estas são as estratégias mais utilizadas pelas empresas, mas isso não significa que elas não possam ser melhoradas.

bld modifiers (modificadores de lance) pode otimizar sua campanha.

Os três modificadores mais comuns são a localização geográfica, o dispositivo utilizado pelo usuário e o dayparting.

Localização geográfica é exatamente isso que o termo expressa. Você pode configurar sua campanha para que a localização de quem está pesquisando seja levada em consideração.

Os lances podem aumentar ou diminuir dependendo da distância do usuário.

É possível que pessoas que fazem pesquisas em São Paulo façam você gastar mais. Ou conversões no Rio de Janeiro tendem a ser mais caras (segundo o custo por leads).

Esse modificador vai permitir que você equilibre os gastos, para que não tenha que pagar mais em uma área (Rio de Janeiro), sem que para isso deixe de ganhar dinheiro em outra (São Paulo).

Essa mesma ideia pode ser trabalhada nos dispositivos.

Hoje, no Brasil, 59% das pessoas estão acessando a rede mundial através de um smartphone. Naturalmente, o número de pessoas que realizam pesquisam a partir deles também é grande.

Claro que isso não significa que exista um número maior de conversões acontecendo através dos smartphones.

Historicamente, as conversões acontecem mais a partir de computadores do que pelos smartphones.

E o que podemos absorver dessa informação?

Talvez seja mesmo uma ótima ideia você investir em campanhas mobile para impactar um número maior de pessoas, aumentando o reconhecimento e a visibilidade da sua marca.

Mas o meu conselho é o de que você mantenha o foco nas pessoas que voltam a visitar seu site.

Os modificadores de lance vão auxiliar a controlar o tamanho do investimento alocado para cada dispositivo. Também vão mostrar o quanto você deve reduzir desse investimento.

E finalmente, mas não menos importante, a técnica dayparting.

Essa é uma técnica bastante popular, e nada mais é do que a possibilidade de você decidir os dias da semana e horários que quer que seus anúncios sejam visualizados.

Imagine que você quer que as leads liguem no seu escritório para conversar sobre seu produto.

Essa técnica vai permitir que sua campanha seja mais massiva no horário comercial, que é o horário que seu escritório estará em funcionamento.

Para outros horários, e até finais de semana, você pode configurar para que o lance seja reduzido. Economize seu dinheiro enquanto seus concorrentes desperdiçam os deles, mantendo lances de mesmo valor independente do horário.

Essas técnicas podem refinar sua estratégia, permitindo uma campanha alinhada à sua marca.

Aconselho que as utilize quando já tiver um pouco mais de experiência, um nível mais elevado de conhecimento quanto ao comportamento do seu público.

Por agora, vamos continuar o caminho para a configuração da sua campanha no Google Ads.

Já sabe qual o tamanho do investimento que será feito na sua campanha? Tem uma ideia do quanto vai poder gastar com ela? Muito bom.

Vamos entender, agora, como investir em palavras-chave lucrativas sem sair do orçamento estabelecido.

Esperei com paciência pelo Senhor, e ele se inclinou para mim e ouviu o meu clamor. Também me tirou duma cova de destruição, dum charco de lodo; pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos. Pôs na minha boca um cântico novo, um hino ao nosso Deus; muitos verão isso e temerão, e confiarão no Senhor.

Salmos 40:1-3
03/03/2021

Como Funciona o Google AdWords

Conhecendo o Google Ads

Entender todos os recursos vai lhe proporcionar a melhor experiência com o AdWords.

Se você quer ter a melhor experiência possível com o Google Ads, é importante que saiba exatamente como utilizar cada recurso.

Entender sua funcionalidade vai permitir que sua campanha seja acompanhada com muita precisão, fazendo com que sua empresa não perca tempo fazendo tentativas e anúncios que não vão trazer resultados.

Se você quer uma ferramenta intuitiva e precisa, você precisa conhecer MESMO o Google Ads. Afinal, quem é que não quer grana (grana, haha, sou tão mafioso!)?

Rede de Pesquisa

O resultado das buscas e os sites parceiros formam a Rede de Pesquisa.

Os anúncios são exibidos em áreas de destaque, como nas quatro primeiras posições ou nas três últimas posições da primeira página (no caso de palavras-chave de grande concorrência).

Os resultados de pesquisa de grandes portais, como Terra e G1, também fazem parte da Rede. Tal como sites de menor abrangência, que contam com mecanismos internos.

Esses sites menores fazem parte da rede de afiliados do Google AdSense.

Rede de Display

Essa rede conta com inúmeros sites parceiros e alguns do Google, como o Gmail, Blogger e YouTube, por exemplo, que trabalham com anúncios do Google Ads.

A Rede de Display também conta com sites e aplicativos para os aparelhos móveis.

O anunciante que utiliza essa rede conta com um alcance muito grande do público. E ainda pode chegar até ele de diversas maneiras, pelo canal que mais o interessa.

Você pode chegar até seu público através de artigos como este, através de vídeos, gráficos ou outras formas que sua criatividade (e plataforma) permitir.

Imagine só:

Um pescador fez uma pesquisa no Google sobre que tipo de isca usar para conseguir um resultado melhor na pesca de Pintados.

Ali no topo da página, ele descobriu um blog que explica que tipo de isca utilizar e a maneira correta de fazer o lançamento para atrair o peixe.

O pescador percebeu que não tem essa isca nos seus materiais de pesca. Porém, ali mesmo, no blog, tem um banner (disponibilizado pelo Google Ads) que direciona para a página de uma loja de artigos de pesca que – veja só! – possui essa isca disponível.

Esse anúncio tem uma grande chance de converter, pois toda a jornada do pescador, desde o momento da pesquisa, foi em torno de conseguir pescar o Pintado.

Como ele poderia não entrar naquele anúncio e comprar o produto?

Vale lembrar, também, que você pode escolher detalhadamente em que tipos de site e em quais conteúdos você quer que seu produto seja anunciado.

O mesmo vale para o público, que pode (e deve!) ser escolhido após análises.

Bônus – Medidas dos Banners

Essas são as opções de banners que você pode escolher:

Dica Especial: Display Ad Builder

Você pode ser uma pessoa super criativa, ter ideia fantásticas de anúncios e de como atrair o público-alvo. Isso é muito importante, mas…

De nada vai adiantar se não souber como colocar toda essa ideia fantástica na plataforma.

Se por acaso sua empresa não tem orçamento disponível para contratar um ótimo designer, e você também não tem ideia de como fazer a arte, você estaria diante de um obstáculo.

Claro que você pode aprender como fazer um excelente trabalho como designer, acompanhando artigos como esse, mas isso vai levar um bom tempo.

Para a sua alegria, porém, o Google Ads oferece ajuda até mesmo nesse momento, pois ele também disponibiliza uma solução para isso.

A plataforma oferece aos usuários a opção de gerar anúncios na Rede de Display utilizando conteúdo do próprio site ou Landing Page.

Ele também vai lhe ensinar todo o processo para fazer anúncios no tamanho e maneira que desejar.

YouTube Ads

Você consegue imaginar quantas pessoas, neste exato momento em que está lendo este artigo, estão assistindo vídeos no YouTube?

A plataforma conta com um terço de todos os usuários no mundo, assistindo os vídeos de seus interesses por lá e somando bilhões de horas assistidas.

Depois do Google, o Youtube é o segundo lugar onde as pessoas mais buscam informação.

Você mesmo, quantas vezes acessou a plataforma para assistir a um tutorial? E é exatamente isso que o torna tão grande.

Praticamente qualquer assunto que você busque, vai encontrar alguém falando a respeito. Pode ser que a pessoa esteja do outro lado do planeta, mas ela tem o mesmo interesse que o seu e disponibilizou um vídeo no YouTube.

E, obviamente, o YouTube marca presença na Rede de Display.

São muitos os formatos de anúncios que você pode fazer dentro da plataforma. E, da mesma maneira, você pode escolher em que horários e em que tipos de vídeos quer que seu anúncio apareça.

Essa é uma ótima maneira de segmentar seu público, escolhendo os lugares certos para anunciar.

Os anunciantes não precisam de um inventário de vídeos para anunciar. Vou explicar os tipos de anúncio da imagem:

Gráficos

Aqui o espaço é para os banners padrão e InVideo.

Vídeo

True View e In-Stream padrão.

Outros Recursos

Masthead e expansivo na página inicial, que poderá ser solicitado com a equipe do Google, e Rich Media.

Google Shopping

Você possui uma loja virtual ou tem algum cliente que queira fazer o anúncio do seu e-commerce utilizando a plataforma.

Mas essa loja tem um número grande de produtos. Pensar em anunciar um por um vai levar um tempo enorme para criação dos anúncios e será praticamente impossível administrar a campanha de cada um deles.

Isso é muito difícil, eu concordo.

Mas o Ads também tem uma solução para isso (está parecendo aqueles anúncios de redes famosas que para tudo existe uma solução, eu sei, mas neste caso, ele tem mesmo!).

Com o Google Shopping, você pode fazer a promoção de todos os seus produtos, aumentar as visitas na sua loja online e segmentar o público, aumentando as chances de conversões.

O mesmo vale para lojas físicas.

Imaginando que você optou por anunciar no Google Shopping, o Google Merchant Center vai lhe enviar um feed de dados, que será um arquivo xml para que você acrescente os detalhes dos seus produtos.

Nele, você vai colocar imagens, preços e especificações.

Concluída essa etapa, você vai criar a campanha na plataforma. Neste momento, o feed dos produtos será utilizado e, assim, sua campanha será criada.

Só para lembrar, será analisada a melhor maneira de apresentação e locais para o seu anúncio.

Então você deve estar se perguntando:

Mas como será a segmentação por palavras-chave, se são apenas descrições de produtos? Como poderei chegar àquele pescador que está procurando como pescar o Pintado?

Calma! Eu explico.

As informações do feed serão utilizadas. O próprio Ads vai relacionar as informações de seus produtos com as buscas que são realizadas no segmento.

O pescador vai saber que você tem a isca ideal para a pescaria dele ser um sucesso, pois a plataforma vai criar anúncios que serão exibidos nas redes de buscas e de Display.

E é justamente lá que seus futuros clientes estão.

Como é de se imaginar, estes anúncios que contêm imagens e preços são muito mais atrativos do que aqueles que oferecem apenas textos.

A pessoa vai olhar para o seu anúncio e vai saber o nome da sua loja, que tipo de produto você tem e quais os preços.

Vou fazer uma observação aqui.

Acreditava-se que a melhor maneira de fazer anúncios era atrair o cliente pela curiosidade, não informando o preço do produto.

Depois de atraído até o site, vinham os anúncios, super promoções e diversas informações piscando em neon na tela, para que o possível cliente não fosse embora de maneira nenhuma.

Olha só, posso garantir que não é bem assim que o usuário funciona.

Quando a pessoa consegue informações, como o preço, já de imediato, optar pela compra é algo bem mais rápido.

Isso também transmite confiança, pois muitas pessoas ainda desconfiam no momento de fazer compras online.

Outra vantagem é que já é uma forma de fazer uma seleção, gerando leads mais qualificados. Se a pessoa já tem todas as informações em mãos, se ela clicar é porque ela REALMENTE se interessou pelo seu produto. Evita muitos leads especulatórios.

Os anúncios no Google Shopping aparecem simultaneamente com os textos no buscador, ou seja, o pescador vai ver imagem do produto, preço, texto, nome da loja… Nossa!

Ele vai mesmo comprar, isso está quase certo!

Campanhas para Aplicativos Móveis

Se você optou pela criação de um aplicativo para a sua marca, ótimo! O Google Ads disponibiliza diversas opções para anunciar e fazer com que o público, ao menos, o veja.

Uma dessas opções é a campanha de instalação de aplicativos, anunciando nas Redes de Pesquisa e de Display ou no YouTube.

O foco dessa campanha é fazer com que o público faça o download do seu aplicativo.

Campanha Universal para Apps

Aqui, a divulgação vai contar com anúncios no Google Play, YouTube, pesquisas do Google e em outros aplicativos.

Se a pessoa clicar no anúncio, ela será direcionada ao Google Play Store, para fazer o download por lá.

Campanhas de Engajamento com Apps

Com esta opção, o anunciante tem a oportunidade de encontrar pessoas que tenham interesse no seu conteúdo, ou fazer com que usuários que já utilizem o seu aplicativo realizem alguma outra ação.

Remarketing

Com certeza você já teve a sensação de estar sendo perseguido por anúncios.

Não sabe como? Eu explico.

Você gosta muito de animais, e parece que todo lugar que você olha no mundo virtual, tem um anúncio de novos produtos para cães ou uma clínica veterinária muito boa.

Isso não é coincidência ou mágica. É muito provável que seja a mesma campanha que você deu uma olhada em outro site, em um banner diferente.

Essa estratégia de mostrar novamente para o usuário um produto que ele havia procurado anteriormente chama-se remarketing.

Utilizando essa técnica, você pode buscar pessoas que já utilizaram seu aplicativo ou acessaram seu site.

Estes visitantes vão rever seus anúncios enquanto navegam em páginas que fazem parte da Rede de Display ou quando fazem uso de palavras-chave que tenham relação com seu anúncio.

Sempre que quiser utilizar essa técnica, deverá colocar a informação.

Como? Com a tag sinalizando o remarketing para o site e/ou aplicativo.

Se o usuário acessar a página que contém essa tag, ele receberá uma espécie de sinal que vai acompanhá-lo por um tempo determinado.

Esse sinal é o que vai identificar o usuário em meio à multidão. Assim, as campanhas de remarketing podem alcançar esse grupo de pessoas que tem o “sinal”.

Remarketing padrão

Os visitantes que já acessaram seu site ou aplicativo vão visualizar seu anúncio enquanto navegam em sites e aplicativos da Rede de Display.

Remarketing dinâmico

Os anúncios são criados pelo próprio Google Ads para os usuários que já visitaram seu site ou aplicativo.

São anúncios gerados de forma dinâmica, com serviços e produtos que esses visitantes já têm conhecimento.

A navegação para que esse tipo de anúncio ocorra deve ser feita em aplicativos e sites da Rede de Display.

Remarketing para dispositivos móveis

O mesmo vale para pessoas que acessaram anteriormente seu conteúdo por aparelhos móveis.

O anúncio vai acontecer enquanto elas navegam por outros sites ou usam outros aplicativos.

Listas de remarketing para anúncios da Rede de Pesquisa

A pessoa saiu do seu site, porém, continua fazendo pesquisas no Google.

Os anúncios poderão estar disponíveis para elas da mesma forma.

Remarketing em vídeo

A pessoa já interagiu com seus vídeos ou seu canal no YouTube? Também é possível fazer o remarketing com elas.

Enquanto elas buscam outros vídeos, navegam em outros sites ou buscam por aplicativos, elas vão continuar vendo seus anúncios.

Públicos-alvo semelhantes, o “Lookalike” do Google Ads

Certo. Você compreendeu como funciona o remarketing, certo?

É possível fazer com que a pessoa que já visitou seu site ou utilizou seu aplicativo visualize, novamente, seu anúncio.

O mesmo vale para aquela persona que já demonstrou interesse em produtos ou serviços anunciados pela sua marca.

A opção, aqui, é a de fazer com que pessoas com um perfil parecido com seus leads sejam alcançadas também.

Assim como os filtros utilizados no Facebook Ads.

Quando você adiciona a opção “públicos-alvo semelhantes”, a plataforma busca por pessoas que costumam acessar palavras-chave relacionadas ao seu produto.

É um público que costuma ter um comportamento muito parecido com o que acessa seus conteúdos.

Como é de se esperar, quando a ferramenta busca por pessoas com interesses semelhantes ao do seu público, o alcance é muito maior, e a chance de conversão também.

Anúncios para listas de e-mail

Quando você começar a utilizar o Google Ads, vai perceber que também é possível criar campanhas para aquele grupo de pessoas que já é cliente.

Ou para um subgrupo, dentro desse, que tenha algum interesse específico.

Com este recurso, é possível utilizar uma lista de e-mails, que você irá importar para a ferramenta, para exibir anúncios nas pesquisas feitas no Google, YouTube ou Gmail.

E qual a vantagem?

Você tem uma excelente chance de reativar clientes com novos produtos, promoções ou campanhas que visam manter seus leads sempre informados sobre seus produtos.

Outra opção que merece ser citada é a de que, através da sua lista de e-mails, é possível que a ferramenta sugira um novo público-alvo (públicos-alvo semelhantes, lembra?), gerando anúncios para um número maior de possíveis clientes.

Campanhas apenas para chamadas (call only)

Se a sua empresa não é do tipo que gosta de trabalhar com sites, e acredita que através do telemarketing se consegue resultados melhores, também é possível configurar uma campanha.

Ao invés dos já conhecidos cliques, serão geradas chamadas telefônicas automáticas.

Pois Deus é o Rei de toda a terra; cantai louvores com salmo. Deus reina sobre as nações; Deus está sentado sobre o seu santo trono.

Salmos 47:7-8
03/03/2021

Google Ads Express

O Google Ads Express é uma excelente opção para quem quer uma ferramenta mais simples.

A ideia do Google Ads Express é facilitar o trabalho de pequenas empresas, ou auxiliar na criação de anúncios feitos por empresas que não possuem um domínio próprio.

Se trata de uma ferramenta simplificada, a partir do próprio AdWords, para otimizar e automatizar os anúncios.

Com ele, você vai poder criar anúncios que não vão deixar nada a desejar.

Se essa for a sua opção, é importante saber que o Ads Express faz apenas campanhas locais, o que não deve ser visto como menos vantajoso.

Ela vai permitir atrair clientes que estão próximos, o que pode aumentar a chance de fidelização. Até mais do que anúncios mais abrangentes.

Se você ainda não tem certeza sobre começar a fazer seus anúncios com o Ads, essa pode ser a melhor opção.

De uma maneira mais simplificada, você vai fazer seus anúncios e, então, decidir se a ferramenta é mesmo a solução que sua empresa precisa.

“Ok, Neil. Mas por que devo começar a fazer meus anúncios por uma ferramenta mais básica ao invés de já iniciar pela plataforma completa?”

Essa é fácil:

Antes de qualquer coisa, com ela você nem vai precisar ter um site. Ou seja, não precisa que sua marca já tenha algum espaço ou consolidação online.

Claro que meu conselho é o de que você comece, imediatamente, a pensar numa campanha no mundo virtual, mas se essa ainda não é uma possibilidade, o Google Ads Express pode ser a melhor solução.

E, também, tem o detalhe de que criar uma campanha é bem mais fácil. Eu até me atrevo a dizer que cerca de 20 minutos são suficientes para trabalhar na criação.

Você vai encontrar um passo a passo no Google Ads, que vai facilitar muito a compreensão do caminho que terá que percorrer para finalizar uma campanha de qualidade e atrativa.

Você vai ter que selecionar seu público, fazer uma descrição de três linhas e informar o quanto deseja investir nessa campanha. E pronto!

Como eu já disse antes, a fidelização de clientes pode ser mais assertiva, visto que o seu anúncio vai impactar pessoas que estão mais próximas da sua empresa.

O raio que seu anúncio vai atingir será de 25 km a 65 km do endereço cadastrado na plataforma.

Toda pessoa que buscar por estabelecimentos do seu segmento, irão encontrar seu anúncio como uma opção próxima a elas, e isso é ótimo!

A modalidade de cobrança que ela disponibiliza é o CPC. Isso significa que você só vai pagar quando, por exemplo, uma ligação for gerada através de uma interação feita a partir de um anúncio.

Essa característica é ótima, pois você tem um controle muito bom sobre o orçamento. Só paga se existir contato.

Caso você não saiba se sua empresa se encaixa nesse tipo plataforma, eu ajudo: qualquer segmento pode trabalhar com o Google Ads Express e obter excelentes resultados.

Se você está iniciando sua campanha online, essa certamente é um ótimo primeiro passo.

Agora, se quer iniciar a campanha diretamente no Google Ads completo e gerar leads, vamos às dicas. Espero que elas lhe orientem da melhor maneira.

Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra. O Senhor dos exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio.

Salmos 46:10-11
03/03/2021

SEM: o que é Search Engine Marketing

O Marketing para Mecanismos de Busca envolve estratégias para chegar ao topo dos buscadores seja de forma paga ou orgânica.

SEM (Search Engine Marketing) consiste em estratégias com objetivo de otimizar sites para deixá-los no topo das páginas de resultados em buscadores como Google. Isso pode ocorrer de forma orgânica ou paga. O SEM é dividido em duas estratégias: Search Engine Optimization (SEO) e links patrocinados.

Ter um site bem feito é importante, mas, se ele não for encontrado pelo seu público-alvo, dificilmente será uma fonte de conversões e vendas. Ainda bem que existe o Search Engine Marketing (SEM).

Esse conjunto de estratégias permite que seu site seja encontrado pelo seu público-alvo e pode levar você ao topo do Google. Neste post, descubra o que é, para que serve e como implementar o Search Engine Marketing.

O que é Search Engine Marketing (SEM)

Search Engine Marketing (SEM, ou marketing para os mecanismos de busca) consiste em estratégias que têm um objetivo comum: otimizar sites para colocá-los mais perto do topo das páginas de resultados em buscadores como Google, Bing, dentre outros. Isso pode ocorrer de forma orgânica ou paga.

O SEM costuma ser dividido em outras duas estratégias: Search Engine Optimization (SEO) e links patrocinados.

Um pouco de história

Para voltar aos primórdios do SEM, é preciso lembrar de como era a internet em meados dos anos 1990. A web começa a se popularizar e os primeiros sites eram criados. Por consequência, apareceram também sites dedicados a encontrar outras páginas. Esse tipo de site era chamado de diretório. Era preciso submeter os endereços manualmente a cada um deles.

Os diretórios, no entanto, eram pouco organizados. As buscas resultavam em uma lista imensa de resultados, nem sempre relevantes. Os diretórios, então, passaram a incluir campos de busca: bastava digitar os termos de interesse para receber uma lista com links que continham a palavra.

Essas ferramentas foram se desenvolvendo. Algumas delas, atualmente extintas, foram bastante populares, como o Altavista e o Cadê?, ambos comprados pelo Yahoo!. Mas quem mais se desenvolveu e hoje reina soberano no hall dos buscadores é o Google.

Donos de sites passaram a perceber que os resultados mostrados pelos buscadores aos usuários não eram aleatoriamente organizados: obedeciam a alguns fatores e poderiam ser influenciados por uma série de técnicas. Trabalhar com palavras-chave é uma das mais conhecidas, mas outras mais robustas também foram sendo desenvolvidas, dando origem ao grande guarda-chuva conhecido por Search Engine Marketing.

Conheça mais sobre as duas frentes do SEM: SEO e links patrocinados.

Search Engine Optimization (SEO)

O SEO (Search Engine Optimization ou otimização para mecanismos de busca) está entre as siglas mais conhecidas do jargão do Marketing Digital. Consiste nas ações e estratégias que buscam aumentar o tráfego e o desempenho de terminado site, usando, para isso, os resultados orgânicos dos mecanismos de pesquisa. Pode ser o Google, Bing ou até YouTube.

Funciona assim: a cada vez que uma página é publicada na web, os buscadores procuram indexá-la para que seja encontrada por quem busca. O problema é que elas são publicadas diariamente aos milhares. O SEO, então, permite influenciar os algoritmos a darem preferência a uma ou outra página.

Fazer bom SEO requer entender com o Google funciona. Começa com o rastreamento, processo pelo qual os robôs do Google identificam páginas e a enviam ao índice do buscador. Conforme visita as páginas, o bot do Google identifica links, novos sites, alterações e exclusões.

A seguir vem a indexação, em que o Googlebot processa as páginas rastreadas e as inclui em seu índice. Isso inclui conteúdo da página, data de publicação, região, título, descrição, dentre outros.

Quando ocorre uma consulta, os resultados exibidos são os mais relevantes, uma decisão determinada por mais de 200 fatores. Eles não são os mesmos desde o início do Google, no entanto. Eles mudam de tempos em tempos, nas conhecidas atualizações do Google.

Links patrocinados

Os links patrocinados são bem conhecidos por quem investe em Marketing Digital com YouOnTop. Os mais famosos são os que aparecem no topo das buscas do Google, identificados com a palavra “Anúncio”. Mas, além dos mecanismos de busca, também podem aparecer em redes sociais, blogs, portais, dentre outros.

Se dá para aparecer de graça no Google, por que então pagar por isso? É que, com links patrocinados é possível ter resultados rápidos e previsíveis, ainda que com pouco investimento. Isso porque as campanhas podem ser segmentadas de acordo com diversas características.

Para ir para o topo pago do Google, empresas utilizam o Google Ads (anteriormente Google AdWords), plataforma que representa a principal fonte de receita da companhia de Mountain View. A primeira versão da plataforma foi lançada em 2000 e, desde então, é líder do mercado. A segmentação e atração de público qualificado, que tenha relação com o negócio, estão entre os principais trunfos do Google Ads.

O anúncio que aparece nos resultados de busca é chamado de Rede de Pesquisa. Fica em destaque no início de no fim da página, com o pequeno aviso que alerta tratar-se de mídia paga. São ADS indicados para quem quer alcançar um público que busca soluções específicas.

Vinde contemplai as obras do Senhor, as desolações que tem feito na terra. Ele faz cessar as guerras até os confins da terra; quebra o arco e corta a lança; queima os carros no fogo.

Salmos 46:8-9
03/03/2021

Palavras-chave: Tudo o que você precisa saber

Uma das principais e essenciais para o sucesso de uma estratégia de Marketing Digital são as palavras-chave, então vamos saber como usá-las

Palavras-chave são termos compostos por uma ou mais palavras que resumem do que se trata um artigo ou conteúdo. Em Marketing Digital, são importantes para guiar a otimização de um site ou de uma página. Assim, podem ajudar a atrair mais visitantes por meio das Pesquisas do Google.


Quando pensamos em palavra-chave (keyword, em inglês), é quase inevitável pensarmos no Google. De fato, o termo começou a ser disseminado pela ferramenta de pesquisa, sendo uma importante variável das buscas na internet.

Entretanto as palavras-chave passaram a significar muito mais do que uma simples forma de encontrar um site na internet. Hoje, as palavras-chave representam uma forma de o mercado pensar. Confira o próximo parágrafo:

A importância da palavra-chave

O Brasil já possui mais de 16 milhões de empresas e o número vem aumentando a cada dia, já que, segundo uma pesquisa pelo portal Empresômetro, uma nova empresa nasce no país a cada 5min.

Pelo menos eu, quando me deparo com um dado como esse, logo penso: “para que tantas empresas são criadas assim? Qual é o propósito?”

Bem, não há dúvidas de que uma grande motivação em comum entre muitos desses empreendedores é a busca por dinheiro. Porém, apenas essa ambição não deveria ser suficiente para inspirar a criação de um novo negócio.

“Mas se não é simplesmente a ambição por dinheiro, por que tantas empresas são criadas? E o que isso tudo tem a ver com palavra-chave?”

Uma empresa é criada para um propósito: resolver problemas! Sim, problemas dos quais os consumidores estão sedentos pela solução. Desafio qualquer um a encontrar uma empresa cujo propósito não seja esse.

Cidades 2018 2018/19 2019 2019/20 Hoje Fração
São Paulo 1.486.352 18,63% 1.763.302 14,55% 2.019.778 9,10%
Rio de Janeiro 694.704 18,29% 821.785 14,99% 945.000 4,26%
Belo Horizonte 304.813 19,79% 365.137 15,82% 422.904 1,91%
Brasília 278.908 19,37% 332.939 16,63% 388.314 1,75%
Curitiba 263.077 18,01% 310.461 16,14% 360.581 1,63%
Salvador 227.457 19,46% 271.729 15,53% 313.922 1,41%
Fortaleza 214.746 17,28% 251.856 15,15% 290.014 1,31%
Porto Alegre 199.473 14,01% 227.422 11,77% 254.179 1,15%
Goiânia 159.696 20,76% 192.846 17,83% 227.221 1,02%
Campinas 131.964 18,37% 156.202 14,71% 179.175 0,81%
Recife 127.654 19,76% 152.881 16,00% 177.344 0,80%
Guarulhos 106.313 25,32% 133.232 17,89% 157.062 0,71%
Manaus 102.623 21,95% 125.153 21,19% 151.676 0,68%
EXTERIOR 120.756 3,32% 124.762 2,22% 127.529 0,57%
Belém 84.694 19,55% 101.251 18,43% 119.915 0,54%

Palavras-chave e propósito

A parte realmente interessante dessa história que estou contando é o fato de ela fazer uma perfeita intersecção com o assunto desse artigo. Isso porque toda pesquisa realizada na internet também possui um propósito: resolver problemas!

Consegue enxergar a dimensão disso? Mais de 100 bilhões de pesquisas são feitas por dia no Google e, por trás de cada busca, existe um usuário com um problema. Problema que muito possivelmente a SUA EMPRESA é capaz de resolver.

Você queria saber a importância das palavras-chave? Então aqui vai uma frase que deixará bem claro para você essa importância:

Na internet, o principal elemento que separa o problema do seu público-alvo da solução que sua empresa oferece é a palavra-chave.

É exatamente por esse motivo que, quando pensamos em palavra-chave, o mindset não deve ser simplesmente enviesado para SEO ou Links Patrocinados, e sim voltado para o negócio como um todo.

Se você utiliza a pesquisa de palavra-chave só para SEM (Search Engine Marketing), você está desperdiçando uma superinteligência.

Se você ainda não tem uma pesquisa de palavra-chave estruturada e priorizada, o próximo bloco é para você; vou falar sobre como montar a sua lista de palavra-chave.

Pesquisa de palavra-chave

Como já mencionado no parágrafo anterior, a pesquisa de palavra-chave é importante não só para estratégias de SEM, mas também para todo o negócio.

O tipo de comunicação que uma marca deve ter, o layout de um produto, o foco de uma estratégia de Marketing de Conteúdo e muito mais podem ser definidos por influência de uma pesquisa de palavra-chave. É por essa razão que é necessário ter muita dedicação e excelência nesta etapa do planejamento de estratégico.

Concluímos juntos há alguns parágrafos que o principal elemento que separa seu público de encontrar sua empresa é a palavra-chave. Sendo assim, para conseguir fazer uma excelente pesquisa de palavra-chave, é preciso ter um profundo conhecimento a respeito do seu público-alvo.

Isso porque o mesmo problema pode ser representado por várias palavras-chave diferentes; o que vai determinar a forma de pesquisa é justamente a pessoa por trás da palavra. Para que você consiga visualizar melhor, confira o exemplo:

Óleo Essencial ou Óleo Aromaterapia?

Para todos entenderem bem, vamos para aquela velha e clássica discussão de “Óleo Essencial ou Óleo Aromaterapia?”

Suponhamos que você tenha uma loja que vende Óleos Essenciais/Óleos para Aromaterapia online. Como você faria sua estratégia de marketing? Utilizando qual das duas opções de palavra-chave?

Esse é um dos problemas em que o conhecimento do seu público-alvo vai ser determinante para resolver. Neste exemplo, a resposta é bem mais simples do que em outros dilemas na hora de construir nossas estratégias de marketing.

Primeiro, precisamos analisar uma comparação dos volumes de busca dos termos (utilizando o Google Trends):

 

Até primeiro momento da nossa análise, investir na palavra-chave “Óleo Essencial” se mostra mais interessante do que investir na palavra “Óleo Aromaterapia”. Acontece que, quando passamos para a segunda parte da análise, algumas outras informações começam a se evidenciar:

Áreas  mais pesquisas no Brasil:

Seu público-alvo fica na região sul do Brasil? Se sim, já sabe em que termo dar maior foco. Seu público-alvo está em todo o Brasil? Vai precisar fazer uma estratégia de marketing personalizada para cada público. E assim vamos indo, análise por análise…

Depois que tiver o pleno conhecimento do seu público-alvo e entender muito bem DE QUE FORMA ele está acostumado a se referir ao problema que sua empresa resolve, você poderá a começar a desenvolver sua lista de palavras-chave.

Semântica no conteúdo

Além de otimizar o conteúdo para a palavra-chave foco, é importante entender que existem outros fatores que ajudam o Google a entender o contexto do seu conteúdo e até a ranquear seu site para termos em que o conteúdo nem é otimizado.

Primeiro motivo é ser bem específico.

Outro motivo para usar a semântica na produção de conteúdo é que fica mais fácil para o Google entender exatamente sobre o que você está falando.

Se você estiver fazendo um artigo sobre Óleos Essenciais, o Google com certeza sabe de quem você está falando.

Mas se for sobre o Óleos Essenciais doTerra, qual dos Óleos é?

Como fazer?

Identificando outras palavras na pesquisa de palavras-chave que podem compor o conteúdo, incluindo as pesquisas relacionadas apresentadas pelo Google, evitando a repetição de termos e incluindo sinônimos ao longo do conteúdo.

Como fazer a lista de palavras-chave

A dificuldade da maioria das pessoas na hora de tentar produzir a pesquisa de palavra-chave normalmente está atrelada a começar. A justificativa sempre é a falta de criatividade na hora de ter ideias de keywords.

Mas não caia nessa. A pesquisa de palavra-chave quase não tem a ver com criatividade. Ela está relacionada ao profundo conhecimento do seu público e ao uso das ferramentas certas. Vou ensinar você a começar sua pesquisa.

A primeira coisa que você precisa fazer é listar todos os subnichos (categorias) do seu nicho e vincular a cada um deles um mínimo de 10 palavras-chave relacionadas.

Obs.: Se seu nicho já é extremamente específico e não possui subdivisões, extraia do assunto o máximo de palavras-chave possível e aplique as próximas etapas que direi logo a seguir.

Com cada lista referente a cada subnicho pronta, você deve utilizar ferramentas gratuitas feitas especialmente para gerar mais ideias de palavra-chave a partir dessas já selecionadas por você.

É importante que você quebre um pouco a cabeça para pensar em ótimas palavras-chaves originais, porque é a partir delas que as ferramentas irão gerar novas ideias.

Novas ideias de palavras-chave com o Google AdWords

Google AdWords sem dúvidas é uma das melhores ferramentas para geração de novas ideias de keywords. Confira abaixo como encontrar novas ideias através dela.

1 – Na página inicial da ferramenta, clique no menu “Ferramentas” e depois “Planejador de Palavras-chave”.

2 – Você irá se deparar com a tela abaixo. No bloco de “Encontrar novas palavras-chave e ver dados de volume de pesquisa”, clique em “Procurar novas palavras-chave usando uma frase, um website ou uma categoria”, insira suas palavras-chave originais no primeiro campo e depois no botão “Obter ideias”.

3 – Na próxima tela, você irá se deparar com um painel com duas opções: “Ideias de grupos de anúncios” e “Ideias de palavras-chave”. Selecione “Ideias de palavras-chave” e confira todas as sugestões dadas pela ferramenta.

Estudando a tabela gerada, você irá encontrar muitas outras palavras-chave que as pessoas costumam pesquisar no Google, e que estão relacionadas às que você inseriu inicialmente (consequentemente, ao seu nicho).

Além de conseguir novas ideias de palavra-chave, a ferramenta também irá dar uma ideia do volume de busca de cada uma, o que será essencial para você quando formos aprender a qualificar as palavras.

Obs.: Até agosto de 2016, o Google AdWords exibia o volume de busca das palavras-chave com muito mais precisão. Mas a ferramenta sofreu uma atualização e passou a exibir apenas a amplitude de buscas. Por exemplo: Keyword 1 | Volume de busca entre 1 MIL e 10 MIL buscas mensais.

Novas ideias de palavras-chave com o Ubersuggest

Sabe quando vamos pesquisar uma frase no Google e, de tão comum que ela é, o buscador já a completa antes de você terminar? A ferramenta Ubersuggest funciona sob a mesma lógica: você insere a palavras-chave de forma mais genérica e ampla e ela retorna complementos para a palavra de A a Z.

O uso dela é extremamente fácil e nem será preciso fazer o mini tutorial com os prints das telas. Basta acessá-la, mudar o idioma para português, inserir a keyword que irá gerar as ideias e clicar no botão “suggest”.

Confira toda a lista. Procure por palavras-chave que façam sentido para você, levando sempre em consideração seu público-alvo. Fique também atento às palavras que possam gerar ainda mais ideias.

Existem muitas outras ferramentas no mercado que são capazes de gerar insights parecidos, porém nem todas são gratuitas e eficazes como essas que mencionei. Apenas com as duas ferramentas citadas aqui e bastante empenho, você já consegue gerar listas robustas para se trabalhar.

Fiz minha lista de palavra-chave. E agora?

Apenas a lista de palavra-chave, sob o ponto de vista de negócio, já contribui de forma poderosa para todas as estratégias da empresa. Sob o ponto de vista de SEO, porém, a lista apenas pela lista não vale nada.

Imagine só: uma lista com 100 palavras-chave para você levar em consideração em suas estratégias de SEO. Por onde começar? Em quais devo focar? Todas ao mesmo tempo?

É por essa razão que quero passar para você agora a forma ideal de se interpretar uma lista de palavras-chave para conseguir ver com clareza os maiores potenciais da lista.

Interpretando as palavras-chave

Quando olhamos para as palavras-chave, precisamos enxergar mais do que apenas elas, mas também seus atributos. Eu costumo dizer que uma palavra-chave pode e deve ser avaliada sob 4 dimensões diferentes:

  • Volume de busca;
  • Dificuldade de ranqueamento;
  • Intenção de compra;
  • Posição atual para a keyword.

Para entendermos melhor esse conceito, vamos aprofundar um pouco em cada uma delas:

Volume de busca da palavra-chave

Para ficar bem claro o peso desse atributo, vou fazer um paralelo que será bem útil para a explicação desta dimensão e de outras próximas, então tenha-o em mente enquanto explico:

Imagine que você tenha uma loja que possui ótimos preços e produtos de ótima qualidade. Trata-se de uma loja excelente. Porém sua loja fica em uma rua de bairro pouquíssimo movimentada. Você pode ter o letreiro mais chamativo de todos, que ainda assim será difícil atrair clientes.

No paralelo que fiz acima, a rua é a página de resultados do Google, a loja é seu site e o letreiro e a sua snippet.

Uma rua de bairro pouco movimentada seria equivalente a uma palavra-chave com pouco volume de busca. Por essa razão, é interessante que estejamos sempre onde há mais movimentação de usuários.

Aprendizado: Dar prioridade para palavras-chave que possuem um grande volume de busca é bastante recomendado para aqueles que desejam bastante tráfego (por motivos óbvios).

Dificuldade de rankeamento da palavra-chave

Você descobriu uma rua ideal para alocar sua loja! Trata-se de uma rua muito movimentada, que trará muita visibilidade, ajudando-o a atrair muitas pessoas. Porém, logo mais você descobre que exatamente por esse mesmo motivo o preço para alocar sua loja na região é bastante alto.

Com SEO é praticamente a mesma coisa. A diferença é que a moeda do SEO é o tempo/esforço.

Aprendizado: Antes de escolher uma palavra-chave para dar prioridade, você precisa analisar o quão difícil será para ficar posicionado para ela. Às vezes, todo o esforço e tempo que serão necessários não serão pagos com o tráfego que você irá conseguir.

Como avaliar a dificuldade de rankeamento da palavra-chave

Existem algumas ferramentas que são capazes de fazer essa análise:

  • A ferramenta MOZ é capaz de analisar a dificuldade de rankeamento através de uma métrica criada por eles, porém ela não é gratuita. Inclusive, recentemente a ferramenta teve um upgrade. Mais do que ver apenas a dificuldade de rankeamento da keyword, é possível entender o potencial de “ganho SEO” por trás da palavra-chave. Vale a pena conferir.
  • A ferramenta SEMrush (paga) recentemente também adquiriu essa funcionalidade, e hoje consegue avaliar esse quesito da keyword.

Se você não tiver acesso a nenhuma das ferramentas citadas aqui, você pode avaliar as métricas individuais de cada site posicionado na página de resultados referente à palavra-chave.

A análise passa a ser mais subjetiva, porém isso pode ser o bastante para que você consiga a inteligência necessária em sua estratégia.

Aprendizado: Palavras-chave com baixa dificuldade de rankeamento sempre são ótimos targets. Elas tenderão a trazer resultados mais rápidos com menos esforço.

Intenção de compra da palavra-chave

Você conseguiu, por um ótimo preço, que sua loja ficasse na rua mais movimentada do centro da sua cidade! Várias pessoas passando e visualizando sua loja todos os dias. Porém, logo descobre que a maioria das lojas daquela rua são voltadas especificamente para eletroeletrônicos. É um nicho com que sua loja também trabalha, mas não de forma focada. Alguns consumidores que transitam pela rua até acham sua loja interessante, mas a maioria quer um serviço mais especializado.

Estar posicionado para uma palavra-chave que possui muita busca e pouca dificuldade de rankeamento nem sempre é a melhor opção. Se a palavra-chave não representa muito bem o que sua loja vende, ou representa, mas de forma muito superficial, pode não ser um bom negócio investir nela.

De fato, SEO se trata de atrair bastante tráfego de forma orgânica, porém, se no fim esse tráfego não for capaz de gerar clientes, não há tanto sentido em investir nele.

Tenha muito claro todas as etapas da jornada de compra, ou seja, desde o acesso ao Google, pesquisa de produtos e locais até a compra, do seu público-alvo. Muitas vezes, uma palavra-chave pode até não parecer vantajosa no ponto de vista de vendas. Ainda assim você deve fazer a análise para entender se realmente aquele interesse superficial do visitante em seu assunto não pode evoluir para um interesse maior e se tornar uma venda.

Palavra-chave long tail

Palavras-chave long tail (ou calda longa) são basicamente as possíveis variações que podem existir de uma mesma palavra. Normalmente compostas por mais de uma palavra, elas normalmente exprimem uma maior intenção de compra que as outras palavras-chave. Para entender melhor, analise o cenário fictício:

Usuário A – Acessou o Google e pesquisou por “gerânio” na ferramenta.

Usuário B – Acessou o Google e pesquisou por “gerânio para dor”

Primeira pergunta: qual palavra-chave provavelmente possue um maior volume de busca? Provavelmente pela palavra-chave “gerânio” ser mais genérica, ela deve ser mais buscada que “gerânio para dor”.

Mas, agora, vamos para a segunda pergunta: qual usuário provavelmente possui uma maior intenção de efetivamente comprar um óleo essencial de gerânio? Provavelmente, o usuário B possui a maior intenção de compra, já que ele possui uma necessidade mais específica e sabe exatamente o que quer.

A relação de long tail e short tail está justamente atrelada à intenção de compra. Por isso, tenha esse conhecimento na hora de avaliar a intenção de compra por trás das palavras.

Aprendizado: Por mais que às vezes uma palavra-chave possua muito menos busca que outra, existe sempre a chance de trazer mais vendas para você do que a que possui um maior volume de busca. Analise sempre esse quesito.

Posição atual para a palavra-chave

Para explicar esse atributo, em vez de usar o paralelo que fiz na explicação das outras dimensões, vamos utilizar uma pesquisa atualizada feita pela Advanced Web Ranking.

Segundo a pesquisa, a taxa de cliques por resultados da página de resultados de pesquisa funciona da seguinte forma:

 

POSIÇÃO NO GOOGLE TAXA DE CLIQUES DA POSIÇÃO
1º lugar 29,81%
2º lugar 16,05%
3º lugar 9,97%
4º lugar 6,74%
5º lugar 4,85%
6º lugar 3,57%
7º lugar 2,7%
8º lugar 2,1%
9º lugar 1,68%
10º lugar 1,33%

Como você pode perceber, 71% dos cliques estão nos 6 primeiros lugares da página de resultados. Antes de pensar em uma estratégia para posicionar uma nova URL na primeira página, verifique se não possui uma “mal posicionada”.

Uma URL que está em 12º lugar pode facilmente adentrar na primeira página. Pode até alcançar as 6 primeiras posições com otimizações do conteúdo e criação de links, por exemplo.

Aprendizado: Antes de criar uma nova página para posicioná-la para uma palavra-chave, verifique se seu site já não possui alguma página “pré-posicionada”. O esforço para rankear uma URL posicionada na 2ª página de resultados na primeira pode ser muito menor do que criar uma webpage do zero.

Conclusão

A palavra-chave é ponte entre seu público e você. Utilize todos os recursos disponíveis para garantir a máxima eficiência dessa ponte. Apesar dos últimos ensinamentos terem viés de SEO, é possível converter as instruções em uma visão de negócio.

Deus está no meio dela; não será abalada; Deus a ajudará desde o raiar da alva. Bramam nações, reinos se abalam; ele levanta a sua voz, e a terra se derrete. O Senhor dos exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio.

Salmos 46:5-7