Redirect 301: Aprenda Como Fazer

29/03/2021

Redirect 301: Aprenda Como Fazer

Os redirecionamentos são usados para encaminhar visitantes do site e mecanismos de pesquisa de uma página para outra quando o conteúdo é movido para um novo local, uma página é excluída de um site ou até quando o nome do domínio é alterado. Eles são essenciais do ponto de vista de SEO e da experiência do usuário, pois nem visitantes nem mecanismos de pesquisa querem encontrar uma página que não existe mais.

Redirect 301: Aprenda Como Fazer

O que são redirecionamentos de urls e por que eles são tão importantes?

Em poucas palavras, redirecionamentos são uma maneira de encaminhar tráfego (ou bots do mecanismo de pesquisa) de uma URL para outra nos casos em que a original não existe mais. Se nenhum redirecionamento foi implementado, qualquer pessoa que chegar a uma página que tenha sido movida ou excluída encontrará um erro.

Por isso, veja tudo que você precisa aprender para redirecionar suas páginas com sucesso e garantir a melhor experiência do usuário!

Neste guia, vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre redirects, esclarecer a confusão em torno de algumas das dúvidas mais comuns e determinar qual tipo você precisa usar em diferentes cenários.

O que é o redirect 301?

O redirect 301 é um redirecionamento permanente usado para mostrar ao usuário e os buscadores que a página que ele procura mudou de endereço e se encontra em uma nova URL. O redirect é essencial para a estrutura e SEO de um site.

Uma coisa bem simples e fácil de notar: Algumas lojas quando mudam de endereço, elas colocam uma placa na frente informando aos clientes sobre o novo local onde estão atendendo? O redirect 301 é parecido com isso, só que é usado quando um site ou blog muda de endereço na internet e deseja evitar que seus visitantes fiquem perdidos.

É verdade que normalmente são os profissionais de desenvolvimento web que vão se preocupar com a implementação desses redirecionamentos, mas quem trabalha com Marketing Digital também deve estar atento a eles.

Mas há vários tipos diferentes de redirecionamento ou redirects (é muito comum usar o termo em inglês também), assim como vários momentos em que cada um deve ou não ser usado. O mais comum e famoso deles é o redirect 301, que você já deve ter ouvido falar.

Antes de mais nada, é fundamental que você entenda bem o que é o redirect 301, então vamos nos aprofundar no exemplo que demos acima.

Diferente de uma loja física, que precisaria deixar uma placa indicando o novo endereço, usar o redirect 301 é como deixar alguém de prontidão para levar os clientes até o local certo.

Com esse redirecionamento, qualquer visitante que acessar uma página que você não deseja será imediatamente levado a outro local.

Além do redirect 301, existem vários outros códigos de retorno, que indicam diferentes operações no acesso a uma página web. Eles incluem:

  • 302: O redirect 302 representa um redirecionamento temporário, ao contrário do 301, que é permanente;
  • 404: Conhecido pela maioria dos internautas, o erro 404 indica que a página que a pessoa está buscando não foi encontrada;
  • 500: Esse é o código de erro interno do servidor, e significa que algo no próprio servidor do site impediu o acesso à página em questão.

Por que o redirect 301 é importante para o seu site

O conceito de redirecionar o visitante de uma página a outra é bem simples de entender, mas de modo prático, como isso pode ser de ajuda para o seu site?

Há diferentes cenários em que você provavelmente vai precisar usar um redirect 301, seja para manter a experiência de usuário agradável ou mesmo para evitar problemas que atrapalhariam as conversões.

Veja quando é apropriado usá-lo:

Migrar um site

É provável que o uso mais “radical” do redirect 301 ocorra quando for necessário migrar todo o seu site.

Isso acontece quando a empresa troca o domínio, por exemplo, como foi o caso do Buffer — que antes usava o domínio “bufferapp.com” e agora usa “buffer.com”  —  e do SEOMoz, que passou a ser apenas Moz.

Com o redirecionamento, cada vez que alguém digitar o endereço antigo, será levado para a nova URL.

Redirecionar uma página que não existe mais

Outro caso bastante comum é de páginas que com o passar do tempo deixam de existir, especialmente no caso de promoções e eventos temporários.

Mas, os links para essas páginas não desaparecem, e sempre pode haver alguém tentando acessar um conteúdo que não está mais disponível.

A fim de evitar o famoso erro 404, vale a pena redirecionar os visitantes para algum conteúdo relacionado ao assunto em questão ou para a página inicial.

Impedir a duplicação de conteúdo

Pode parecer estranho, mas para o Google, os endereços http://www.seusite.com.br e http://seusite.com.br não são a mesma coisa!

Assim, um bom uso do redirect 301 é justamente escolher um dos dois como o principal.

Um exemplo disso é esse blog: se você digitar www.dannybia.com vai ser redirecionado para dannybia.com/dannys

Isso evita que os motores de busca considerem o conteúdo como duplicado, o que poderia causar uma punição ou prejudicar o seu SEO de outras formas.

Atualizar uma URL

Em alguns casos, você pode decidir mudar a estrutura das URLs do seu site para torná-las mais amigáveis e descomplicadas.

Mais uma vez, os links para as URLs antigas serão quebrados, a menos que você realize redirecionamentos permanentes.

Nesses casos, é preciso avaliar também quantos links serão redirecionados e se vale a pena fazer isso em todos ou apenas nos mais importantes.

5 erros que você deve evitar na hora de fazer um redirecionamento

Achou que não tinha como errar na hora de fazer seus redirecionamentos? Pois é, acontece que sempre existem erros que podem nos atrapalhar.

Qualquer um desses erros poderia afetar negativamente tanto a força do SEO do seu site quanto a experiência dos usuários.

Então, vamos direto às práticas que você deve evitar:

Abusar do redirect 302

Os números podem ser próximos, e ambos representam redirecionamentos, mas existe um oceano de diferença entre o redirect 301 e o 302.

Enquanto o primeiro é permanente, o outro é apenas temporário e, portanto, indicado apenas quando você precisar redirecionar o endereço por poucas horas ou dias.

Salvos os casos assim — de reparos ou atualizações no site — é melhor usar o redirecionamento 301 para não perder força e autoridade nos mecanismos de busca.

Se esquecer dos links antigos do seu site

Já falamos aqui sobre atualizar URLs, mas vale a pena ressaltar que mesmo os links mais antigos precisam ser lembrados e incluídos nos seus redirecionamentos.

Caso contrário, a experiência do usuário vai ser prejudicada sempre que consumir algum conteúdo mais antigo.

Como a ideia é que o conteúdo seja perene, é de esperar que mesmo as peças produzidas há mais tempo continuem sendo revistas pelos visitantes.

Mover para um novo domínio antes de fazer um redirect 301

Não basta fazer o redirecionamento depois de já ter mudado para o novo domínio. O ideal é fazer isso antes de migrar seu conteúdo, e isso nem é complicado.

Um exemplo negativo é da empresa americana Toys ‘R Us, que seguiu essa má prática e viu seus resultados de SEO sofrerem bastante.

Já que os motores de busca entenderam se tratar de um site novo, a indexação aconteceu do zero.

Deixar de redirecionar a página inicial do site

Também já mencionamos isso, mas vale a pena reforçar: http://www.seusite.com.br e http://seusite.com.br são dois domínios diferentes.

Por isso, não se esqueça de fazer o redirecionamento para apenas um deles. É um passo simples, mas que se não for seguido vai prejudicar bastante o site.

Tentar enganar os mecanismos de busca

Infelizmente, muitos ainda usam redirecionamentos 301 como uma técnica black hat para fazer link building, o que, sem dúvida, é perigoso para o seu site.

Não importa o quanto isso possa parecer atrativo, os algoritmos dos mecanismos de busca estão ficando cada vez mais atentos a esse tipo de truque.

Como fazer o redirect 301

A tarefa de fazer os direcionamentos é técnica, então pode ser melhor deixar isso com o seu desenvolvedor. Afinal, há diferentes maneiras de fazer os redirecionamentos, que dependem de fatores como o servidor no qual o site está hospedado, a linguagem na qual foi programado, etc.

Ainda assim, aqui está um guia simples e rápido de como proceder em cada linguagem.

Como primeiro passo (para todas as linguagens), abra o código-fonte da página de origem, apague todo o seu conteúdo e insira os seguintes comandos listados abaixo. Lembre-se de considerar qual linguagem o seu servidor está trabalhando.

PHP
<?php Header( "HTTP/1.1 301 Moved Permanently" ); Header( "Location: http://www.seu-novo-site.com" ); ?>

ASP
<%@ Language=VBScript %> <% Response.Status="301 Moved Permanently" Response.AddHeader "Location","http://www.seu-novo-site.com/" %>

CGI PERL
$q = new CGI; print $q->redirect("http://www.seu-novo-site.com/");

JSP (Java)
<% response.setStatus(301); response.setHeader( "Location", "http://www.seu-novo-site.com/" ); response.setHeader( "Connection", "close" ); %>

Ruby on Rails
def old_action headers["Status"] = "301 Moved Permanently" redirect_to "http://www.seu-novo-site.com/" end

ColdFusion
<.cfheader statuscode="301″ statustext="Moved permanently"> <.cfheader name="Location" value="http://www.seu-novo-site.com">

ASP .NET
<script runat="server"> private void Page_Load(object sender, System.EventArgs e) { Response.Status = "301 Moved Permanently"; Response.AddHeader("Location","http://www.seu-novo-site.com"); } </script>

Após escolher a opção que mais faz sentido para seu servidor, troque o link http://www.seu-novo-site.com/ pela página de destino. Salve o arquivo e o envie ao seu servidor.

3 ferramentas úteis para fazer um redirect 301 simplificado

Uma boa notícia é que você pode contar com algumas ferramentas de ótima qualidade para garantir que todos os seus redirecionamentos sejam bem-sucedidos. Elas são úteis para, principalmente, quem não endente de programação.

Essas opções são desde plugins que fazem o 301 em si a maneiras de testar se os redirecionamentos foram mesmo realizados. Veja alguns dos recursos que vão tornar sua vida mais fácil:

Google Search Console

O Search Console é uma ótima ferramenta do Google, não apenas para redirecionamentos, mas para analisar de modo geral como os mecanismo de busca veem o seu site.

Uma de suas utilidades é permitir que você veja se seus redirecionamentos estão funcionando: basta acompanhar o número de erros 404.

Se estiver alto demais, suas páginas não foram redirecionadas corretamente.

SEO Redirection

Acredito que você tenha um site ou blog na plataforma WordPress e sabe o quanto os plugins ajudam, principalmente em tarefas mais técnicas, não é verdade?

Por isso, trouxemos um plugin feito só para te ajudar nos redirecionamentos, o SEO Redirection.

Além de redirect 301 e 302, ele permite migrar pastas inteiras e monitorar os erros 404, por exemplo.

Conclusão

Sem dúvida, o redirect 301 é um recurso muito útil para o seu site, à medida que a estrutura dos seus links muda para oferecer uma experiência melhor para os usuários.

Não tenha receio, pode seguir estas dicas e você vai conseguir fazer isso sem problemas.

p align=”justify”>Mas caso ainda tenha dúdidas pode ver no Guia definitivo sobre redirects: tudo sobre redirecionamentos de URLs da SemRush

O Senhor deu-se a conhecer, executou o juízo; enlaçado ficou o ímpio nos seus próprios feitos. Os ímpios irão para o Seol, sim, todas as nações que se esquecem de Deus. Pois o necessitado não será esquecido para sempre, nem a esperança dos pobres será frustrada perpetuamente..

Salmos 9:16-18

Deixe um comentário